sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Gestão Doria nomeia militar para a Coordenadoria de Crianças e Adolescentes de SP

Secretaria de Direitos Humanos pede exoneração de Jairo Junqueira, acusado de débitos com administração pública


A gestão de João Doria, prefeito da cidade de São Paulo, publicou no Diário Oficial do município na quinta-feira (16), a nomeação de Jairo Junqueira da Silva Filho para a Coordenadoria de Políticas para Crianças e Adolescentes.

Junqueira tem 68 anos e é ex-secretário-geral da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil. Por nunca ter tido vínculo com a área, a nomeação do militar não foi bem recebida por gestores de políticas públicas. 

"É de uma falta de sensibilidade e noção, no mínimo, do ponto de vista técnico, político, não tem explicação por lado nenhum. A não ser essa coisa dele ser filiado, ser militar, ter um histórico de profunda reverência à cultura do Exército. O pai dele foi um dos Expedicionários do Brasil. Eu desconheço qualquer trajetória, do que eu pude encontrar sobre ele, ela é toda vinculada a esse campo de referência ao Exército, à cultura militar", diz Gabriel Medina, ex-secretário de Juventude de São Paulo na gestão Haddad. 

Medina denuncia que a entrada de Junqueira na coordenadoria também coincide com uma série de mudanças na Secretaria de Direitos Humanos de São Paulo. A mais significativa delas é a junção das coordenadorias que tratam de crianças e adolescentes com a de juventude. 

"O que é mais grave ainda porque, na prática, você extingue a área da Juventude, submete ela à Criança e Adolescente e perde, mais uma vez, um acúmulo político importante da construção que vem sendo feita, que diferencia essas duas áreas, inclusive com estatutos próprios", relata. 

A Coordenadoria para Crianças e Adolescentes é responsável por organizar toda a política para a área e executar ações de defesa dos direitos das pessoas de zero a 18 anos incompletos, em parceria com as secretarias da Educação, da Assistência Social, da Saúde e do Esporte.

Segundo Daniel Souza, ex-presidente do Conselho Nacional de Juventude, a nomeação de Junqueira para o cargo representa o perfil da gestão Doria, calcada no marketing. 

"Essa nomeação ela tem uma coisa de fundo que representa o próprio governo do Doria, uma política transformada em marketing, de uma política que é marcada por retrocessos e desmonte de política pública. Me parece estranho e é simbólico isso, que seja alguém com 68 anos, um militar, para assumir a coordenadoria de Juventude. Simbolicamente parece ampliar essa ação da cidade de São Paulo, como um projeto de segurança, de militarização da vida, dos territórios, especificamente da juventude, que é a que mais morre, especialmente a juventude pobre e negra das periferias", analisa. 
Junqueira também é acusado de manter dívidas com a prefeitura de São Paulo. Entre 2005 e 2008, quando presidia o Instituto de Estudos e Pesquisas em Tecnologia Social, Educação, Cultura e Desenvolvimento Urbano (ITED), o militar fez uma série de convênios com diretorias regionais de ensino da cidade, para formação de educadores. 

Por não prestar contas, a ONG foi inscrita no Cadastro Informativo Municipal (CADIN), que impede novos contratos com a administração pública. A irregularidade ainda está pendente mas, mesmo assim, a gestão Doria publicou o nome do militar para a coordenadoria. 

* Atualização: Em nota, a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania informou que pediu a exoneração de Jairo Junqueira da Silva Filho da Coordenação de Políticas para Crianças e Adolescentes e Políticas para a Juventude nesta sexta-feira, 17 de novembro. No comunicado, a secretaria diz que desconhecia "até a presente data, os apontamentos do CADIN envolvendo a referida pessoa".

Ainda segundo a secretaria, o pedido tem como objetivo "realizar a melhor gestão possível" e, por isso, "não pode admitir em seus quadros funcionais pessoas com quaisquer pendências administrativas - daí a necessidade da exoneração".


Edição: Camila Salmazio

 Via: Brasil de Fato

LEIA TAMBÉM: 

>Cinco razões para crer que o novo diretor da PF foi nomeado para “estancar a sangria”

>LIVRES DE BRAÇOS ABERTOS, DA TERRA ALVORADA, LIVREEEE !

 

 

Cinco razões para crer que o novo diretor da PF foi nomeado para “estancar a sangria”

"Tem que mudar o governo para estancar essa sangria".

Escolha pessoal de Temer, delegado Fernando Segóvia era o preferido da alta cúpula do PMDB em Brasília


Há um ano e meio, a frase dita pelo senador Romero Jucá (PMDB), braço-direito de Michel Temer (PMDB), ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, entrava para a história como um dos símbolos do golpe parlamentar de 2016.

A conversa telefônica foi divulgada durante o período de afastamento provisório da então presidenta Dilma Rousseff (PT), e escancarou um dos objetivos do impeachment: frear as investigações de corrupção no Brasil, e não ampliá-las.

Desde que assumiu a Presidência, Temer foi alvo de duas denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR), e investiu R$ 12 bilhões para barrá-las no Congresso Nacional. Conforme previsto no roteiro de Jucá, o presidente golpista também mudou a chefia da PGR, em setembro, e há dez dias nomeou um novo diretor-geral para a Polícia Federal (PF).

Ambas as escolhas são polêmicas. A nova PGR, Raquel Dodge, pertencia a um grupo de oposição ao antecessor, Rodrigo Janot. No caso da PF, o escolhido foi Fernando Segóvia –  que não era o preferido de Leandro Daiello, diretor-geral da corporação desde 2011.


Confira abaixo cinco motivos para suspeitar das intenções de Temer ao nomear Segóvia para o comando da PF:


I - Lados opostos

Desde o início do ano, Leandro Daiello deixou claro que pretendia deixar o cargo, e até recomendou um sucessor para o cargo: o delegado Rogério Galloro, então número 2 da corporação. Este também era o nome preferido do ministro da Justiça, Torquato Jardim. Porém, Michel Temer preferiu Segóvia, que logo anunciou mudanças em postos de chefia da PF – responsáveis pelo avanço da Lava Jato.

Nomeado pela ex-presidenta Dilma Rousseff, Daiello pode ser criticado sobre vários aspectos, menos sobre a autonomia em relação ao Poder Executivo. Foi na gestão dele que vieram à tona casos de corrupção no governo federal.

Manter essa autonomia não parece ser a intenção de Temer, que teve a chance de escolher a dedo quem irá investigá-lo e não iria desperdiçar a chance de se proteger. Embora tenha barrado duas denúncias da PGR no Congresso, o presidente golpista continua na mira da PF em Brasília, que apura fraudes durante a elaboração da Lei dos Portos.

Em nota oficial, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) desejou sorte ao novo diretor-geral, mas insistiu para que da próxima vez seja escolhido para o cargo um dos três mais votados pela corporação.


II - Preferido da alta cúpula

A nomeação Fernando Segóvia recebeu apoio da alta cúpula do PMDB, que tinha pressa para trocar o comando da PF desde o início da operação Tesouro Perdido – que localizou a mala com R$ 51 milhões atribuídos ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB).

É de conhecimento público que os caciques do partido estavam na mira de Daiello e de seus subordinados. A segunda denúncia contra Temer, barrada no Congresso, foi baseada em um relatório da PF sobre o chamado “quadrilhão do PMDB”.

Por algum motivo, após 22 anos de trabalho na corporação, Segóvia mereceu a confiança de todos eles.


III - O primeiro discurso

Na solenidade de posse, no Ministério da Justiça, Segóvia não falou em frear ou limitar as investigações da Lava Jato. Porém, utilizou um argumento sugestivo no primeiro disurso e nos pronunciamentos à imprensa.

Em nenhum momento, o novo diretor-geral da PF atribuiu centralidade à operação Lava Jato no combate ao crime organizado e aos desvios ocorridos no país. O delegado preferiu dizer que a corrupção é “sistêmica”, e que sua função como diretor não é aperfeiçoar apenas a Lava Jato, mas todas as operações.

Essa linha argumentativa é a mesma adotada por Michel Temer, desde o golpe.


IV - Defesa da PEC 37

Uma das bandeiras das manifestações de junho de 2013 era a rejeição à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37. O texto sugeria que o poder de investigação criminal fosse exclusivo da polícia, em detrimento do Ministério Público. Segundo a interpretação equivocada dos movimentos que saíram às ruas em apoio à Lava Jato, a PEC 37 comprometeria o avanço das investigações de corrupção no Brasil.

Fernando Segóvia assumiu uma defesa corajosa e ferrenha daquele texto. “O Ministério Público começou a investigar sem controle, através de procedimentos que estão inclusive sendo questionados junto ao Supremo Tribunal Federal”, disse o delegado à TV Ajufe, em maio de 2013.

A PEC defendida por Segóvia chegou a ser chamada de “carta branca para a corrupção”, e foi derrotada por 430 votos a 9 na Câmara Federal. Se a proposta fosse aprovada, o Ministério Público não cometeria tantas arbitrariedades e os políticos – corruptos ou não – poderiam apresentar sua defesa, conforme o devido processo legal.


V - Passado condena?

No dia 17 de setembro, Michel Temer recebeu o ex-senador José Sarney (PMDB) no Palácio do Jaburu para conversar, entre outros assuntos, sobre a troca no comando da PF. Na semana seguinte, “vazou” em Brasília a informação de que Fernando Segóvia era o nome preferido de Sarney.

Os dois se conhecem há pelo menos onze anos. Em agosto de 2008, Segóvia assumiu a Superintendência da PF no Maranhão. De 2009 a 2014, o estado foi governado pela filha do ex-senador, Roseana Sarney (PMDB).

Segundo a revista Veja, circula em Brasília um dossiê que mostra as relações íntimas do novo diretor-geral da PF com a família Sarney e com o ex-ministro Edison Lobão (PMDB). O documento aponta que Segóvia morou no apartamento de um empreiteiro ligado a Lobão, e que o delegado costumava frequentar a casa dos Sarney com a esposa – inclusive, o casal teria passado um carnaval na companhia de Roseana.


Edição: Ednubia Ghisi

 Via Brasil de Fato

LEIA TAMBÉM: 

>Lula já aparece com o menor índice de rejeição entre os presidenciáveis, em nova pesquisa Vox Populi 

> LIVRES DE BRAÇOS ABERTOS, DA TERRA ALVORADA, LIVREEEE !

 

 

Lula já aparece com o menor índice de rejeição entre os presidenciáveis, em nova pesquisa Vox Populi

lula

Lula tem 42% das intenções de voto e lidera nova pesquisa para 2018



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a aparecer na liderança, com 42% das intenções de voto, na nova pesquisa realizada pela CUT/Vox Populi. O resultado se soma ao dos institutos Ibope e Datafolha, que também mostram Lula na liderança e com vitória em todos os cenários simulados para o segundo turno. A pesquisa também apontou o Lula como o presidenciável com menor índice de rejeição entre os nomes testados. 


O levantamento, realizado entre 27 e 30 de outubro, apontou em segundo lugar o deputado federal Jair Bolsonaro, com 16%. Os demais possíveis presidenciáveis aparecem com menos de 8%. De acordo com a Vox Populi, Lula tem 39% de rejeição, enquanto Bolsonaro alcançou a marca de 60%.

Na sondagem de intenções de voto, a ex-ministra Marina Silva alcança o terceiro lugar com 7%, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aparece em seguida com 5%, seguido por Ciro Gomes com 4%.


A pesquisa CUT/Vox Populi ouviu 2 mil brasileiros em 118 municípios. 

Segundo turno

Lula venceria no segundo turno todos os adversários testados na pesquisa, alcançando 49% contra Bolsonaro, com 21%, e 48% contra Marina, com 16%. Contra Alckmin, Lula vence por 50% a 14%, contra João Doria ele registra 51% a 14%, e Luciano Huck, 50% a 14%.



Fonte: Lula / Debate Progressista

LEIA TAMBÉM: 

LIVRES DE BRAÇOS ABERTOS, DA TERRA ALVORADA, LIVREEEE !

ALERJ REVOGA PRISÃO DE DEPUTADOS, PROÍBE ENTRADA DE OFICIAL DE JUSTIÇA E POLÍCIA METE O SARRAFO PRA CIMA DE MANIFESTANTES.


LIVRES DE BRAÇOS ABERTOS, DA TERRA ALVORADA, LIVREEEE !

ALERJ REVOGA PRISÃO DE DEPUTADOS, PROÍBE ENTRADA DE OFICIAL DE JUSTIÇA E POLÍCIA METE O SARRAFO PRA CIMA DE MANIFESTANTES.

Viu-se de tudo nessa tarde no Rio de Janeiro, oficial de justiça empurrado e agredido por policiais, Deputado recebendo voz de prisão de soldados e muito gás de pimenta, foi nesse clima que deputados revogaram as prisões determinadas pela justiça. Até onde vamos chegar?
Com um festival de pancadarias, chuva de bombas e muita brutalidade, essa foi a recepção que os manifestantes receberam da polícia na fatídica votação que libertou os deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos acusados de corrupção e recebimentos de propinas.
O efeito Aécio Neves foi visto hoje na Alerj, após o senado federal ter dado o mal exemplo, todas as outras esferas se sentem no direito de desrespeitar a lei e manter impune os verdadeiros criminosos, pior que isso sobre a batuta do STF. Que Brasil é esse mesmo?

JÁ ESTÃO SOLTOS EM CASA COM O AVAL DA IMPUNIDADE PARA CONTINUAR COMETENDO CRIMES; ESTE INFELIZMENTE É O PAÍS DO GOLPISMO E DO TEMEROSO!

De acordo com a Alerj, o secretário da Mesa Diretora foi entregar a decisão dos deputados na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, para a soltura dos deputados. Os peemedebistas foram soltos pouco depois da decisão da Alerj.
A deputada federal Jandira Feghali postou em seu Facebook o total desacato da PM do RJ que impediu a entrada de uma oficial de justiça, mais cedo manifestantes haviam conseguido liminar que  permitia assistir a votação que levaria a liberdade dos deputados presos. Porém a policia militar ao invés de acatar a ordem da justiça, a descumpriu e ainda agrediu a empurrões a oficial de justiça que saiu do local sem cumprir a ordem judicial. 
O comandante da PM-RJ simplesmente correu para dentro da Alerj para não cumprir o mandato judicial, como foi relatado por muitos. Mediante a presença de um deputado, que tentava entrar na Alerj para a votação e tentava fazer cumprir a ordem judicial, um soldado um pouco mais exaltado lhe proferiu a ordem de prisão, fato que não se concretizou. Ao soldado foi informado que o mesmo era deputado e que o soldado não poderia dar voz de prisão ou estaria desacatando uma autoridade maior que a dele. 
Na verdade os acontecimentos no Rio nada mais são que destroços causados  pelo descumprimento de medidas cautelares  impostas pela segunda turma do STF contra o senador Aécio Neves do PSDB. E mais grave ainda, foram as manobras descaradas feitas pelo presidente golpista Temer; quando conseguiu transformar a câmara em um verdadeiro mercado publico, onde as mercadorias eram cargos e emendas, e a moeda de troca era "um salve" a pele de Temer a qualquer preço.


Texto da manchete: tirada da letra livre de Agnaldo Timóteo. 
Por: Pedro Oliveira 
Finalização: Gabriel Hammer
LEIA TAMBÉM:

PF deflagra operação que apura desvios na gestão de Roseana Sarney


PF deflagra operação que apura desvios na gestão de Roseana Sarney

 


A operação deflagrada nesta quinta (16), teve início em 2010, quando o então secretário de Saúde do Estado do Maranhão se utilizou do modelo de "terceirização" da gestão de saúde, passando a atividade para entes privados.

 
Tal mecanismo dificulta o controle de fiscalização do estado, abrindo a porta para irregularidades, como a contratação de pessoas sem concurso público e contratar empresas sem licitação.

 
Há exatamente um ano, o principal alvo da operação era o cunhado da ex-governadora do PMDB e ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad. De acordo com a PF, foram desviados mais de R$ 114 milhões durante a gestão Murad.

 
Por meio de nota, a secretaria de Saúde do Maranhão informa que o governo Flávio Dino (PCdoB) "está totalmente à disposição para ajudar no total esclarecimento dos fatos".

 
O governo reforça que tem adotado medidas para reduzir o número de empresas terceirizadas de gestão da saúde. Cita a criação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), ente público que atualmente gerencia o maior número de unidades de saúde, reduzindo a participação de Organizações Sociais, modelo utilizado pela gestão Roseana.

 
O governo também afirma que , no que se refere à contratação de funcionários, o Estado determinou a realização de processos seletivos públicos para contratação de empregados por parte das Organizações Sociais.

 
Confira a íntegra da nota

 
Nota do governo

Governo do Maranhão
Secretaria de Estado da Saúde

Sobre a nova fase de investigação da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira (16), no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo do Maranhão declara que:

 
1. Os fatos têm origem no modelo anterior de prestação de serviços de saúde, todo baseado na contratação de entidades privadas, com natureza jurídica de Organizações Sociais, vigente desde governos passados.

 

2. Desde o início da atual gestão, têm sido adotadas medidas corretivas em relação a esse modelo. Citamos:

a) instalação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), ente público que atualmente gerencia o maior número de unidades de saúde, reduzindo a participação de Organizações Sociais.

b) determinação e realização de processos seletivos públicos para contratação de empregados por parte das Organizações Sociais.

c) aprovação de lei com quadro efetivo da EMSERH, visando à realização de concurso público.

d) organização de quadro de auditores em Saúde, com processo seletivo público em andamento, visando aprimorar controles preventivos.

 

3. Desconhecemos a existência de pessoas contratadas por Organizações Sociais que não trabalhavam em hospitais e somos totalmente contrários a essa prática, caso realmente existente.

 

4. Todos os demais fatos, supostamente ocorridos no âmbito das entidades privadas classificadas como Organizações Sociais, e que agora chegam ao nosso conhecimento, serão apurados administrativamente com medidas judiciais e extra judiciais cabíveis aos que deram prejuízo ao erário.

 

5. A SES não contratou empresa médica que teria sido sorveteria. Tal contratação, se existente, ocorreu no âmbito de entidade privada.

 

6. Apenas um servidor, citado no processo, está atualmente no quadro da Secretaria e será exonerado imediatamente. Todos os demais já haviam sido exonerados.

 

7. A atual gestão da Secretaria de Estado da Saúde está totalmente à disposição para ajudar no total esclarecimento dos fatos.


 Foto: Agencia Brasil
Fonte: Vermelho
 LEIA TAMBÉM:

UM DIA DA CAÇA OUTRO DO CAÇADOR, GLOBO NA MIRA PETISTA! 


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

UM DIA DA CAÇA OUTRO DO CAÇADOR, GLOBO NA MIRA PETISTA!

APÓS 3 ANOS DE PERSEGUIÇÃO A LULA E O PT, GLOBO VIRA A CAÇA E PT ABRE REPRESENTAÇÃO CONTRA EMISSORA DA FAMÍLIA MARINHO POR PAGAMENTO DE PROPINAS NO CASO FIFA.
O Partido dos Trabalhadores decidiu apresentar à Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, Representação Criminal para que seja apurada oficialmente a notícia de que a Rede Globo praticou crimes em série, valendo-se de empresas e bancos em paraísos fiscais, para obter vantagens ilícitas na compra de direitos de transmissão de torneios internacionais de futebol.
 O PT considera que a investigação oficial do escândalo FIFA no Brasil é essencial para combater o crime e a impunidade, além de ser um gesto fundamental para devolver o futebol ao povo brasileiro.
A representação tem base nos depoimentos do empresário argentino Alejandro Burzaco à corte de Nova Iorque. O delator coloca a Rede Globo no centro do escândalo da FIFA mencionando pagamento de propinas de US$ 15 milhões a dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol, da Conmebol e da Fifa. O delator citou nomes, valores, locais de encontro, contratos, configurando sem dúvida os chamados “indícios robustos” de prática criminosa, expressão que os comentaristas da Globo gostam de utilizar, de forma leviana, para se referir às acusações por delações contra o PT e contra Lula.
A rede Record já vinha denunciando a Globo desde 2016 quando a emissora estranhamente perdeu os direitos de transmissão exclusiva dos jogos olímpicos do Rio. 

Uma mensagem de e-mail apreendida pela Polícia Federal em uma operação não relacionada ao futebol, mostra a relação entre o executivo da Globo e os cartolas. Treze dias depois de Ricardo Teixeira se afastar da CBF, em 2012, Marcelo Campos Pinto escreveu mensagem a Del Nero em termos muito amigáveis. A mensagem foi anexada ao relatório alternativo da CPI do Futebol no Senado encerrada em 2016.
Com mais essa prova o PT acredita que poderá finalmente desmascarar a Globo; que emitiu uma nota esdrúxula, onde diz que investigações internas apontaram que a Globo jamais fez pagamentos ilícitos, como se a Globo fosse produzir provas contra ela mesma. É claro que ela prefere se julgar e se absorver imediatamente.
Agora é aguardarmos os próximos capítulos ou passos para descobrir a verdade dos fatos. E assim como a emissora sempre fez; apontar, julgar e condenar qualquer um para assim obter seus interesses, a justiça assim o faça com ela. Deve sentir o sabor do seu próprio veneno.  Como fez com pessoas aparentemente inocente, que morreram amarguradas de tanto verem seus nomes estampados nos noticiários nitidamente partidários, ou nas pagina sujas de O Globo. Dona Marisa por exemplo foi uma das que partiu dessa pra melhor por ter sido obrigada a tomar do veneno que a tal emissora tanto a fez tomar.

Com Informações do R7/ PT Oficial 
Por: Pedro Oliveira e Ana Karine
Finalização e edição: G. Hammer

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

"Temer comete crime contra idosos e pessoas com deficiência"

Sem alertar população, governo Temer faz recadastramento para Benefício de Prestação Continuada, visando a reduzir o número de beneficiários.

 
 
O comentarista político do Seu Jornal, da TVT, José Lopez Feijóo, alerta para mais um golpe do governo Temer, que determinou que pessoas com deficiência e idosos devem fazer recadastramento para continuarem a receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O recadastramento, que poderia ser uma ferramenta de combate à fraudes, deveria vir acompanhado de uma campanha informativa. Sem ela, o mecanismo de combate à fraude parece estar sendo usado para promover cortes nos benefícios.

O BPC foi instituído na Constituição de 1988 e regulamentado em 2007 no governo Lula. Têm direito ao benefício pessoas com deficiência ou idosos acima de 65 anos com renda familiar per capita inferior a um quarto de salário mínimo.

"Aparentemente, o processo de recadastramento é até um jeito de tentar verificar se existe alguém recebendo de forma inadequada. Mas será esse objetivo, mesmo?", questiona o comentarista. "Por que o governo não fez campanha para que as pessoas que têm direito vão se cadastrar. Falta um mês e meio para terminar o cadastramento. Termina em 31 de dezembro. Até agora, só 10% das pessoas que têm direito nas capitais se recadastraram. É mais um ataque às políticas sociais."

 Fonte: RBA
LEIA TAMBÉM:
 

Dieese: com maior escolaridade, negros ganham um terço a menos que salário de brancos

Dieese: com maior escolaridade, negros ganham um terço a menos que salário de brancos

Em 2016, 1 em cada 5 negros estava desempregado, enquanto não-negros eram 1,5 a cada 10 na região metropolitana de SP

 

A diferença salarial entre negros e não-negros com nível universitário aumentou no país. Para cada R$ 1000 ganhos por um trabalhador não-negro, os negros, com mesma escolaridade, ganham R$ 650. É o que diz o boletim especial sobre a inserção da população negra no mercado de trabalho feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados na região metropolitana de São Paulo e divulgado nesta terça-feira (14).

O estudo apontou que a diferença salarial evolui conforme a escolaridade. Assim, os trabalhadores negros que não completaram o ensino médio ganhavam, em 2016, 92% do que recebiam os não negros com a mesma formação. Quando se analisam os que completaram o ensino-médio, verifica-se que o percentual é de 85% do salário de brancos e, para as pessoas negras com ensino superior, o salário é 65% com relação aos não-brancos.

César Andaku, economista do Dieese e coordenador da pesquisa de Emprego e Desemprego na região metropolitana de São Paulo comenta que “as pessoas com ensino superior têm um rendimento maior do que as pessoas com ensino médio. Isso a gente constata tanto para negros, quanto para não negros. Só que para os negros, este crescimento é menor do que para os não-negros”.

A diferença se deve, de acordo com o estudo, à baixa presença de negros em cargos de chefia. De acordo com o relatório, existem dois obstáculos a serem enfrentados por trabalhadores negros: “o de alcançar o ensino superior e, mesmo quando isso acontece, o de progredir na carreira profissional”.

César ressalta que as políticas públicas dos governos do PT, desde o começo dos anos 2000, como as Cotas, o Prouni e o Fies “contribuíram para um maior acesso dos negros ao ensino superior — isso é importante, é uma etapa necessária —, mas ainda é preciso desenvolver políticas públicas voltadas ao mercado de trabalho, pra melhorar a inserção do negro no mercado de trabalho”.


Desemprego

O impacto da crise econômica é sentido mais pela população negra, como comenta César: "as taxas de desemprego para os negros são maiores, tanto para o homem, quanto para a mulher, na comparação com não-negros”.

Em 2016, a taxa de desemprego entre a população negra foi de 19,4%, enquanto a de não-negros foi de 15,2%. Para ambos houve aumento com relação a 2015, quando as taxas eram de 14,9% e 12%, respectivamente.

Na passagem de 2015 para 2016, a taxa de desemprego total dos negros aumentou de 14,9% para 19,4%, enquanto a dos não negros avançou de 12,0% para 15,2%.


*Com informações de Norma Odara
**Matéria atualizada às 11:07 do dia 15/11 para correção de informação no título.
Edição: Vanessa Martina Silva
Via: Brasil de Fato

 

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Globo pagou propina para a Fifa, diz delator

Maior empresa de mídia do Brasil foi citada pelo ex-empresário Alejandro Burzaco à justiça norte-americana no depoimento mais aguardado do julgamento do escândalo de corrupção da Fifa 

 

O Grupo Globo, se passa ileso no Brasil, pode vir a ter que prestar contas à justiça norte-americana. Isso por que o maior grupo de mídia do Brasil foi citado, em delação, pelo empresário argentino Alejandro Burzaco como uma das seis empresas que teriam pago propina para ganhar a concorrência dos direitos de transmissão de torneios internacionais.

A citação foi feita nesta terça-feira (14)  em um tribunal no Brooklyn (Nova Iorque) mas ainda não há detalhes de como teria se dado essa participação da Globo no esquema de pagamento de propinas – o depoimento ainda está acontecendo.

Ex-presidente da produtora Torneos, também conhecida como TyC, Burzaco negociava com os canais de televisão os direitos de transmissão, tanto na Argentina como em outros países da América Latina. Ele está em prisão domiciliar em Nova Iorque desde que foi detido, há dois anos.

Em nota, a Globo negou as acusações. “Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina”, escreveu a empresa.


Fonte: Portal Fórum
VEJA TAMBÉM: 

terça-feira, 14 de novembro de 2017


>MBL GERA MOEDAS VIRTUAL E ROUBA INTERNAUTAS!

Delator de caso Fifa diz que Globo pagou propina por direito de transmissão... - Veja mais em https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/11/14/delator-de-caso-fifa-diz-que-globo-pagou-propina-por-direito-de-transmissao.htm?cmpid=copiaecola
Delator de caso Fifa diz que Globo pagou propina por direito de transmissão... - Veja mais em https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/11/14/delator-de-caso-fifa-diz-que-globo-pagou-propina-por-direito-de-transmissao.htm?cmpid=copiaecola

MBL GERA MOEDAS VIRTUAL E ROUBA INTERNAUTAS!

A organização criminosa definida como MBL, está usando no site "Jornalivre", um programa para gerar moeda virtual e lucrar as custas de internautas desinformados, o golpe aplicado pela turma de Kim Kataguiri e Holiday, ops! Quase esquecia que eles são apenas fantoches nas mãos de Renan Santos, foi descoberto e noticiado pela Folha de São Paulo.

A notícia quase passou despercebida e foi um pouco abafada pelo afastamento de Tasso Jereissati  da presidência do PSDB  e pelo pedido de morte de Lula feito por um desclassificado. Mas nosso compromisso com a verdade e a notícia continua e não pode parar,  então claro que não deixaríamos vocês sem essa.
A folha de São Paulo trouxe a tona uma matéria no dia 08/11/2017, onde segundo a jornalista NATÁLIA PORTINARI a organização criminosa MBL estaria usando os computadores e celulares de usuários para gerar criptomoedas (moedas digitais criadas por programadores) sem avisá-los, fraude conhecida como mineração.


Ainda segundo a reportagem o site de notícias "Jornalivre", administrado por membros associados ao MBL (Movimento Brasil Livre), foi flagrado em outubro fazendo a mineração da criptomoeda  Monero, com um recurso chamado Coinhive. A desculpa esfarrapada  que o  "Jornalivre"  usou foi uma nota onde disse: havia sido apenas um teste.

Veja Como funciona o esquema montado pelo MBL.

Em geral, os membros de uma blockchain constroem sistemas de processamento próprios — ou seja, mega-computadores montados em casa — para manter uma atividade de geração de códigos de segurança constante. Isso aumenta o valor de recompensa recebido, Partindo desse princípio, usuários da internet desenvolveram formas de utilizar o sistema de processamento de computadores de terceiros para minerar moedas virtuais.
Quando seu computador trava e você abre o gerenciador de tarefas para resolver o problema (o famoso ctrl+alt+del), é possível visualizar o uso da CPU — ou seja, quanto da capacidade de processamento da máquina está sendo usada pelos aplicativos abertos, que podem ser as páginas da internet ou qualquer outro programa rodando em paralelo.
Mas é possível fazer isso também simplesmente adicionando uma linha de códigos na programação de um site. O lucro com essa mineração ao invés de ir para o dono do computador, vai para quem inseriu a ferramenta. Em vez de gastar dinheiro construindo um sistema potente de processamento para minerar moedas, o MBL  aproveita  a capacidade ociosa de outras pessoas para fazer o procedimento. Sem avisar quem visitava o site e muito menos quem estava sendo roubado pela organização criminosa.

O Coinhive retém 30% de cada XMR (unidade de Monero) criada, e o resto fica para o dono do site acessado. Uma página de um milhão de visitantes pode ganhar 1,37 Monero (R$ 448) por mês, segundo os criadores do serviço, como se sabe o “Jornalivre”, tem um bom número de visualização e pode ter lucrado muito mais dependendo do tempo que aplicam o golpe.
Ainda na reportagem da Folha de São Paulo a advogada Jihane Halabi diz que o uso de programas para roubar processamento do computador pode ser crime de invasão de dispositivo informático.
Procurado pela Folha de São Paulo, o "Jornalivre" afirmou que "o assunto já morreu". "Não damos explicações para pseudojornalistas e muito menos para militantes de extrema esquerda", afirmou Roger Scar, que diz ser editor do site (esquecendo que a Folha de São Paulo é a cara da direita).

Informação: Folha de São Paulo e Nexo jornal.
Por:  Pedro Oliveira 
Edição: G. Hammer


Arquivo do blog