quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Qual decisão deve prevalecer, a da a juíza Luciana ou a do juiz Moro?

 


"O Ministério Público Federal e Moro não buscaram a verdade por opção", diz o jornalista Joaquim de Carvalho, no Diario do Centro do Mundo. "Decisão judicial não se discute, se cumpre. A frase, muito comum no meio jurídico, nunca perdeu tanto o sentido como agora, depois que a juíza Luciana Torres de Oliveira, da 2a. Vara de Execução de Títulos Extrajudiciais do Distrito Federal, penhorou o triplex 164-A do edifício Salina, do Condomínio Solaris", diz.


Conforme o texto, "a penhora foi para garantir o pagamento de dívidas da OAS, não de Lula, a quem, segundo o juiz Sergio Moro, da 13a. Vara Federal Criminal de Curitiba, pertence o imóvel". "Na sentença em que condenou Lula a 9 anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, em julho de 2017, Moro sequestrou o triplex. O que acontece agora? Antes de responder à pergunta, ao final do texto, o importante é destacar que a decisão da juíza desmoraliza Moro", afirma.

Jornalista acrescenta que Marisa Letícia, ex-esposa de Lula, "tinha, de fato, cota do condomínio, conforme declarado ao imposto de renda. Não triplex. Era uma cota". "A fofoca ganhou as páginas do jornal O Globo, em 2011, o Ministério Público do Estado de São Paulo começou a investigar e, depois de seis anos, a Justiça absolveu todos os acusados, por ausência de crime", continua.

"A verdade incontestável é que a propriedade do triplex foi reconhecida pela Justiça em Brasília como da OAS  — e nem poderia ser diferente. Está em nome dela e já tinha sido usada como garantia em operação da empreiteira. Lula teria que ser um imbecil se aceitasse um imóvel nessas condições como propina".






 


,

A sentença de Moro, acima e a de Luciana: Conflitantes.


Por Joaquim de Carvalho
Via: Brasil 247
LEIA TAMBÉM: 


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Militante do Psol, Adelita Monteiro irá processar apoiadores de Bolsonaro que a ameaçaram

Na tarde de terça-feira, 16, Adelita Monteiro participou da "Live Política" na página do Facebook do O POVO Online

 Adelita Monteiro 

A militante do Partido Socialismo e Liberdade (Psol), Adelita Monteiro, irá judicializar comentários truculentos de apoiadores do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ). A cearense está sendo vítima de ataques após a publicação de um vídeo, em sua página no Facebook, intitulado "Bolsonaro: A Casa Caiu", no qual comenta sobre o levantamento relativo ao crescimento do patrimônio da família Bolsonaro, que chega a pelo menos R$ 15 milhões.

Adelita afirma que tem grandes discordâncias políticas em relação ao que defende Jair Bolsonaro. "Nós sabemos que nas redes sociais ele tem muita força. Dá para saber o que acontece quando você questiona Bolsonaro nas redes sociais, e como eu coloquei, isso não tem que nos intimidar. A gente não pode ficar calado porque acha que alguém vai reagir com truculência", afirma a militante.

Ela revela ainda que não imagina que o vídeo iria lhe render comentários em tons de ameaças. "Vai ser tratado como crime. Principalmente por conta de pessoas que pode vir a ser intimidado com esse tipo de coisa. Eu graças a Deus não me intimido não, mas eu quero impedir que outras pessoas passem por isso. Eles fazem achando que não tem consequência", diz Adelita, que já foi candidata a deputada federal nas eleições de 2014 e obteve 4.647 votos.

No Facebook, o vídeo já conta com mais um milhão de visualizações, cinco mil reações, 22 mil compartilhamentos e seis mil comentários, como esse: "Vai fazer um vídeo mais interessante sua vaca petista".

Natural de Limoeiro do Norte, a 200,9 km de Fortaleza, Adelita diz que a ideia de fazer vídeos nas redes sociais foi muito espontânea.

"Estava indo trabalhar no dia de aumento no ônibus e resolvi fazer dentro do ônibus. Cheguei no trabalho e terminei com uma piadinha, muito politizado, lancei e ele teve muita repercussão. Há muito tempo faço política porque eu acredito que o povo tem que fazer política, pobre tem que entender de política. Com o 'golpe', com tudo que vinha acontecendo no País, retirada de direitos, eu comecei a fazer vídeos. Tudo que acontece que eu acho relevante eu faço vídeo, e não seria diferente com Bolsonaro", ressalta a militante. 

Neste blog foi postado uma breve entrevista com ela como podemos conferir no link: ADELITA SOFRE ATAQUES NAS REDES SOCIAIS POR FALAR A VERDADE SOBRE BOLSONARO!...onde também conversamos com conhecidos dela na sua vida de militante estudantil. No link pode-se também ser visto o vídeo sobre o Bolsonaro na integra.

Nesta semana ela lançou outro vídeo que ironiza o deputado Marum e a reforma da previdência no mesmo gênero irônico, mais muito esclarecedor de como ela ver a política  nos tempos atuais. 

VEJAM O VÍDEO:




Informações de O Povo
Adaptação: Gabriel Hammer

LEIA TAMBÉM:

Presidenciável, Maia diz que Bolsa Família escraviza as pessoas

Presidenciável, Maia diz que Bolsa Família escraviza as pessoas

 


“Criar um programa para escravizar as pessoas não é um bom programa social. O programa bom é onde você inclui a pessoa e dá condições para que ela volte à sociedade e possa, com suas próprias pernas, conseguir um emprego. A cidadania é um emprego, a cidadania não é depender do Estado brasileiro”, disse ele em uma palestra no Brazil Institute do Wilson Center, nos Estados Unidos.

Questionado por jornalistas sobre a crítica, ele disse que defende melhorias no programa - elogiado até pela ONU - e que o que escraviza as pessoas no Bolsa Família é a dependência que ele causa.

“Escraviza pela dependência das pessoas. Se você não tem uma porta de saída, você gera uma dependência. Essa dependência atrela as pessoas ao Estado. A alternativa é gerar as condições para que a pessoa deixe de ser dependente do Estado”, insistiu.

Ao contrário do que disse o parlamentar, dados de 2015 mostravam que, em 11 anos de programa, 3.155.201 famílias saíram voluntariamente do Bolsa Família. E, por falar em escravizar, vale lembrar que o governo Michel Temer, apoiado por Maia, reduziu as operações de fiscalização para a erradicação do trabalho escravo e tentou fazer valer uma portaria que claramente dificultava o combate a esta prática. Mas isso é outro assunto, afinal.

As declarações do parlamentar são, na verdade, um retorno às origens, uma inversão na rota da direita, que, nas últimas eleições, vinha alterando o discurso crítico ao programa, com medo de perder popularidade. Maia resgata, então, um posicionamento antigo deste campo, que se referia ao benefício, reconhecido mundialmente, como “bolsa esmola”.

Maior programa de transferência de renda do mundo, e inspiração para diversos outros países, o Bolsa Família passou anos recebendo ataques da direita. Ocorre que as forças retrógradas logo perceberam que o discurso afastava os eleitores, dado o prestígio do programa. Trataram então de mudar de estratégia e passaram diversas campanhas tentando convencer o povo de que não iriam acabar com o benefício, em caso de ganharem nas urnas, vitória que nunca aconteceu.

Nos últimos tempos, o programa havia virado unanimidade. Aécio Neves chegou até a apresentar projeto para torná-lo política de Estado. Mas, depois que o impeachment de Dilma Rousseff, sem crime de responsabilidade, jogou no lixo o voto de 54 milhões de brasileiros, parece que a direita colocou de lado certos pudores. No Brasil pós-golpe, os conservadores deixaram de ter vergonha de expor aquilo que realmente pensam.

Nos Estados Unidos, Maia ainda utilizou outras políticas sociais petistas, como o Minha Casa Minha Vida, para criticar as gestões anteriores. Segundo ele, as pessoas de menor renda apenas ganharam uma casa, sem nenhuma estrutura para lidar com contas como energia e condomínio que nunca haviam pago antes. O presidente da Câmara disse ainda que muitas unidades não têm escolas, postos de saúde nem ligações ao sistema de tratamento de esgoto.

As questões levantadas por Maia devem, então, se agravar com os retrocessos da era Temer, que cortou gastos sociais e investimentos e derrubou o poder de compra do trabalhador.

Sem falar que, agora, para a população pobre, nem mais a casa própria pode existir. A faixa 1 do Minha Casa Minha Vida, destinada à população de baixa renda, foi praticamente abandonada por Temer. Entre janeiro e outubro do ano passado, apenas 0,5% dos recursos do programa foram destinados a empreendimentos para esse grupo.

Na ofensiva eleitoreira, Maia seguiu sua fala focado na economia. Apontou uma reforma do Estado, o debate das despesas obrigatórias e o chamado Sistema S como grandes temas para o país, além da reforma da Previdência. Ao responder se é candidato, foi direto: “Com um 1% das intenções de votos, não. Se eu chegar a 7%, melhora um pouco”.


Fonte: Portal Vermelho
LEIA TAMBÉM: 

ME ENGANA QUE EU GOSTO, LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA, CONHEÇA A NOVA TÁTICA DA GLOBO!

ME ENGANA QUE EU GOSTO, LOUCURA, LOUCURA, LOUCURA, CONHEÇA A NOVA TÁTICA DA GLOBO!



Não faltava mais nada a ser inventado pela Globo, de forma marota a Globo criou da noite pro dia uma campanha onde pessoas comuns gravarão vídeos de 15 segundos para dizer que Brasil querem para o futuro. 








Parece uma campanha inocente e sem nenhuma pretensão política mas é pura balela. Sem plano de governo e desacreditado, Luciano Huck seria o único beneficiado com essa nova modalidade de fazer campanha, descobrindo os principais anseios da sociedade Luciano Huck montaria seu plano de governo com uma equipe especializada já contratada pelo grupo Globo. Entre eles alguns nomes devem montar a equipe de campanha de Huck, como Miriam Leitão, o falastrão Alexandre Garcia, outros nomes não estão descartados, seriam os casos de Merval Pereira e Gerson Camarotti.








Com boa transição dentro de Brasília, esses nomes poderiam facilmente montar um plano de governo adequado aos pedidos enviados a edição jornalística da Globo por meio dos vídeos de telespectadores menos informados e desatentos ao plano de Luciano Huck.

 
Fica cada dia mais claro e evidente que a acusação do PT sobre propaganda antecipada faz todo o sentido do mundo, os ataques incansáveis do grupo Globo a imagem do ex-presidente não surtiram o efeito esperado, causando o crescimento de Lula nas pesquisas.

 
O aumento a rejeição do nome de Sergio Moro e o descrédito da Lava jato, os escândalos envolvendo o senador Aécio Neves somado ao medo que o nome de Jair Bolsonaro causa, é um cenário adequado e terreno fértil para a campanha de Luciano Huck a presidência da Republica. Até Geraldo Alckmin esta se diluindo com seu  braço direito,  o deputado estadual Fernando Capez (PSDB), sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso conhecido como “máfia da merenda”, pode deixar mais um caminho aberto as pretensões da Globo..



Contudo a campanha do mesmo só pode ser viabilizada caso haja condenação e prisão de Lula, caso contrário Luciano Huck e o do grupo Globo terão um imenso problema pela frente. Lula deve vencer as eleições ainda em primeiro turno. E isso causa temor no grupo Globo e nos conservadores, por isso é bom as pessoas ficarem em alerta e evitarem enviar o tão pedido vídeo para a redação da Globo. Pois o que está obscuro nesse tal vídeo é mais uma armadilha da Globo para iludir cada vez mais o povo e ter alguém sob seu cabresto e assim  escravizar  mais ainda o povo brasileiro.



 
Texto: Henrique Sousa

Colaboração: Ana Fernandes
Finalização e edição: Gabriel Hammer

Sem trégua: Placa que identifica viaduto batizado com o nome de dona Marisa Letícia é roubada em SP

Santo André- SP- Brasil- 15/08/2016- Ex-presidente Lula e sua esposa Marisa Letícia durante encontro das mulheres e militantes que marca os 10 anos da lei Maria da Penha, na Casa Portugal. Foto: Heinrich Aikawa/ Instituto Lula 

Menos de uma semana depois de ser instalada, a placa que identificava o viaduto paulistano batizado com o nome de Dona Marisa Letícia, na zona sul da cidade, foi roubada.

No primeiro dia do ano, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), mandou cancelar o evento de inauguração do viaduto marcado para o dia 3.

Em nota, o tucano afirmou que discordar da “injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício”. Doria disse, no entanto, que respeitaria a escolha do nome por ser “prerrogativa da Câmara Municipal e fruto de um acordo entre a maioria dos vereadores –e apenas por isso respeitado pela administração municipal”.

A homenagem à mulher de Lula, morta em fevereiro de 2017, foi assinada pelo prefeito interino Milton Leite (DEM). Já há na Câmara projeto do vereador Fernando Holiday (DEM) para tirar o nome de Marisa Letícia do viaduto.

Em resposta a Doria, o PT organiza um ato de inauguração extraoficial da via na zona sul.


Daniela Lima – Painel
Via Debate Progressista 

LEIA TAMBÉM: 

BOLSONARO INSINUA FUGA DE LULA DO PAÍS!


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

BOLSONARO INSINUA FUGA DE LULA DO PAÍS!

 


Sem ter como esclarecer seu patrimônio de forma convincente, e agora sem o discurso de honestidade que tanto o consagrou, Bolsonaro partiu para o ataque ao ex-presidente Lula, de forma dissimulada, suja e cretina, como é a marca registrada do parlamentar.



Em vídeo postado numa rede social, o presidenciável de forma apatetada, cínica e mentirosa. Fala que Lula tentará fugir do Brasil, Lula participará de evento organizado pela FAO (organização da ONU voltada para a alimentação e a agricultura na capital etíope Adis Abeba).

A ida de Lula a Etiópiajá estava programada desde o mês de outubro de 2017 como já era sabido por todos.O ministro da Secretária-geral da Presidência da República, Moreira Franco, autorizou que dois assessores acompanhem Lula na viajem.

As acusações de Bolsonaro são alimentadas pela proximidade do julgamento do recurso da defesa do presidente Lula. Em dezembro o TRF-4 marcou de forma relâmpago o julgamento do recurso da defesa do ex-presidente, mas a viajem já havia sido marcada, por tanto não há de se falar de fuga como o pateta Bolsonaro tenta afirmar.


Bolsonaro de forma oportunista, descarada e patética, tenta criar um factoide para tentar manter sua imagem de homem honesto, que, diga-se de passagem, não lhe cabe mais e numa coube, afinal até o momento ele não conseguiu explicar seu crescimento patrimonial. Uma série de denuncias que lhes foram feita,ele tenta aos poucos voltar sua rotina tradicional que é a de atacar Lula e o PT, o bom seria que Bolsonaro pudesse explicar tudo e não especular sobre algo sem sentido, que seria uma possível e improvável fuga de Lula do Brasil. 

Na verdade o parlamentar sujo e sem caráter  que não tem moral para condenar quem quer que seja, deveria era se explicar às denuncias a ele apontadas ou na pior das hipóteses pelo menos explicar o porquê que para todo partido que ele entra existe uma demanda bem maior de membros pedindo é pra ele sair. 


Por: Pedro Oliveira
Edição: G. Hammer

Metalúrgicos se solidarizam com Lula e condenam julgamento sem provas

  



O dirigente foi ouvido nesta terça-feira (16) pelo Portal Vermelho e declarou que a orientação da Fitmetal aos sindicatos filiados é que se mobilizem e participem dos atos para denunciar a farsa do julgamento marcado em tempo recorde pelo Tribunal Regional Federal-4. “O golpe foi contra o povo brasileiro, então a nossa convocação é em favor da ampliação da democracia e não de restrições democráticas. Esse julgamento é parte de um conglomerado que resolver atuar contra o povo e que inclui a mídia, o judiciário, o parlamento”, afirmou Marcelino.

 

A sessão em Porto Alegre vai decidir sobre recurso do ex-presidente que contesta a condenação de nove anos e seis meses dada pelo juiz Sérgio Moro sobre o caso do apartamento tripléx do Guarujá. Caso a sentença de Moro seja confirmada, o ex-presidente poderá ter inviabilizada a candidatura à presidência da República. Pesquisa Datafolha de dezembro apontou que Lula confirmou liderança isolada nas pesquisas entre os candidatos à presidência da República.

 

“A partir de provas contundentes que existem contra as pessoas que estão no poder hoje, incluindo o atual presidente, deputados e senadores podemos assistir o julgamento e a condenação do ex-presidente Lula sem provas cabais”, criticou o dirigente. Na última semana, a juíza Luciana Correa, de Brasília, autorizou a penhora do tríplex a pedido de um credor da OAS. Para a defesa de Lula, a decisão deixa claro que o imóvel pertence à empreiteira, fato que poderia gerar pedido de vistas no julgamento. 
 

“Lula está disposto e muito animado, com vontade de fazer uma nova caravana pelo País. Ele também critica o julgamento sem provas a que é submetido e lamenta influência política no Judiciário”, afirmou à reportagem da Agência Sindical o presidente dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, Miguel Torres. Ele e o também dirigente da Força Sindical, Sérgio Butka, sindicalista do Paraná, visitaram ensta segunda-feira (15) o ex-presidente na companhia de Paulo Cayres, presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT).

 

Os dirigentes também conversaram sobre as ações de resistência à reforma trabalhista, eleições 2018 e conjuntura econômica. “Segundo a visão de Lula, não há saída possível ao nosso País que não seja por meio da retomada do crescimento, com emprego de qualidade”, afirmou Miguel. Na opinião de Marcelino, o atual governo caminha na contramão do que o movimento sindical defende.

O dirigente citou números da base metalúrgica da Fitmetal confirmando a queda nas vagas no segmento. “Como exemplo, podemos citar que os metalúrgicos de Betim e região contavam com quase 50 mil trabalhadores e hoje estão reduzidos há 20 mil. Em Caxias do Sul de 50 mil passamos para 30 mil trabalhadores metalúrgicos. No Rio de Janeiro, os metalúrgicos do setor naval foram praticamente extintos passando de mais de 80 mil para atuais 5 mil trabalhadores”.

 

De 2013 a 2017 foram extintas 530 mil vagas no setor metalúrgicos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Até 2013 houve crescimento e havia 2 milhões e 446 mil metalúrgicos trabalhando. Em agosto de 2017 os dados apontavam para 1 milhão e 911 mil trabalhadores do segmento empregados.

 

“A crise no setor metalúrgico se iniciou com a crise econômica internacional e foi aprofundada com uma política de governo que restringiu investimento público e paralisou obras públicas. Esse foi um dos efeitos do golpe”, denunciou Marcelino.

 


Fonte: Portal Vermelho
LEIA TAMBÉM: 

Evangélicos trabalham para eleger 150 na Câmara e 15 no Senado

Evangélicos trabalham para eleger 150 na Câmara e 15 no Senado

Bancada estuda criar estratégia para aumentar representatividade no Congresso fortalecendo agenda conservadora.


A bancada de setores das igrejas evangélicas no Congresso está montando uma estratégia para ampliar seu quadro de representantes na Câmara e no Senado. É o que apurou uma matéria do Valor. O objetivo do grupo é aumentar em 2019 de 93 para 150 o número de deputados federais e de três para 15 o de senadores e, com isso, fortalecer agenda conservadora e, se possível, um candidato único à Presidência em um eventual segundo turno. Na economia, a bancada defende as políticas adotadas no governo Michel Temer.

Para conseguir isso, os evangélicos vão tentar unir forças para lançar a candidatura de apenas um por Estado, no caso do Senado, evitando que a concorrência com dois ou mais pulverize os votos. Na Câmara, a estratégia será semelhante, porém como bem mais cadeiras serão disputadas, vão criar uma espécie de "distritão evangélico", dividindo as regiões por um ou alguns candidatos.

Segundo o Valor, a proposta vem sendo costurada desde outubro pelos senador Magno Malta (PR-ES) e os deputados João Campos (PRB-GO), Sóstenes Cavalcanti (DEM-RJ) e Antonio Bulhões (PRB-SP), com representantes das igrejas batistas, Assembleia de Deus, Evangelho Quadrangular, Universal do Reino de Deus, Internacional da Graça de Deus, Mundial do Poder de Deus, Terra Nova, Fonte da Vida e Sara Nossa Terra, entre outras.

A estratégia também inclui diálogo com a Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab), presidida pelo bisco Robson Rodovalho, líder da Sara Nossa Terra. "Temos de 28% a 33% de representatividade na população, mas somos apenas 15% do Congresso", avalia Rodovalho. Para ele, a Concepab tem condições para levantar as regiões onde "dá para eleger um ou dois [deputados]", completando que o "mapeamento" dependerá da conformação dos aliados nos estados.



 Fonte: GGN

Um breve comentário sobre a música ‘Até Quando?’ de Gabriel, o pensador



Um breve comentário sobre a música ‘Até Quando?’ de Gabriel, o pensador

gabriel-o-pensador-06 

A música “Até Quando?” de Gabriel, o pensador, composta em 2001, no auge da fome, do desemprego, da degradação da “era FHC” foi uma “convocação” ao povo brasileiro. Nela, o cantor pede que as pessoas saiam da inércia, que não sofram mais caladas, para mudarem o país.

A mudança veio em 2003, mas, infelizmente, a inércia não cessou. Talvez o período de esperança tenha ajudado nisso.

Agora, vivemos um nome período de degradação, a fome está de volta, o desemprego nos assola, a polícia nos mantém cada vez mais na lei do silêncio, na lei do mais fraco; a justiça continua prendendo pé-rapados, soltando deputados e absolvendo PMs – como os envolvidos no massacre de Carandiru.

Os tempos de angústia estão de volta e um novo chamado, também. A música ‘Até Quando?’, nesse momento, é tão atual quanto na época em que foi composta.

Até quando você vai levando porrada? Até quando vai ficar sem fazer nada? Até quando?



Por: Lucas Ponez
Via: Debate Progressista.

LEIA TAMBÉM: 

Luciano Huck, a Globo e a memória seletiva dos 'novos'políticos'


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Luciano Huck, a Globo e a memória seletiva dos 'novos'políticos'

Apresentador enche a boca para cobrar ética de políticos em programa da Globo, mas parece esquecer de práticas que não resistiriam a um "Arquivo Confidencial"

 luciano huck.jpg 
Mesmo cobrando ética, Luciano Huck construiu casa em área de preservação ambiental
 
 
Passados alguns dias da repercussão da entrevista – interpretadas como fala de candidato, em “campanha eleitoral” antecipada – de Luciano Huck, no palco do programa do Faustão no  domingo 7, o apresentador negou que irá se candidatar à Presidência da República em 2018. Não foi uma negativa categórica por meio de nota oficial à imprensa – apenas um comentário pelas redes sociais, mas sem efetivamente descartar sua candidatura. Disse ainda que continuará atuando em movimentos cívicos para “oxigenar a política brasileira com novas cabeças, novas ideias e, principalmente, novas práticas”.

Já a TV Globo levou três dias para informar em nota oficial, que cumpre a legislação eleitoral e que não apoia qualquer candidato nas eleições de 2018. A afirmação só veio após parlamentares do PT entrarem com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a emissora por abuso dos meios de comunicação e de poder econômico.

Quando questionada pela imprensa a emissora justificou que a participação de Luciano Huck e Angélica no Domingão do Faustão havia sido gravada antes de o apresentador afirmar que não concorreria à Presidência. Mas isso sem explicar por qual razão a entrevista só foi ao ar agora, “fora do tempo”, e nem por que o telespectador não foi avisado de que se tratava de uma gravação.

A argumentação não convenceu. Negações como essa são como a fumaça que confirma o fogo.

Se ainda restava alguma dúvida de que a aparição de Huck no programa tinha discurso de candidato, uma notinha de sexta-feira (12), da jornalista Daniela Lima, da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, deixou evidente a candidatura.

De acordo com a jornalista, "informação de que a entrevista de Luciano Huck ao “Domingão do Faustão” foi gravada em 11 de novembro esbarra em um dado. Durante a conversa, Fausto Silva diz que Huck 'deixou bem claro em comunicado enviado a todos os jornais que não seria candidato' a presidente."

O artigo em que o apresentador afirmou que não concorreria em 2018 foi publicado nos jornais no dia 27 de novembro. Portanto, o marketing político da Globo, no primeiro domingo do ano, foi quase dois meses depois de o apresentador anunciar que não seria candidato.

Além disso, a entrevista também ocorreu depois da divulgação de uma pesquisa Ipsos, no dia 23 de novembro, na qual Huck aparecia com e melhor avaliação de imagem junto ao eleitor.
Luciano Huck nunca abandonou o sonho de ser presidente da República.

No programa, o apresentador posou de bom moço, bom marido, o “novo”, o “não político”. Em relação à ideologia, Huck afirmou não ser de direita – e nem de esquerda. 

Não é de hoje que o todo queridinho da Globo mostra pretensões políticas. Em 2007, durante o governo do presidente Lula, o apresentador que hoje se diz representar “o novo”, o “não político”, nem esquerda e nem direita, se engajou ferozmente na campanha para retirar R$ 40 bilhões (valores da época) por ano do orçamento do SUS, detonando a CPMF.

Fazendo a vez do pato amarelo, Huck se apresentou como mestre de cerimônia “voluntário” para um show gratuito promovido pela Fiesp – de Paulo Skaf – em São Paulo, contra a CPMF. Recheado de atrações famosas, a imprensa anunciava que os organizadores esperavam atrair um público de dois milhões de pessoas, mas só sete mil apareceram. Ao ser avisado sobre o público pífio, Luciano Huck cancelou sua participação na última hora, pouco antes de subir ao palco, alegando “problemas de agenda”.

Mesmo assim, a bancada demotucana (DEM e PSDB) no Senado, com ajuda do Psol, conseguiu detonar a CPMF e o empresário Luciano Huck ficou um pouco mais rico, ao manter em sua conta o dinheiro que pagava de CPMF e era usado para financiar a saúde pública.

Voltando ao programa do Faustão, ao discorrer sobre o atual cenário político, Huck falou sobre ética com declarações como “pequenas corrupções levam às grandes corrupções”.

Aparentemente, o apresentador não deve ter lembrado – ou terá tentado se aproveitar da tradicional "memória curta" do brasileiro –  que em 2003, teve sua pousada em Fernando de Noronha (PE) interditada pelo Ibama, por ter sido construída em área de preservação ambiental.

 Pela lei da época, só moradores que possuíam autorização de ocupação de solo poderiam construir em Fernando de Noronha, declarada pela ONU Patrimônio Natural da Humanidade.

Mas isso não foi problema: Huck, deu um “jeitinho” e a Pousada Maravilha foi construída pelo apresentador juntamente com os empresários João Paulo Diniz, Pedro Paulo Diniz e Ed Sá, no terreno onde morou o ex-chefe do Parque Nacional Marinho, José Gaudêncio Filho, o dono formal do empreendimento. Em 2011, Huck e os sócios, venderam a pousada ao cientista político filiado ao PSDB, Antonio Lavareda.

Luciano Huck também falou no programa sobre combate à corrupção. Ao mesmo tempo cobrou mais ética. “Os brasileiros estão envergonhados da classe política”, disse. Isso tendo o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (MDB), criado o Decreto 41.921, que ficou conhecido como “Lei Luciano Huck”, para alterar a legislação sobre Áreas de Proteção Ambiental, e manter "protegida" uma mansão do apresentador numa reserva ambiental de Angra dos Reis (RJ), construída sobre rochas e um espelho d'água.

Faustão bem que poderia fazer novo convite a Luciano Huck e abrir o "Arquivo Confidencial" dele.


Fonte: RBA
LEIA TAMBÉM: 

Arquivo do blog