sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Xuxa: Se não fosse famosa, ia "beijar, namorar e dar muito"




Xuxa morena (Foto: Roberto Teixeira / EGO) 
O tema era a fama, mas o último “Na Moral”, de Pedro Bial, acabou sendo sobre a fama de Xuxa, a principal convidada da noite. Ela dominou o programa, repetindo revelações que fez na célebre entrevista ao “Fantástico”, sobre a violência sexual que sofreu na infância, mas também dando declarações bem engraçadas sobre o assunto.
Convidada a dizer o que faria se tivesse 15 segundos de anonimato, falou: “Eu ia beijar muito, eu ia namorar muito, eu ia dar muito… e ninguém ia escrever nada”.
Também observou: “A fama deixa a gente meio cega, surda e paralítica”. Chamando Bial de Pedro, foi chamada pelo apresentador de “Xuxazinha”.
O programa exibiu um dos momentos mais contrangedores da história do “Jornal Nacional” — a notícia, narrada com toda a solenidade por William Bonner, do nascimento de Sasha, e duas reportagens com o bebê e a mãe. Xuxa teve, então, a oportunidade de dizer que hoje compreende ter exposto em demasia a criança.

Em outro momento, provocada por Bial, a apresentadora disse que leu tudo que foi escrito sobre a entrevista ao “Fantástico” e ficou muito chateada por não ter sido compreendida. “Eu queria realmente ajudar”, disse, em tom de lamentação. Mesmo assim, voltou a contar que foi abusada por um namorado de sua avó.
Em clima de “Arquivo confidencial”, o programa mostrou depoimentos de parentes de Xuxa e de Viviane Senna, que falou da “paixão” do irmão, Ayrton, pela apresentadora. “A gente viu algo que você perdeu com a fama…”, completou Bial, referindo-se a Senna.
Foi a oportunidade para Xuxa repetir a história, contada no “Fantástico”, que planejava se encontrar com o piloto no fim-de-semana de sua morte, mesmo sabendo que ele tinha outra namorada.
Mesmo não tendo o seu nome citado, Adriane Galisteu reagiu ao comentário escrevendo, em seguida, no Twitter: “Papai do céu, dai-me paciência… Muita paciência!!! Na moral na moral! Só na moral!”
Xuxa também fez propaganda da marca de cosméticos que pagou para que ela mudasse a cor de seus cabelos e dançou com Bial no palco do programa. O apresentador encerrou a temporada do “Na Moral” prometendo voltar a se encontrar com o público em janeiro, no “Big Brother Brasil”.

Fonte: UOL

Defesa confirma autenticidade das fotos de Matsunaga. Veja as fotos aqui sem censura!!

Imagens seriam do dia em que o corpo do empresário foi encontrado em estrada

Polícia vai investigar como as fotos vazaram

O advogado de Elize Matsunaga, Luciano Santoro, confirmou que as fotos que vazaram na internet com supostas partes do corpo esquartejado de Marcos Matsunaga, executivo da Yoki morto em 19 de maio, são do empresário. De acordo com Santoro, as fotos são as mesmas que foram anexadas ao processo do caso.
— Acho um absurdo ter vazado esse tipo de foto. As imagens que eu vi são realmente as que estão no processo. Eram as mesmas fotos.
Conforme informou Flávio D’Urso, advogado da família de Matsunaga, o pedido para que o caso corresse em segredo de Justiça foi negado. Com isso, o processo é público e qualquer pessoa pode ter acesso às imagens. Segundo D’Urso, o vazamento das fotos já é "irreversível".
Santoro também acredita que agora não há mais como impedir a circulação dessas fotos. Para o advogado de Elize, a divulgação das imagens é um desrespeito com a vítima.
— Não vejo como controlar, mas espero que as pessoas não deem seguimento a essas imagens. Espero que não olhem e apaguem as fotos em respeito à memória do morto.
ATENÇÃO QUE SÃO CENAS FORTES:

 http://www.mortebrutal.com/2012/08/marcos-matsunaga-esquartejadoveja-aqui.html

Fontes: 180 Graus / Morte Brutal

Inscrições para Lei A. Tito Filho serão feitas até 3 de setembro

 Fundação Monsenhor Chaves
A chance de realizar projetos culturais com incentivo financeiro está de volta. Produtores culturais podem inscrever seus espetáculos ou mesmo gravar CDs e DVDs na Lei A. Tito Filho. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 3 de setembro, no horário das 8h às 13h, na sede da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, na rua Félix Pacheco, 1430, Centro.
 
O edital da Lei está disponível no site da FCMC [www.fcmc.pi.gov.br] e, de acordo com o regulamento, o projeto contempla as áreas de música, teatro, dança, cinema, fotografia e vídeo, literatura, folclore, artesanato, artes visuais, patrimônio histórico, cultural e natural, de natureza material e imaterial, bem como pesquisas nas áreas referidas. O objetivo do incentivo é a exibição, utilização e circulação pública dos bens culturais deles resultantes. O novo edital prevê o valor de R$ 1 milhão do Fundo Municipal de Cultura para os projetos.
 
Os projetos serão apreciados por uma comissão formada por especialistas escolhidos dentre pessoas de reconhecida competência nas diferentes áreas abrangidas pelo edital.
 
A LEI
A Lei A. Tito Filho (Lei nº 2.194) foi criada em 1993 e já possibilitou o financiamento de cerca de 180 projetos em várias áreas, o que tem contribuído para incrementar o cenário cultural da cidade. O incentivo fiscal às empresas dá-se com o ressarcimento total, pela Prefeitura de Teresina, através de desconto de ISS e IPTU (ou seja, 100% do valor investido no limite de 20% do imposto devido). O artista entrega seu projeto à Secretaria da Lei que o repassa ao Conselho Municipal de Cultura, para apreciação e posterior aprovação nas diversas áreas.
 
A Lei recebeu esse nome em homenagem ao Professor Arimatéa Tito Filho, escritor, que foi membro da Academia Piauiense de Letras e grande incentivador da produção e valorização da cultura teresinense.


Gabriel Hammer comenta: É importante que os órgãos responsáveis fiscalizem para que não aconteça uso indevido dos recursos, como já denunciamos aqui neste e blog e visto por milhares de pessoas e debatido nas redes sociais inclusive no proprio blog. Veja o link: http://gabrielhammer.blogspot.com.br/search?q=lei+a+tito+filho .
 
Fonte: Cidade Verde
Edição: Gabriel Hammer

Site oferece personal trainers pela Internet

wello-sc2 
O Wello criou um site que disponibiliza personal trainers via web (Foto: Reprodução)
O provedor Wello lançou um site especial para que as pessoas possam entrar em contato direto com personal trainers por meio da web. Com o uso de um chat e webcam, a página possibilita que qualquer pessoa receba instruções e sessões de treino por meio da Internet. Para usar o serviço, o usuário precisa apenas de um notebook, conexão com a Internet, uma webcam e muita força de vontade. A partir daí, é possível marcar aulas com um personal trainer. Também existe a possibilidade de fazer os exercícios em casa ou em qualquer lugar, sem a necessidade de ter de se locomover a outro local ou viajar, e com a comodidade de estar em seu lar e não ter de se constranger na frente de outras pessoas.
Há diversos tipos de exercícios para escolher, como Pilates, Yoga, artes marciais ou treinos de musculação. Depois que o usuário decide qual tipo de exercício quer fazer, o Wello coloca você em contato com um professor. Há também a possibilidade de escolher aulas de 20, 40 e 55 minutos.
Para os profissionais que estão do outro lado da câmera, o site oferece uma forma de pagamento que pode acabar com os aborrecimentos em relação às academias. As aulas podem ser marcadas em seu tempo livre, possibilitando, até, uma maior rede de clientes pela Internet.
Até agora, o serviço conta com 150 treinadores cadastrados. Todos eles passam por uma sessão de avaliação antes de serem contratados, que verificam seus certificados pessoais e trabalhos. Depois, os colocam em um período de treino para os empregados do Wello, para finalmente serem avaliados para trabalhar na companhia.
Via Techcrunch

Metade dos lares brasileiros estarão conectados este ano, diz ministro

Segundo o IBOPE, acesso à banda larga é responsável pelo aumento de brasileiros conectados à Internet (Foto: Reprodução) (Foto: Segundo o IBOPE, acesso à banda larga é responsável pelo aumento de brasileiros conectados à Internet (Foto: Reprodução))

O ministro Paulo Bernardo (Comunicações) defendeu que 28,5 milhões de casas brasileiras devem ter acesso à internet até o fim deste ano.
De acordo com Paulo Bernardo, no ano passado, mais 6,3 milhões de domicílios passaram a ter conexão. "Saltamos de 27% para 38% domicílios com internet em um ano", disse.
Embora os números de 2012 ainda não estejam disponíveis, o Ministério das Comunicações calcula que deve fechar o ano com internet presente em metade dos lares brasileiros.
O ministro também destacou que está em ampliação o número de domicílios com TV paga no país. O crescimento atinge uma taxa de 30% ao ano, desde 2010. Atualmente, quase 15 milhões de residências possuem o serviço.
4G
Paulo Bernardo também comentou sobre o uso da faixa de faixa de 700Mhz para uso da banda larga móvel 4G (quarta geração). Hoje, esta faixa é de uso exclusivo das TVs abertas para transmissão de seus sinais (do canal 2 ao 69).
"Esse uso não poderá, em momento algum, fazer com que cidadãos brasileiros corram o risco de ficar sem o mais universal de nossos serviços, que é a televisão, presente em pelo menos 95% de nossos domicílios", disse.
Para ele, a transição terá de ser feita de modo a que radiodifusores públicos e privados, de pequeno e de grande porte, tenham as condições econômicas suficientes para garantir a continuidade de seus negócios.
"É fundamental termos em mente que, com a faixa de 700 MHz, iremos romper mais uma fronteira da banda larga móvel, com competição e preços baixos. Isso porque, além de municípios de médio porte, ela é uma tecnologia adequada para as periferias dos grandes centros, que muitas vezes não têm cobertura satisfatória de rede fixa", completou.
O ministro acredita que a faixa de 700 MHz também irá complementar os esforços das operadoras para desenvolver as telecomunicações nas áreas rurais do país.

Fonte: Folha on line

Jornalista acusa Veja de inventar entrevista

O jornalista Renato Maurício Prado, do jornal O Globo, acusou a revista Veja de inventar uma entrevista com ele publicada na coluna “Beira-Mar”, da Veja Rio. A entrevista tratava da saída de Prado do canal SporTV, provocada por uma discussão, ao vivo, entre ele e o locutor Galvão Bueno. Depois da discussão, o canal decidiu não renovar o contrato de Prado.
“Não dei entrevista alguma à Veja Rio“, escreveu Prado em seu blog na terça-feira 28. O jornalista admitiu que conversou com uma repórter da publicação, mas que a conversa não era verídica. “Expressões a mim atribuídas, tais como ‘mundinho da TV’, ‘já deu’ e ‘o que passou, passou’, jamais saíram da minha boca”, afirmou. “O falso ‘pingue-pongue’ publicado na coluna ‘Beira-Mar’ me coloca dizendo até que continuarei fazendo ‘o meu programa na CBN’ — algo que nunca tive. Apenas participava do CBN Esporte Clube, comandado por Juca Kfouri, e extinto há mais de dois anos! Hoje em dia, faço comentários na Rádio Globo. Para finalizar, usaram, dando a impressão de que eu posara para a Veja, uma das fotos que fiz para a minha coluna no Globo. Em suma, um engodo…”, escreveu o jornalista.
Prado e Galvão Bueno brigaram durante uma mesa-redonda realizada durante os Jogos Olímpicos de Londres. O programa recebia Marcus Vinícius Freire, superintendente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e medalhista de prata no vôlei nos Jogos de Los Angeles, em 1984. Prado, então, afirmou no ar que Galvão Bueno atribuía a conquista do Brasil ao boicote feito pelos países socialistas naquela edição dos Jogos. Galvão Bueno ficou indignado com o comentário e os dois discutiram no ar. Depois disso, Prado se recusou a voltar ao programa e rompeu com a SporTV.
VEJA A DISCURSÃO:
 Fontes: Carta Capital / Blog Uol / You Tube
Edição: Gabriel Hammer

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Captavox divulga nova pesquisa para vereador; Veja números

População foi ouvida durante três dias na semana passada.

 

O Instituto de Pesquisa Captavox divulga nesta quarta-feira (29) nova pesquisa de intenções de voto para vereadores de Teresina. Os números apontam que 51,2% dos eleitores ainda não sabem em quem votar.
Ao todo, foram realizadas mil entrevistas, em 55 bairros e todas as zonas da capital, entre os dias 20 a 22 de agosto de 2012. A margem de erro é de 2,98% para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número PI-00230/2012.

A pesquisa Captavox mostra ainda que, entre os eleitores, 7,6% declararam que votarão em branco ou nulo. Os nomes mais lembrados foram Paulo Roberto, Graça Amorim, Joninha, Dr. Pessoa, Teresa Britto e Zé Pinguelo.





  Fonte: Cidade Verde

Bumba meu boi do MA vira patrimônio cultural brasileiro

 
Grupos de bumba meu boi do estado do Maranhão recebem hoje (30) do Ministério da Cultura títulos de Patrimônio Cultural Brasileiro. A entrega será feita às 14h, no Teatro Alcione Nazaré, no centro de São Luís, durante o 2º Fórum Bumba Meu Boi do Maranhão – Patrimônio Cultural do Brasil.

A solenidade terá a presença da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e do presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luiz Fernando de Almeida.

Será assinado, na cerimônia, termo de cooperação técnica para salvaguarda do bumba meu boi, com a instalação de um comitê gestor. Haverá também o lançamento do vídeo São Marçal, A Festa dos Bois da Ilha e de uma cartilha com informações sobre a manifestação cultural.
Veja um DOC com Paula Saldanha:

Fonte: ABr
 
 Edição: Gabriel Hammer

O Poderoso Chefão é motivo de disputa entre Paramount e filho de autor

Anthony Puzo quer o direito de publicar sequências do romance do pai, Mario Puzo 

Poderoso Chefão 

Os direitos sobre o clássico O Poderoso Chefão estão sendo disputados na justiça pelo estúdio Paramount e por Anthony Puzo, filho de Mario Puzo, autor do livro que originou a trilogia dirigida por Francis Ford Coppola. As informações são da agência Associated Press.
O estúdio hollywoodiano é acusado de tentar impedir a publicação do romance The Family Corleone em dezembro do ano passado. Lançado sete meses antes, o livro de Anthony Puzo seria uma continuação do livro original publicado em 1969.
Em março deste ano, a Paramount processou Puzo e afirmou que o contrato original assinado em 1969 garante à empresa os direitos autorais sobre o romance O Poderoso Chefão e ainda sobre os personagens da história. Este é o ponto do qual as partes discordam.
Anthony Puzo não concorda com a afirmação do estúdio e pede à corte norte-americana o direito de publicar qualquer tipo de continuação sem que a Paramount possa automaticamente adaptar a obra para o cinema. Segundo os advogados do escritor, obras literárias foram deixadas de fora do acordo assinado em 1969.
MATE A SAUDADE DO FILME AQUI
O PODEROSO CHEFÃO 2 (COMPLETO E DUBLADO):
Fonte: Rolling Stones Brasil

Pressão evangélica faz Renato Aragão desistir de filme

Didi desistiu
Renato Aragão desistiu de fazer o filme O Segundo Filho de Deus, projeto já aprovado pela Ancine para captação de recursos no mercado.
Nos últimos dias, Renato foi vítima de ataques em sites evangélicos na internet. Os portais especularam que o roteiro mostraria Didi vindo à Terra para cumprir uma missão que Jesus Cristo não conseguiu.
A Focus Filmes, produtora do projeto, nega que a história do longa seria essa e a Ancine não detalha o roteiro no site.
A repercussão ruim aliada a falta de apoio da Sony Pictures fizeram Renato Aragão deixar a ideia de lado por enquanto.
Por Lauro Jardim
Fonte: Veja

Pacote de energia será anunciado semana que vem

Presidente Dilma Rousseff afirmou que redução de custos se dará por meio da diminuição dos encargos setoriais que oneram a energia

a presidente da República, Dilma Rousseff
     Dilma tenta reduzir custo da energia e, conseqüentemente, o 'custo Brasil' (Sergio Moraes/Reuters)
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira que o pacote de medidas que vão reduzir o custo da energia elétrica será anunciado na semana que vem. A redução do custo, segundo ela, se dará por meio da diminuição dos encargos setoriais que oneram a energia. Ela participa do 39ª reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o Conselhão.
"Essa redução de custo é a única forma que temos para enfrentar as décadas que virão", afirmou. "Iremos fazer um conjunto de medidas para reduzir o custo da energia baseado na reversão das concessões depois de vencido o prazo", disse. 
Dilma disse que o Brasil precisa ter mais eficiência no que diz respeito à logística, energia e tributação para dar competitividade à economia. "Ninguém muda a estrutura tributária de um país de um dia para outro", afirmou e disse o Brasil precisa de uma tributação mais "racional" para não impedir o investimento. "A questão do fim da guerra dos portos é algo fundamental", acrescentou. 
Infraestrutura - A presidente afirmou que competitividade é uma palavra-chave para o Brasil se desenvolver. "Não seremos um país justo se não formos capazes de ser um país competitivo", afirmou, garantindo que o governo vai apoiar e dar suporte à competitividade brasileira, desubstruindo gargalos logísticos e de custo.
Ela citou ainda a criação da Empresa de Planejamento Logístico (EPL) como uma das medidas que vão auxiliar a melhora da infraestrutura nacional. "É impossível este país não ter uma visão planejada e estruturada de longo prazo", afirmou.
Ao falar sobre infraestrutura, a presidente afirmou que o Brasil ainda está aquém do que foi feito no século 20 em países desenvolvidos. "A malha ferroviária está aquém do que o Brasil precisa para crescer", afirmou. Dilma criticou também a privatização das ferrovias feita nos anos 1990 por governos anteriores, avaliada como "absolutamente sem consistência" e destacou que o governo está mudando o modelo e não quer mais o monopólio das redes. 
"Onde tem demanda, faremos concessão. Onde não tem, será obra pública", se referindo ao pacote de concessões para rodovias e ferrovias lançado há duas semanas. A presidente reiterou a importância das parcerias entre o setor público e o privado e afirmou que "o fim do monopólio da rede é o fim das tarifas que não são compatíveis."
Sistema financeiro - Em discurso Dilma falou que foi criado no Brasil um ambiente para que a taxa de juros caísse. Na última quarta-feira, o Comitê de Política Econômica (Copom) decidiu cortar em 0,5 ponto percentual os juros básicos do país (taxa Selic), que agora se encontra no patamar de 7,5% ao ano. "Hoje, os juros têm um patamar bem mais civilizado que há um ano", comentou. 
Para ela, o Brasil tem hoje solidez fiscal e um setor financeiro robusto, que permitirão futuramente spreads bancários condizentes aos praticados no restante do mundo. Para ela, isso será feito de forma progressiva, sem prejuízo à economia e ao controle da inflação. "Mudamos uma relação macroeconômica importante, que é a relação entre juros e câmbio", afirmou.
(Com Agência Estado)

O Orkut virou um Frankenstein

Com o declínio cada vez maior do Orkut, Google quer ajudar os usuários a migrar para o Google+ integrando as redes

Boris Karloff como Frankenstein, em 1931  

Um monstro: empresa ainda ganha dinheiro com espaços publicitários no Orkut e não pode simplesmente desistir deles

São Paulo - De uns tempos para cá, o Google Brasil começou a integrar o Orkut com o Google+, mudando a interface da sua antiga rede social. A questão é: por quê? O processo começou com a fusão de perfis, no fim de maio. Isso permitiu que a foto e o nome de usuário exibidos nas duas redes fosse o mesmo, além de levar todos os posts públicos feitos no Google+ para o Orkut. A mudança prosseguiu com a exibição da foto de capa e com a publicação de álbuns de fotos públicos do Google+ no Orkut, no fim de julho. Depois, acrescentaram uma barra do Google+ dentro do Orkut. E, no início de agosto, o Orkut passou a exibir uma caixa indicando conteúdo interessante do Google+.
O motivo mais óbvio desse movimento é o declínio do Orkut, cada vez maior. Tudo isso ajuda os usuários a migrarem para o Google+. O Facebook conseguiu firmar-se como a principal rede social do país e a ideia é tentar frear o êxodo na sua direção (ou pelo menos garantir que as pessoas também entrem no novo serviço do Google se resolverem sair). Os novos recursos são, em parte, propagandas disfarçadas. Claro que facilitam a vida de quem quer usar as duas redes, mas quem, de fato, faz isso? Pouquíssimas pessoas.
Então por que o Google não fecha o Orkut de uma vez e migra todas as contas para o Google+? Porque isso seria péssimo financeiramente. A empresa ainda ganha dinheiro com espaços publicitários no Orkut e não pode simplesmente desistir deles. As quantias provavelmente têm diminuído, mas deve haver um limite mínimo que ainda não foi atingido. Quando o Orkut tornar-se um grande prejuízo, não vai adiantar chorar. Como muitos produtos, ele será encerrado. Por onde andará Danilo Miedi?

Fonte: Exame

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O boom dos blogs de moda já passou, diz Blogueira Shame

Defensora da transparência na blogosfera fashion, Priscilla Rezende criou uma página para expor as "mancadas" das blogueiras de moda. Segundo ela, leitores estão cansados da publicidade velada na internet

Ana Clara Costa
Blogueira Shame: boom dos blogs de moda acabou e blogueiras devem se profissionalizar
Blogueira Shame: boom dos blogs de moda acabou e blogueiras devem se profissionalizar (Arquivo pessoal)
A mineira Priscilla Rezende, 37 anos, vem criando inimizades na web há cerca de um ano. Seu blog, o Blogueira Shame, provoca reações de amor e ódio entre internautas aficcionados por moda e beleza. Em mais de 2.900 posts, ela relata, com a ajuda de leitores, todos os "escorregões" das blogueiras de moda: desde erros de ortografia e gramática até a publicidade velada – quando blogueiras elogiam um produto em troca de algum tipo de remuneração ou "presente", sem deixar este fato explícito ao leitor. 
O teor escrachado – e em alguns casos cruel – de alguns posts publicados por Priscilla fez com que seu blog ganhasse muitos cliques – com visitas tanto de admiradores quanto de críticos, como as próprias blogueiras. Mais de 22 milhões de internautas já acessaram o Blogueira Shame desde setembro de 2011, com uma média de 200 mil pageviews diários. Segundo Priscilla, o blog não lhe rende nenhum lucro. "Só dores de cabeça", disse a blogueira em entrevista ao site de VEJA.
Até julho deste ano, a identidade da Blogueira Shame era sigilosa. Mas, por um descuido de Priscilla ao se conectar em uma de suas redes sociais, foi descoberta. A notícia causou furor na web, lançou a autora na mídia e tornou seu blog ainda mais conhecido. Hoje, ela é convidada a discutir moda e internet em eventos renomados como o 'YouPix' e, de blogueira, tornou-se analista de redes sociais para empresas – apesar de sua profissão ser farmacêutica. "Quem realmente entende de moda, me adora. Jornalistas que admirei a vida inteira, de repente, viraram fãs do meu trabalho. A Julia Petit, por exemplo, sempre foi minha ídola. Sem o blog eu nunca a teria conhecido pessoalmente", afirma. Confira trechos da entrevista:
Há quanto tempo você inspeciona a atuação das blogueiras de moda na internet?
Desde setembro do ano passado, quando meu blog foi criado. 
Quando nasceu em você essa percepção crítica em relação aos blogs?
Eu tinha um blog de moda (o Sacola Phyna), vivia nesse meio e conheci muitas blogueiras. Aí eu ficava sabendo das histórias de bastidores e via as mentiras que elas contavam para as leitoras nos blogs e no Twitter. Antes mesmo de ter o Blogueira Shame, eu já criticava isso no meu Twitter pessoal. Venho alertando e criticando há uns três anos.
Qual foi a história mais controversa que já ouviu sobre publicidade velada em blogs?
Há muitas. É difícil colocar uma em específico. O mais triste é que a grande maioria fala que comprou o produto ou ganhou de aniversário. Acho isso inaceitável. É uma mentira muito grande que engana as leitoras com muita facilidade. Recebo muitos emails de meninas me agradecendo por ter aberto seus olhos em relação a isso. Leitoras que gastaram tudo o que tinham para comprar os produtos que as blogueiras indicaram como "dica de amiga", que "não vivem mais sem aquilo", quando, na verdade, elas nem usaram o produto. Acho isso a pior parte, pois elas enganam adolescentes e fazem com que gastem tudo que têm e o que não têm para tentar acompanhar as "ídolas".
Seu blog de críticas lhe trouxe inimizades na blogosfera?
Mais amizades do que inimizades. Quem não gosta de mim são as blogueiras gongadas. Quem realmente entende de moda, me adora. Jornalistas que admirei a vida inteira, de repente, viraram fãs do meu trabalho. A Julia Petit, por exemplo, sempre foi minha ídola, em vários aspectos. Sem o blog eu nunca a teria conhecido pessoalmente.
Você é remunerada pelo seu trabalho no Blogueira Shame?
Não, não ganho absolutamente nada. Só dores de cabeça. O meu antigo blog de moda não existe mais. Hoje, eu trabalho com produção de conteúdo e gerenciamento de redes sociais para empresas. Mas, na verdade, sou farmacêutica.
Como o mundo da moda chegou até você?
Ah, eu sempre gostei. Nunca fui vítima da moda, mas sempre gostei de ler sobre os grandes estilistas, acompanhar o que acontecia. Por isso acho essas blogueiras tão burras. Elas não conhecem nada de história da moda e só sabem alguma coisa sobre a Chanel por causa do filme.
Os blogs de consumo, uma febre no mundo todo, são grandes estimuladores do comércio online de roupas e cosméticos. Na sua opinião, essa confusão ética que está acontecendo agora vai, de alguma forma, trazer mais transparência à atuação das blogueiras brasileiras?
Acho que sim. Se não der em nada, pelo menos elas vão aprender que o negócio é sério, que existe o Código de Defesa do Consumidor e que elas devem segui-lo como qualquer outro veículo de publicidade. Entenderão que as coisas não funcionam como elas querem só porque estão escrevendo em blogs. É preciso que saibam que, a partir do momento que vendem espaços para publicidade, as regras são outras. Aliás, quem trabalha sério já faz isso desde sempre, não é?
Acredita que há certa saturação de blogs de moda? Leitores e marcas já estariam saturados desse tipo de mídia?
Já está havendo isso. Os leitores já estão se cansando e os blogs estão perdendo credibilidade com o público em geral, agências e marcas. São raros os blogs que continuam crescendo. O boom já passou e há dados para comprovar isso. Muitos blogs famosos só têm fama mesmo, pois os números são ridículos.
Você acha que haverá uma nova fase de blogs de moda, diferentes dos atuais?
Acho que elas vão procurar se especializar mais e aumentar o leque de assuntos abordados. Não vão acabar, mas acho que vão procurar cada vez mais um diferencial, profissionalizar, deixar de lado esse modelo de "blog pessoal", de "meu cantinho virtual" porque elas sabem que isso não existe mais. Há alguns anos, blogs eram espaços pessoais das meninas. Elas realmente davam opiniões verdadeiras sobre produtos e não eram pagas para dizer que adoraram o batom X. É claro que ainda existem blogs pequenos que fazem isso, mas os de grande alcance acabaram com esse caráter pessoal há tempos. Hoje elas falam bem de quem paga bem.
A tendência é que haja cada vez mais os "publiposts" (postagens em que a blogueira afirma que está sendo paga para isso)?
Certamente, porque o blog sempre será um veículo barato de publicidade em comparação com outros
O modelo de resenha de produtos cedidos por empresas, que é muito utilizado por jornalistas de tecnologia, não seria uma forma de tornar blogs mais transparentes?
Esses testes já acontecem. Mas eles são pagos e, geralmente, as opiniões são sempre favoráveis – mesmo que a blogueira não tenha gostado do produto.
Blogueiras criticam para valer alguns produtos em seus posts?
Não muito, apenas dizem que não gostaram.
Por quê?
Em primeiro lugar, vem o medo de ficar queimada com a marca, com a assessoria e não receber mais produtos. Em segundo, uma pessoa que faz isso não tem senso crítico nenhum.
Quais blogs de moda você indica?
Gosto muito do Oficina de Estilo e do Petiscos (de Julia Petit). Dos estrangeiros, gosto dos blogs de street style, como o The Sartorialist e da Garance Doré, que mostram a moda de verdade.

Fonte: Veja

Primeira imagem do remake de Carrie – A Estranha é divulgada

A foto mostra Chloë Moretz na clássica cena do banho de sangue. Uma foto de Julianne Moore, que interpreta a mãe de Carrie, também foi revelada 
Chloë Moretz - Carrie - A Estranha 
A última edição da revista Enterainment Weekly divulgou as primeiras imagens do remake de Carrie – A Estranha. Na foto, a atriz Chloë Moretz (Kick-Ass, de 2010), que interpreta Carrie, é vista na icônica cena do banho de sangue. Uma foto de Julianne Moore, como mãe da protagonista, também foi revelada. A revista ainda aproveitou e comparou as fotos com as cenas do filme original, lançado em 1976. 
O remake foi escrito por Roberto Aguirre-Sacasa e está sendo dirigido por Kimberly Peirce, de Meninos Não Choram (1999) e da série televisiva The L World. Além de Chloë e Julianne, o elenco é composto por Gabriella Wilde (de Os Três Mosqueteiros, 2011), Portia Doubleday, Judy Greer, Alex Russell e Ansel Elgort. O filme estreia em 15 de março de 2013, no Brasil.
VEJA PARTE DA VERSÃO COMPACTA:

 Fonte: Rolling Stones Brasil

Novo Marco Regulatório: É preciso diversidade e fim do monopólio nas comunicações

 
Com cruzes e caixão, o Código Brasileiro de Comunições, que completou 50 anos ontem (27), foi “enterrado” no início da noite nas escadarias do Teatro Municipal de São Paulo. No cortejo fúnebre que várias entidades, entre as quais a CUT/SP,
Participaram do ato público para destacar a urgência de um Novo Marco Regulatório das Comunicações, e alertar para a falta de liberdade de expressão nas mídias atuais.
“Por que o programa Zorra Total tem um quadro que discrimina e fortalece a discriminação racial em nosso país e a população não tem um canal onde reclamar? E por que a mulher aparece sempre como produto na propaganda de cerveja ou de carro?”, questionou Adriana Magalhães, secretária de Imprensa e Comunicação da CUT/SP.
“Não é possível que a Rede Globo detenha mais de 300 veículos de comunicação no país, que possa dizer e ditar para todos a sua política de comunicação. Temos um país de diversidade, de homens e mulheres, negros e negras, que hoje não se veem nos meios de comunicação”, afirmou a dirigente cutista durante a manifestação pelas ruas do centro paulistano.
Jota Reis, do Sindicato dos Radialistas de São Paulo, também criticou o monopólio das comunicações no país, disse que nenhuma emissora de rádio ou TV divulga as greves da categoria e que os movimentos sindical e social são sempre classificados como “baderneiros” pelas mídias tradicionais. Sobre a falta de diversidade na programação, “é importante que tenhamos programas locais que espelhem a cultura do Brasil e não apenas as culturas americana e de outros países”, apontou Ernesto Shuji Izumi, Secretário de Imprensa e Comunicação do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.
Marilena Chauí: "o que a mídia brasileira faz é violência cotidiana"
“Violência é todo ato de violação física ou psíquica. E o que a mídia brasileira faz é violência cotidiana” avalia a filósofa Marilena Chauí, professora da Universidade de São Paulo. Ela participou do debate que lançou na noite de ontem a campanha nacional “Para Expressar a Liberdade”, no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.
Ela participou do debate que lançou na noite de ontem a campanha nacional “Para Expressar a Liberdade”, no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.
Ao resgatar o conceito de opinião pública, ligado muito mais ao uso público da razão e à reflexão feita em público, ela apontou a manipulação promovida pelos meios de comunição “que transmitem preferências e não informações, e que transformam estas preferências em publicidade. No lugar da opinião pública, temos a manifestação de sentimentos, de gostos individuais”, comentou.
A filósofa alertou para o paradoxo entre opinião pública e formadores de opinião e afirmou que “ninguém pode formar opinião por mim, nem pelo meu grupo ou classe. Se há um ‘formador de opinião’, então, não há opinião pública!”. No uso das redes sociais, ela afirmou que “há uma saturação de informações, mas, ao fim, chega-se à conclusão de que não sabe de coisa alguma. E desinformar é controlar”, afirmou Chauí.
No lançamento da campanha nacional em São Paulo, Rosane Bertotti, coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e secretária de Comunicação da CUT Brasil, lembrou que o antigo Código nasceu em 1962 para dar condições à ditadura implantada no Brasil em 1964. “Falamos da importância do desenvolvimento econômico e social, mas como fazer isso sem acesso à informação? Precisamos fazer com que corações e mentes tomem este debate, que deve seguir para as redes sociais, para as ruas, para a mobilização”, defendeu.
Eleições 2012- Bia Barbosa, da Frente Paulista pelo Direito à Comunicação e Liberdade de Expressão (Frentex), finalizou o evento apresentando a Plataforma Eleições 2012 aos candidatos a prefeito e vereadores de São Paulo. Com 15 itens, a plataforma conta com adesão de cerca de 30 candidatos e define ações no âmbito municipal que visam garantir o direito à comunicação, ampliar as possibilidades de construção de um sistema midiático plural e dar voz à diversidade local da sociedade brasileira.
Respeito à Lei de Acesso à Informação, adoção de softwares livres na administração municipal, promoção da inclusão digital, fortalecimento da educomunicação como política pública e constituição de um Conselho Municipal de Comunicação estão entre as ações definidas pela plataforma.
FNDC nas redes: 

terça-feira, 28 de agosto de 2012

UFPI divulga edital do concurso para vagas no Hospital Universitário


A Universidade vai contratar 379 profissionais por tempo determinado. Extrato foi publicado e edital sai hoje (28).

Saiu na manhã desta terça-feira (28), no Diário Oficial, o extrato do edital do concurso seletivo simplificado para o Hospital Universitário (HU) da UFPI.




O extrato do edital torna pública a realização de processo seletivo simplificado para a contratação por tempo determinado de profissionais visando ao preenchimento de 379 vagas com lotação no Hospital Universitário do Piauí - HU-PI.

Até o final desta terça-feira (28), o edital na íntegra e outras publicações referentes ao processo seletivo simplificado em questão estarão disponíveis nos endereços eletrônicos: www.mec.gov.br/ebserh ou www.iades.com.br.

Confira o extrato no Diário Oficial da União

Laudo exclui 22 suspeitos e diz que crime não foi homicídio



CASO FERNANDA LAGES: Exames de DNA comprovam que a estudante não foi jogada do 5° andar da obra do MPF.

O resultado do exame de DNA feito no material colhido na obra do Ministério Público Federal (MPF) atesta que a universitária Fernanda Lages não foi assassinada. Segundo os laudos, não havia outra pessoa no 5° andar do prédio, no momento em que a jovem caiu, em 25 de agosto de 2011.


Com a conclusão, 22 suspeitos investigados pela Polícia Civil foram excluídos do inquérito. O laudo, que chegou ao Piauí apenas em novembro do ano passado, atesta ainda que não havia DNA da Fernanda em nenhum outro lugar da obra, o que seria uma prova de que ninguém a machucou durante o percurso.  

Fotos: Thiago Amaral / Cidadeverde.com
Local onde foi estacionado o carro da estudante

Como os resultados ficaram prontos após a conclusão do inquérito da Polícia Civil, os policiais decidiram fazer um novo relatório e, em sigilo, entregaram à Polícia Federal e a 1° Vara Criminal de Teresina.

No novo relatório, o depoimento do vigia que estava em frente à obra ajuda a comprovar os fatos. Ele afirma que viu Fernanda Lages chegar sozinha no carro, estacionar em frente à construção, esperar por 10 minutos ouvindo música alta e em seguida entrar sozinha no prédio.

Reconstituição do crime mostra Fernanda chegando sozinha à obra

Policial mostra como Fernanda teria subido na mureta

Os resultados que chegaram depois da conclusão do inquérito da Polícia Civil correspondem ao laudo do local do crime, feito com a ajuda da Polícia Federal, e aos exames de DNA feitos no laboratório da Paraíba.


Apesar de descartar homicídio, o relatório da polícia não afirma que foi suicídio, pois não existe testemunha que tenha presenciado o ato.

Fonte: Cidade Verde

Rouanet é 'página virada', diz criador de lei de incentivo

Em rara entrevista, Sergio Paulo Rouanet afirma que ter sido secretário da Cultura de Collor foi um 'equívoco'. Criado após fim da Lei Sarney, fomento via isenção fiscal injetou R$ 9,1 bilhões na área cultural, de 1991 a 2011
Conhecido por emprestar o nome à principal lei de incentivo à cultura no país, o diplomata, filósofo e membro da Academia Brasileira de Letras Sergio Paulo Rouanet, 78, diz que o mecanismo é uma "página virada" para ele e que ter sido secretário da Cultura do governo Collor (1990-92), durante o qual formatou a lei, foi um "equívoco".
"Do ponto de vista dos meus interesses e da minha personalidade, foi um equívoco. Não era isso que eu queria fazer. Eu aceitei [o convite para o cargo]. Achei que poderia dar uma contribuição, mas não sou um homem da política, e sim um homem da reflexão", afirmou Rouanet à Folha, em rara entrevista, na última sexta-feira.
Ele não gosta de ser associado a sua principal criação e, por consequência, rejeita entrevistas sobre o tema. Em janeiro, ao ser procurado pela Folha em razão dos 20 anos da lei, disse que falaria sobre "qualquer coisa, mas sobre a Lei Rouanet não falo, nem adianta insistir".
Na última sexta, porém, aceitou conceder uma entrevista de cinco minutos (sem tema definido) após participar do ciclo de palestras "Mutações", no Sesc Vila Mariana (zona sul de São Paulo).
Em sua conferência, de quase uma hora, citou autores como Walter Benjamin (1892-1940) e Sigmund Freud (1856-1939) para tratar de temas como o fim das utopias, os conceitos de tempo e, coincidência ou não, o esquecimento do passado.
Antes da entrevista, Rouanet foi abordado por duas mulheres que queriam lhe agradecer pela lei que ajuda a manter, há dez anos, um projeto delas sobre memória.
"Acho que o grande complexo de inferioridade do intelectual é o de se sentir inútil. Quando um intelectual consegue fazer coisas úteis, e acho que consegui fazê-las, isso dá uma grande alegria. Me sinto muito feliz", disse.
Em 2011, as captações via Lei Rouanet alcançaram R$ 1,3 bilhão. Em 20 anos de vigência, foram captados R$ 9,1 bilhões para 31.125 projetos.
GOVERNO COLLOR
Guiado pela tríade de Estado mínimo, combate à inflação e redução de gastos públicos, o governo Collor promoveu um desmonte na Cultura. O ministério virou uma secretaria ligada à Presidência, órgãos como Funarte e Embrafilme (que incentivava a produção cinematográfica do país) foram extintos, e 35% dos quase 5.000 funcionários da pasta, demitidos.
A gestão do ex-presidente Collor, que deixou o poder em 1992, também pôs fim à Lei Sarney, que concedia benefícios fiscais para doadores e patrocinadores de projetos culturais.
Rouanet assumiu o cargo numa espécie de pedido de trégua do governo para o setor cultural, que estava revoltado com as mudanças feitas por antecessores dele, como o cineasta Ipojuca Pontes.
"Não me arrependo [de ter sido secretário do governo Collor], mas aquilo não correspondeu ao que eu sou. A minha vocação não é fazer política", reitera Rouanet.
Sobre a lei de 1991 que leva seu sobrenome, admite que o mecanismo não conseguiu diminuir o peso estatal no fomento à cultura (como se planejava) -em 2011, a cada R$ 100 investidos via Lei Rouanet, apenas R$ 7,52 não saíram de cofres públicos.
Atualmente, a Lei Rouanet está em vias de ser substituída pelo Procultura, projeto em tramitação no Congresso que, pelo texto atual, tenta reduzir a concentração regional de recursos (67% foram para o Sudeste em 20 anos de vigência da lei) e aumentar o poder do governo de definir para onde eles vão.
Sergio Paulo Rouanet diz acompanhar as discussões do Procultura de vez em quando. "Gerei essa lei, mas o assunto não me interessa mais. É um capítulo encerrado, que foi bom enquanto durou", conclui
 Fonte: Folha de São Paulo

O estado precisa atuar para garantir a liberdade de expressão', diz professor

Um mascarado exibe um cartaz pedindo liberdade de expressão diante da embaixada do Equador em Londres nesta quinta
Gustavo Ferreira Santos é professor de direito constitucional das universidades Católica e Federal de Pernambuco. Participando de um debate sobre liberdade de expressão realizado na Unicap na noite dessa terça-feira (21/08), o docente contou a história da construção desse direito fundamental e não poupou o poder público da obrigação de garanti-lo a todos os cidadãos. “Pode ter havido um tempo em que você podia subir num banquinho e falar para quem quisesse ouvir e isso bastava. Hoje em dia, com a predominância da comunicação de massa e dos meios eletrônicos, é preciso que o estado se ocupe de políticas para que todas as pessoas possam exercer essa liberdade plenamente. Seja fortalecendo os meios de comunicação públicos, populares e comunitários, seja através de políticas reguladoras que garantam a diversidade nos meios existentes”. O evento foi uma atividade preparatória para o lançamento da Campanha Nacional pela Liberdade de Expressão e foi promovido pelo Fórum Pernambucano de Comunicação e pela União dos Estudantes de Pernambuco, além da própria universidade.
Para o presidente da UEP Tauã Fernandes, um novo marco regulatório da comunicação é o grande guarda-chuva para estas políticas. “Parte significativa da nossa comunicação eletrônica é regida ainda pelo Código Geral das Telecomunicações, uma legislação de 62. Cinquenta anos depois, é preciso um novo conjunto de leis para que todo mundo possa ter vez. “Universalização da banda larga, maior transparência na distribuição de concessões de rádio e e tevê, fortalecimento da comunicação pública e independente, fim da repressão a rádios comunitárias, regulamentação da propaganda para crianças… São muitas as áreas em que esse novo marco deverá interferir”, afirmou a liderança estudantil.
Raquel Lasalvia, representante do Fopecom na discussão, lembrou que a construção dessa liberdade passa também por atitudes governamentais que também devem acontecer no âmbito municipal e estadual. “A criação da Empresa Pernambuco de Comunicação, que deverá gerir a TV Pernambuco, por exemplo, é um passo importante que precisa ser dado. Da mesma forma que, no Recife, é preciso que a Rádio Frei Caneca saia do papel”, argumentou, referindo-se à rádio pública aprovada por lei há 50 anos e que jamais foi implementada no município. Raquel também chamou a atenção para os vinte princípios da comunicação democrática que norteiam a Campanha Pela Liberdade de Expressão (veja aqui) e para a carta recentemente divulgada pelo Fórum, endereçada aos candidatos e candidatas nas próximas eleições municipais.
A plenária reagiu com contribuições importantes. O radialista Patrick Tor4, da Associação de Rádios Públicas do Brasil convocou as pessoas a refletir a liberdade de expressão no dia-a-dia. Presidenta do DA de Jornalismo da Unicap, Ellen Lacerda chamou a responsabilidade para os estudantes de seu curso. “Os futuros jornalistas deveriam ser os mais interessados, deveriam ter nessa luta uma prioridade”. A jornalista Maíra Brandão lembrou a importância da interlocução com o segmento que defende o direito à cultura e o advogado Thiago Rocha Leandro criticou a interpretação da mídia comercial e hegemônica das lutas populares. “Quando há uma manifestação nas ruas, o foco principal das matérias é o prejuízo ao tráfego, ao invés da luta por direitos. Ao mesmo tempo, outro dia, durante um protesto pacífico de barraqueiros, jornalistas não deram bola à pauta até que o pessoal interditou a via com pneus queimados”.
A Campanha Nacional pela Liberdade de Expressão será lançada em Pernambuco no próximo domingo, dia 26 de agosto, na “Praia do La Greca”, que será montada no jardim do museu Murillo La Greca, no bairro do Parnamirim, à beira do Rio Capibaribe. O evento terá início às 10h e deve ir até a noite, quando será exibida uma série de vídeos sobre liberdade de expressão e direito à comunicação.
Fonte:  Observatório do Direito à Comunicação

Anatel pune OI e 104 cidades do Piauí vão usar orelhão de graça

Anatel pune OI e 104 cidades do Piauí vão usar orelhão de graça 

Teresina e vários municípios do interior serão beneficiados com punição aplicada a operadora pela Agência. Veja lista!

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) proibiu a OI de cobrar ligações locais, fixo-fixo, feitas em orelhões de104 cidades do Piauí, incluindo a capital Teresina.

Uma parte dos municípios entrou na lista de gratuidades pelo estado de conservação exigido pela Anatel não estar sendo cumprido. A empresa é obrigada a manter toda a planta de orelhões em pleno funcionamento. Neste caso, após a normalização do atendimento, os orelhões podem voltar a cobrar pelas chamadas dia 30 de outubro.

A outra parte de orelhões impedidos de tarifar as ligações, se deve ao não cumprimento da densidade mínima exigida pela Anatel, que é de quatro orelhões em pleno funcionamento para cada mil habitantes em município. Caso regularizada a situação nestas cidades, a cobrança deve ser retomada apenas no dia 31 de dezembro.

Para usufruir da gratuidade, o usuário não precisará utilizar cartão e deverá apenas digitar o número do telefone fixo. 

Confira a lista das cidades que terão orelhão gratuito:

 Acaua 
 Alagoinha do Piaui
 Alto Longa 
 ALTOS 
 AMARANTE 
 ANGICAL DO PIAUI 
 ARRAIAL 
 Avelino Lopes 
 BAIXA GRANDE DO RIBEIRO 
 BARRO DURO 
 Batalha 
 Bela Vista do Piaui 
 Belem do Piaui 
 Betania do Piaui 
 Boa Hora 
 Bonfim do Piaui
 Brasileira 
 BURITI DOS MONTES 
 Cabeceiras do Piaui 
 Cajazeiras do Piaui 
 Caldeirao Grande do Piaui 
 CAMPINAS DO PIAUI 
 Campo Alegre do Fidalgo 
 Campo Grande do Piaui 
 Campo Largo do Piaui 
 Capitao Gervasio Oliveira 
 CARACOL 
 Caraubas do Piaui 
 Caridade do Piaui 
 CASTELO DO PIAUI 
 Caxingo
 Cocal 
 COCAL DOS ALVES 
 Coronel Jose Dias
 Cristalandia do Piaui 
 Currais 
 Curral Novo do Piaui 
 Dirceu Arcoverde 
 Dom Inocencio 
 Fartura do Piaui 
 FLORESTA DO PIAUI 
 Francisco Macedo 
 Guaribas 
 IPIRANGA DO PIAUI 
 JAICOS 
 JARDIM DO MULATO 
 Joao Costa 
 Joaquim Pires 
 JULIO BORGES 
 JUREMA 
 Lagoa de Sao Francisco 
 Lagoa do Barro do Piaui 
 LAGOA DO SITIO 
 LAGOINHA DO PIAUI 
 LUIS CORREIA 
 Madeiro 
 MASSAPE DO PIAUI 
 MATIAS OLIMPIO
 Miguel Alves 
 Milton Brandao 
 Monsenhor Hipolito 
 MONTE ALEGRE DO PIAUI 
 MORRO CABECA NO TEMPO 
 Morro do Chapeu do Piaui 
 MURICI DOS PORTELAS 
 NAZARE DO PIAUI 
 NAZARIA 
 Nossa Senhora de Nazare 
 Nossa Senhora dos Remedios 
 Nova Santa Rita 
 Novo Santo Antonio 
 Parnagua 
 Patos do Piaui 
 Pau D'Arco do Piaui 
 PAULISTANA 
 PEDRO II 
 Pedro Laurentino 
 PICOS 
 Pio IX 
 PIRIPIRI 
 Porto 
 Queimada Nova 
 REGENERACAO 
 Riacho Frio 
 Santa Luz 
 SANTANA DO PIAUI 
 SAO BRAZ DO PIAUI 
 Sao Francisco de Assis do Piaui 
 Sao Francisco do Piaui 
 SAO JOAO DA FRONTEIRA 
 Sao Joao da Serra 
 Sao Joao do Arraial 
 Sao Jose do Divino 
 Sao Lourenco do Piaui 
 Sao Miguel do Fidalgo 
 SAO MIGUEL DO TAPUIO 
 SAO PEDRO DO PIAUI 
 Sebastiao Leal 
 Simoes 
 Simplicio Mendes 
 TERESINA 
 Varzea Branca 
 Varzea Grande 
 Wall Ferraz

Fonte: Cidade Verde

Ficar apaixonado diminui o estresse

Cego e tranquilo – é assim que o amor vai te deixar. Pelo menos se o romance ainda for recente.
Um grupo de pesquisadores da Universidade de Bar-Ilan, em Israel, convidou 112 participantes, entre solteiros e pessoas que namoravam há menos de três meses, para assistir a seis vídeos (cada um com um tipo de mensagem: negativa, positiva ou neutra). Enquanto viam os filmes, eles passavam por exames de eletrocardiograma para mostrar as mudanças no ritmo dos batimentos cardíacos, controlado pela respiração.
Durante os filmes com mensagens negativas, os 55 solteiros tiveram menor variação no ritmo dos batimentos cardíacos – e isso é associado ao estresse (em situações de relaxamento o coração normalmente bate em vários ritmos diferentes). “Enquanto os solteiros tiveram diminuição na arritmia respiratória, que indica um estresse fisiológico, essa queda não foi observada entre os novos amantes”, conta Inna Schneiderman, líder da pesquisa. Os apaixonados registraram variações cardíacas normais e saudáveis.
Pesquisadores suspeitam que a ocitocina, chamado de “hormônio do amor” (responsável pelo sentimento de ligação que temos com nossos amigos, familiares e amores), seja a culpada. Esse hormônio é liberado, por exemplo, quando abraçamos ou beijamos alguém – e ele ajuda a dar ao corpo uma sensação de bem estar e a reduzir o estresse. Especula-se que o corpo dos apaixonados produza mais ocitocina do que o dos solteiros. Logo, eles ficam menos estressados.
Sem contar o otimismo dos recém-apaixonados – tudo é lindo. E aí nem mesmo os filmes negativos parecem abalar o bom humor deles. Não dá para discordar muito, né?
Crédito da foto: flickr.com/yopse
Fonte: Superinteressante

A cada 7 anos você troca metade dos seus amigos

Carol Castro 23 de agosto de 2012
Amigos para seeempre lalaia-laialaiala… para sempre mesmo? Ou só até os próximos sete anos. Pense em 2005 e recorde quem eram seus melhores amigos. Quantos ainda permanecem do seu lado até hoje? Se você for como a maioria, talvez metade deles tenha se afastado, dado lugar a novos amigos.
Um grupo de sociólogos da Universidade de Utrecht, da Holanda, conduziu uma pesquisa com pouco mais de mil participantes, entre 18 e 65 anos, para saber como era o círculo social de cada um. Sete anos depois, 604 pessoas foram entrevistadas novamente. Eles responderam perguntas como: como quem você ainda conversa sobre problemas pessoais? Quem te ajuda a consertar algumas coisas na sua casa? Quem você ainda faz questão de encontrar? Onde você conheceu essas pessoas? E onde você as encontra agora?
No total, as pessoas mantiveram a mesma média de amigos, mas muitos deles eram recentes. Só 30% dos colegas ainda mantinham a mesma opinião sobre alguns assuntos sete anos depois. E apenas 48% deles ainda faziam parte do círculo de amizades.
Triste, né? Mas é um pouco compreensível, afinal, as fases mudam (colégio/faculdade/trabalho/família), e cada um segue um rumo diferente. Já pensou se a gente for imaginar quantos amigos ainda continuam do nosso lado depois de 14, 15 anos? Quantos você consegue contar? Eu só consigo me lembrar de dois.
Crédito da foto: flickr.com/experimentofthenature
Fonte: Superinteressante

Comer ovo pode ser tão ruim quanto fumar

 
É, melhor diminuir a presença do ovo no seu cardápio. Pesquisadores da Western University, no Canadá, descobriram que comer 3 ovos ou mais por semana pode fazer tão mal para a saúde quanto ser viciado em cigarros.
Eles mediram como estava a obstrução arterial de 1,2 mil homens, com idade média de 61,5 anos, que haviam procurado clínicas de saúde para fazer exames do coração. E pediram a eles para responder um questionário sobre o estilo de vida: uso de medicamentos, cigarros e consumo de ovos.
Entre os participantes com pouco mais de 40 anos, aqueles que comiam no mínimo 3 ovos por semana apresentavam um aumento significativo no acúmulo de placas de gordura nas artérias, em comparação aos que consumiam 2 ou menos. No geral, 20% dos fãs convictos de ovo (!) tinham uma saúde arterial tão ruim quanto os mais viciados em nicotina – aqueles que fumam quase um maço por dia.
Essa gordura atrapalha o transporte de sangue pelo corpo e pode resultar em um infarto ou derrame. “Essa tendência em ignorar o colesterol como um fator de risco para doenças cardíacas precisa ser reavaliada, inclusive o consumo de colesterol proveniente das gemas de ovos”, diz a pesquisa.
Já pensou que loucura? Logo menos começam a vender ovos em embalagens enfeitadas com fotos medonhas e um alerta: o Ministério da Saúde adverte: ovo faz mal para o coração e pode matar.
Fonte: time

Furacão da CPI: à la '50 Tons de Cinza' na capa da 'Playboy'

Capa da 'Playboy' com Denise Rocha, o 'furacão da CPI' do Cachoeira 
Apesar do cenário digno de Daiane dos Santos que caracterizou o seu ensaio, realizado entre argolas e barras de ginástica, é mais como a Anastasia de Cinquenta Tons de Cinza que a ex-assessora parlamentar Denise Rocha aparece na capa da edição da revista Playboy de setembro. A advogada - que ficou conhecida como Furacão da CPI do Cachoeira depois que um vídeo seu de alto teor erótico foi flagrado no computador de integrantes da comissão de inquérito que investiga o bicheiro - está algemada na foto.
Na última quinta-feira, a Playboy publicou a primeira imagem de Denise nos bastidores do ensaio. Sorridente, ela aparece vestida com um roupão com o indefectível símbolo do coelho, marca registrada da publicação. O ensaio foi feito em São Paulo, com o fotógrafo JR Duran. A edição da Playboy com Denise Rocha chega às bancas no próximo dia 4.
Denise, que era então assessora do senador Ciro Nogueira (PP-PI), foi exonerada de seu cargo no começo de agosto. Em tempo: Anastasia, a protagonista de Cinquenta Tons de Cinza, é submissa em uma relação sadomasoquista que mantém com o bilionário Sr. Grey.

Fonte: Veja

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips