quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Marina Silva. Que candidata é esta?

A ex-senadora do Acre não tem nada a ver com a agenda do PSB, nem na forma nem no conteúdo. Não é e nunca foi socialista, ela é evangélica
 

Estava em São Luís do Maranhão fazendo palestras sobre a reforma política quando soube da mudança do coordenador de campanha de Marina Silva. Depois vieram as notícias sobre a deserção da base aliada, os agro-exportadores e industriais, por não concordar com a agenda e ou discurso da candidata neo-pentecostal. Afinal de contas, que candidata é essa?

Convém lembrar que Marina Silva rompeu com o PT exatamente por conta das contradições da política ambiental. A ênfase do "desenvolvimentismo" prejudicava as políticas de proteção do meio ambiente. E que o ex-governador falecido teve a prudência de colocá la na vice, e não na cabeça de chapa do PSB, prevendo as inúmeras resistências de sua base aliada. Na verdade, uma coisa seria usá-la, num acordo de mútua conveniência, como cabo eleitoral qualificado para a eleição do ex-governador do estado. Outra coisa - muito diferente - seria colocá-la como a candidata à Presidência da República pelo PSB. E isto porque a ex-senadora do Acre não tem nada a ver com a agenda do PSB, nem na forma nem no conteúdo. Não é e nunca foi socialista, ela é evangélica. Segundo a agenda do PSB, está mais para o estado regulatório, gerencial do que com a agenda ambiental, de Marina Silva.

Era previsível que a tentativa da família do falecido em manter o controle da chapa, através do nome de Marina Silva, iria - como está ocorrendo agora - suscitar muitas questões da antiga base aliada, que se juntou ao projeto sucessório em nome de outras idéias, outro discurso e outro candidato. A mudança de nome não seria um mera formalidade, em se tratando de uma pessoa, como a líder do partido "rede-sustentabilidade". O que ocorre é a presença de um partido dentro de outro partido, por mera conveniência político-eleitoral.
Karina Araujo
Rapaz, quando Marina sentiu-se desprestigiada no Ministério do Meio Ambiente, abandonou o cargo e seus subordinados. Quando sentiu-se desprestigiada no PT, abandonou o partido e os companheiros. Quando sentiu-se desprestigiada no PV, abandonou o partido e os correligionários que a haviam seguido. Tentou fundar seu próprio partido. Não conseguiu. Então, filiou-se a outro partido cujo programa ia radicalmente de encontro ao seu em vários pontos e abandonou os militantes de sua fracassada Rede no caminho. Agora, já assumiu a candidatura com o acordo de poder abandonar o partido depois de eleita.

Esta é Marina Silva. Sua especialidade é ela mesma - o que for bom para Marina é o que importa; dane-se o resto. E tem gente que compra a lenda.

Se eu tinha alguma dúvida sobre o caráter de Marina, estas sumiram quando ela disse que queria Renata Campos como vice, demonstrando um cinismo pavoroso. Não interessava se Renata seria boa para o país como possível presidente caso algo acontecesse a ela (ou resolvesse abandonar a presidência); interessava que seria boa para ela, MARINA. Foi uma tentativa repugnante de capitalizar (ainda mais) sobre a morte de Eduardo Campos, usando a viúva pra isso.

Esta é Marina Silva. E tem gente que compra a lenda.

Texto Inicial:  MICHEL ZAIDAN 
Colaboração: Karina Araujo

Fonte: Facebook/Brasil 247

Governo veta projeto de lei sobre criação de novos municípios


A presidenta Dilma Rousseff vetou integralmente o Projeto de Lei 104/2014, que tratava da criação, incorporação, fusão e o desmembramento de municípios. A proposta, aprovada no começo de agosto pelo Senado, substituía um outro projeto sobre o mesmo assunto, vetado integralmente por Dilma no fim do ano passado.

Na mensagem de veto dirigida ao presidente do Senado, Renan Calheiros, publicada hoje (27) no Diário Oficial da União, Dilma Rousseff argumenta que a proposta criaria despesas sem indicar as fontes de receitas correspondentes, o que desequilibraria a divisão de recursos entre os municípios.

"Embora se reconheça o esforço de construção de um texto mais criterioso, a proposta não afasta o problema da responsabilidade fiscal da federação. Depreende-se que haverá aumento de despesas com as novas estruturas municipais sem que haja a correspondente geração de novas receitas. Mantidos os atuais critérios de repartição do Fundo de Participação dos Municípios, o desmembramento de um município causa desequilíbrio de recursos dentro do seu estado, acarretando dificuldades financeiras não gerenciáveis para os municípios já existentes”, diz a mensagem de veto.

Fonte: Agência Brasil

Datena agrediu Milton Neves após invasão a estúdio de rádio, diz jornal

Isso porque o caso foi parar na delegacia, onde foi comprovado que houve agressão físicaDatena agrediu Milton Neves após invasão a estúdio de rádio, diz jornal 
José Luiz Datena voltou ao trabalho na última quarta-feira (27), após ter sido suspenso pela Band, mas parece que sua briga com Milton Neves ainda vai dar muito o que falar. Isso porque o caso foi parar na delegacia, onde foi comprovado que houve agressão física entre eles.

No último domingo (24), o apresentador do 'Brasil Urgente' invadiu um estúdio da Rádio Bandeirantes, onde Neves comandava o 'Domingo Esportivo', e reclamou por ter virado assunto em uma conversa do jornalista com o ex-jogador de futebol Neto - eles lembravam da época em que Datena morou com José Hidalgo Neto.

'Que mer** é essa? Que mer**da é essa', gritou o âncora na ocasião, fazendo com que o programa fosse para um intervalo comercial forçado. Apesar de apenas os gritos terem ido ao ar, muito mais aconteceu no local e o caso acabou ficando bem sério, segundo o jornal 'O Dia'.

Datena mora perto da sede da Rádio e, por isso, conseguiu chegar rápido ao estúdio. Assim que invadiu o local, partiu para a agressão. Um operador de áudio tentou separar a briga, mas acabou apanhando também. Depois disso, o apresentador se escondeu em casa por cerca de três horas.

Milton Neves seguiu para o Instituto Médico Legal, onde foi submetido a um exame de corpo de delito. O resultado confirmou a agressão, que não deve ser comentada pelas partes - a Band pediu para que o assunto fosse 'abafado', e que eles negassem a briga.

Fonte: Com informações do Msn

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Liquida Teresina começa nesta quinta (28) e deve movimentar R$ 60 mi em vendas

A campanha vai envolver o comércio do Centro, bairros e shoppings

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Teresina realizará de 28 de agosto a 06 de setembro a maior ação varejista realizada na capital. A campanha Liquida Teresina, que irá envolver o comércio do centro, bairro e shoppings, deve movimentar cerca de R$ 60 milhões em vendas.

“O Liquida é um projeto voltado ao varejo, que vai trazer para o calendário lojista mais uma data nobre. A ação tem como objetivo gerar vendas, faturamento e negócios, de maneira que iremos juntar os grandes magazines aos pequenos comerciantes. Estimamos 1500 pontos de vendas nessa primeira edição. Nós fizemos algumas estimativas de que o Liquida trará um ‘upgrade’ de vendas em R$ 60 milhões. Essa é uma estimativa com base nas informações e na tradição do Liquida em outras capitais”, afirma o presidente da CDL de Teresina, Evandro Cosme.

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, ressalta a importância do projeto. “O Liquida é um momento importante para gerar renda, empregos, impostos, além de divulgar nossa capital. Tudo isso contribui para construirmos a cidade que queremos. Teresina agradece esse presente”, destaca.

A campanha sorteará um carro 0 km e caminhões em prêmios. A cada R$ 25,00 em compras, o consumidor recebe um cupom para concorrer, e ao realizar as compras com o cartão Credishop, recebe em dobro. Depois de preenchidos, os cupons devem ser depositados em urnas espalhadas pela cidade. O Liquida Teresina conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Teresina, Sebrae, Sindilojas, Fecomércio, Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal.
Preparação

A CDL de Teresina realizou uma série de workshops com o objetivo de estimular os vendedores e lojistas através de uma capacitação motivadora, levando-os a encantar e surpreender os clientes. A ação, realizada em parceria com o Sebrae-PI, fez parte da preparação para a Liquida Teresina.
 
Edição: PortalODia.com

 

Compra do jato de Campos envolve empresas "fantasmas"

São seis empresas e pessoas que fizeram transferências bancárias para a AF Andrade em troca do uso do jato, antes da compra ser efetivada e aprovada

Local onde caiu o avião que levava o candidato à presidência Eduardo Campos

Local de queda do jato: suspeitas são que João Carlos Lyra, Apolo Santana Vieira e os demais envolvidos foram usados para ocultar a compra, no valor de US$ 8,5 milhões, com dinheiro de caixa 2

São Paulo - Empresas sem lastro financeiro ou com endereços fantasmas custearam o pagamento de uma dívida de R$ 1,7 milhão para a compra do Cessna Citation usado por Eduardo Campos.

São seis empresas e pessoas que fizeram transferências bancárias para a AF Andrade em troca do uso do jato, antes da compra ser efetivada e aprovada.

A Polícia Federal já tem em mãos os depósitos feitos e sabe que algumas das fontes pagadoras da compra são firmas supostamente fantasmas. Uma delas é a Geovane Pescados, em Recife. Outra é a Câmara e Vasconcelos, que depositou R$ 159 mil.

Em nota nesta terça-feira, 26, o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho admitiu estar à frente do negócio com a AF Andrade e captou empréstimos para a quitar a dívida do financiamento. "Os valores recebidos foram para pagar parcelas vencidas do leasing do avião (...) para permitir que a Cessna, financiadora da aeronave, agilizasse a operação de venda", afirmou.

As suspeitas são que João Carlos Lyra, Apolo Santana Vieira e os demais envolvidos foram usados para ocultar a compra da aeronave, no valor de US$ 8,5 milhões, com dinheiro de caixa 2 da campanha.
João Carlos Lyra é enteado do ex-senador e ex-deputado federal por Pernambuco Luiz Piauhylino Monteiro (PSB), aliado de Campos. Outros dois financiadores do negócio também divulgaram nota nesta terça-feira, 26.

Um deles é filho de Piauhylino: o advogado Luiz Piauhylino Monteiro Filho. Ele diz ter emprestado a João Carlos Lyra R$ 325 mil. Pelo contrato assinado entre eles, o dinheiro foi transferido no dia 14 de maio para a AF Andrade.

Por meio da mesma assessoria de imprensa usada por João Carlos Lyra, a empresa Ele Leite Ltda. - cujo nome ainda não havia sido citado na compra do jato - declarou ter emprestado R$ 727,7 mil para o empresário. O dinheiro também foi transferido diretamente no dia 15 de maio para a A.F. Andrade.

O proprietário da Ele Leite, uma micro empresa do ramo imobiliário, é Eduardo Freire Bezerra Leite, conhecido como Eduardo Ventola. Em foto divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo, no sábado, 23, ele aparece com dois outros empresários de Pernambuco buscando o jato em Ribeirão Preto.

As outras três financiadoras foram a Câmara e Vasconcelos, a RM Construções e a Geovane Pescados. Elas estão sediadas em endereços fantasmas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Bispo evangélico quer erguer templo maior que o de Salomão, inaugurado por Edir Macedo



O bispo Rodovalho, líder da Sara Nossa Terra, resolveu promover uma competição particular com o bispo Edir Macedo, que acabou de inaugurar o megatemplo de Salomão, em São Paulo.

No domingo passado, Rodovalho lançou aos seus fieis um desafio: erguer em Brasília  um ginásio com capacidade para 18 000 pessoas sentadas.

O local  nem existe mas já tem até nome: Arena Hall. Será utilizado para shows e cultos. No local escolhido já há um grande galpão, que precisa ser adaptado para a nova finalidade. Se sair mesmo, o novo templo terá quase o dobro da capacidade do Templo de Salomão. Agora, é só os fieis colaborarem… 

Fonte: Veja

Professora com aplasia medular precisa urgente de doações de sangue


A família da professora Rita de Cássia Lima Pereira faz um apelo para conseguir doações de sangue, já que ela precisa de sangue diariamente e as bolsas do Hemopi estão acabando.

A professora sofre de aplasia medular - um quadro clínico raro, porém grave e potencialmente fatal, em que a medula óssea que normalmente produz as células do sangue (hemácias, leucócitos e plaquetas) entra em falência e passa a produzi-las em quantidades insuficientes. 

Qualquer tipo de sangue poderá ser doado, preferencialmente A +. Rita de Cássia está internado no Hospital São Marcos e precisa de sangue urgentemente. 


Fonte: Cidade Verde

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Francesa de 19 anos elimina Sarah Menezes do Mundial de Judô

O Mundial 2014 durou quatro minutos para a campeã olímpica. Em Chelyabinsk, na Rússia, Sarah Menezes (48kg) foi eliminada na primeira luta nesta segunda-feira (25) e está fora do torneio.


A estreia foi contra a francesa Amandine Buchard, que conseguiu um yuko logo no início da luta e administrou a pontuação durante todo o confronto. Sarah Menezes tentou a todo custo encaixar seus golpes na adversária, que ainda sofreu duas punições. 

Buchard já havia aprontado contra Sarah Menezes. A revelação francesa de 19 anos eliminou a piauiense no Grand Slam de Paris, em fevereiro. 

Outra favorita ao título, a atual campeã mundial Urantsetseg Munkhbat perdeu  para a japonesa Ami Kondo nas oitavas-de-final e também foi eliminada. 

Foi o quinto mundial sênior de Sarah Menezes e sua pior participação. Nas outras ocasiões, foram três medalhas de bronze e um quinto lugar. 


Dia ruim
No geral, o primeiro dia de mundial não foi nada bom para o Brasil. Nenhum conseguiu entrar na disputa por medalhas nesta segunda-feira. 

Felipe Kitadai (60kg) perdeu por Ippon para Diyorbek Urozboev, do Uzberquistão, e também foi eliminado na estreia. O melhor do dia foi Eric Takabatake (60kg), que venceu duas lutas e foi eliminado pelo russo Beslan Mudranov nas oitavas-de-final. 

Medalhas
As semifinais e finais serão disputadas a partir de 8h, horário de Brasília. A francesa Buchard enfrenta a argentina Paula Pareto em uma semifinal. Na outra, a japonesa Ami Kondo encara a cubana Maria Cecilia Laborde. 

Fonte: Cidade Verde

O que o desafio do balde de gelo tem a ver com a esclerose lateral amiotrófica?


ice-bucket-challenge

De Susana Vieira a Bill Gates, de Palmirinha a Mark Zuckerberg. Nos últimos dias, o desafio do balde de gelo fez sucesso nas redes sociais e chamou atenção para uma causa nobre: a conscientização e a luta contra a esclerose lateral amiotrófica. Na teoria, quem participa do desafio pode trocar o banho de gelo pela chance de fazer uma doação a uma instituição que estuda a doença. Ou fazer os dois, o que é ainda mais legal.

Também é interessante entender a causa. A esclerose lateral amiotrófica, também chamada de “doença de Lou Gehrig”, destrói gradualmente células do cérebro e da medula espinhal que controlam os músculos. Com o tempo, o cérebro vai perdendo a capacidade de controlar os movimentos, até levar à paralisia. Não se sabe ao certo o que causa a doença. Trata-se de uma condição progressiva que, por enquanto, não tem cura.

O diagnóstico não é sinônimo de derrota. Stephen Hawking recebeu a notícia de que sofria com a ELA aos 21 anos. Cinco décadas depois, ele ainda é um dos físicos mais importantes do mundo. Depois da ELA, Hawking completou seu doutorado em cosmologia e se tornou professor na prestigiada Cátedra Lucasiana em Cambridge, que pertenceu a Isaac Newton. Mas o cientista é uma exceção. Com a deterioração do cérebro, a expectativa de vida é de três anos.
O jogador de beisebol Lou Gehrig, que hoje empresta seu nome à doença, viveu dois anos depois do diagnóstico que interrompeu sua carreira em 1939. Hoje em dia, há tratamentos que podem controlar os sintomas e prolongar a vida dos pacientes. Alguns chegam a viver por até 10 anos. E o que tomar um banho de balde de gelo tem a ver com isso?

A corrente do balde de gelo foi popularizada por Corey Griffin, um jovem americnao de 27 anos. Ele postou na internet um vídeo em que toma o banho gelado depois que soube que um amigo havia recebido o diagnóstico da esclerose lateral amiotrófica. A metáfora é simples: receber a notícia é como um balde de água fria na cabeça. Apenas algumas semanas depois que o desafio ganhou a internet, Corey morreu num acidente de mergulho.

Até o dia 20 de agosto, a campanha – que parece meio boba – já tinha rendido US$ 31,5 milhões para a ASL Association, nos Estados Unidos. Por aqui, o resultado tem sido bem mais modesto. A Associação Brasileira de Esclerosa Lateral Amiotrófica (ABRELA) e a Associação Pró-Cura da Ela arrecadaram, juntas, cerca de R$ 75 mil. O Instituto Paulo Gontijo, outra instituição brasileira, não tem estimativa das doações feitas por quem aceita o desafio, mas também recebe o dinheiro.
No related posts. 

Fonte: Abril

domingo, 24 de agosto de 2014


O Mundial de Chelyabinsk de Judô 2014, na Rússia, tem início na nessa segunda-feira (25) e, logo no primeiro dia, a judoca piauiense Sarah Menezes luta pelo ouro na categoria ligeiro (48 kg). É a quinta participação da atleta olímpica na competição, onde conquistou o bronze três vezes na categoria sênior. Este ano, depois da medalha olímpica, Sarah busca o subir no lugar mais alto do pódio. A competição continua até o dia 31 de agosto. 


Mas apesar da expectativa para conseguir a medalha inédita, a judoca tenta se manter calma e positiva. Antes de subir no tatame, Sarah afirma que sua Nesse Mundial, Sarah afirma sua positividade para os tatames na briga pelo título. “Eu sempre penso muito positivo, em todas as competições que eu vou, eu sempre procuro ter um pensamento muito bom. Eu acredito que darei o meu máximo para conquistar mais uma medalha na competição”, explica Sarah. 

A judoca é a segunda colocada do ranking mundial, atrás da mongol Urantsetseg Munkhbat. Com isso, a piauiense é cabeça de chave na competição. Em maio desde ano, Sarah Menezes caiu no ranking, depois de não ter participado do Grand Slam de Baku. Sarah permaneceu no topo depois das Olimpíadas de 2012. Apesar da queda, Sarah garante que não existe pressão por ter caído no ranking e se mantém confiante na disputa. 

“Eu não estou muito preocupada. Porque na verdade o ranking é apenas para separar os melhores da categoria, para formar cabeça de chave. Então, você estando entre os três colocados é excelente. Manter ali está bom, porque para as chaves é mais tranquilo na divisão”, finaliza a judoca. 

A luta de Sarah acontece às 2h da manhã no horário de Brasília, pelas eliminatórias na segunda-feira. Além dela, os brasileiros Felipe Kitadai (60kg) e Eric Takabatake (60kg) também competem na mesma categoria ligeiro. Depois de lutar na sua categoria, a brasileira só volta a competir no domingo, dia 31, na competição por equipes, junto aos outros judocas da seleção brasileira. 

A comissão técnica é formada por Ney Wilson, gestor técnico de alto rendimento e chefe da delegação; os técnicos Rosicleia Campos, Luiz Shinohara e Mário Tsutsui; os médicos Rodrigo Rodarte e Mateus Saito; os fisioterapeutas Thiago Takara e Priscila Marques; a psicóloga Luciana Castelo Branco; a nutricionista Roberta Lima; o preparador físico Josué Moraes; o estrategista Leonardo Maturana, o assistente administrativo Bernardo Seabra e o assessor de imprensa Valter França. 

Fonte: O Dia

Com paciência oriental, Brasil vence Japão e conquista deca do Grand Prix

Seleção brasileira obtém o triunfo que precisava por 3 sets a 0 e faz a festa em Tóquio, deixando claro que ela vai com tudo em busca do título mundial, na Itália

A seleção brasileira feminina de vôlei é realmente a principal fornecedora de alegria do esporte nacional. O motivo para celebrar muito neste domingo foi a conquista do décimo título do Grand Prix – os outros canecos vieram em 1994, 96, 98, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009 e 2013. Atuais bicampeãs olímpicas, as meninas souberam usar a principal arma da rival, a paciência oriental – principalmente no duro terceiro set –, e alternar muito bem tranquilidade e agressividade para bater as japonesas por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/18 e 27/25, em 1h28min, na Arena Ariake, em Tóquio, no Japão (assista ao vídeo com os melhores momentos da "final"). A vitória levou o Brasil aos 13 pontos, superando as donas da casa, que ficaram com 12, na fase final disputada em sistema de pontos corridos. Por terem melhor campanha até então, as nipônicas seriam campeãs se tivessem vencido dois sets.

Para obter o decacampeonato do Grand Prix, a seleção brasileira venceu 13 das suas 14 partidas, deixando claro que vai mais forte do que nunca em busca do único título que ela ainda não tem na elite do esporte: o mundial. E ele pode ser alcançado em breve, no Mundial da Itália, entre 23 de setembro e 12 de outubro.

Brasil campeão pódio Grand Prix vôlei (Foto: AFP) 
Seleção brasileira faz a festa com o troféu e as medalhas de campeão do Grand Prix (Foto: AFP)

A maior pontuadora da partida foi a oposta Sheilla, que assinalou 16 pontos, demonstrando mais uma vez que ela cresce em momentos decisivos. Fabiana (dez), Jaqueline (nove) e Thaisa (seis) também foram bem importantes no ataque. Merece destaque também a bela atuação da líbero Camila Brait, que defendeu bolas muito difíceis e armou vários contra-ataques. 

Poucos antes do embate entre Brasil e Japão, a Rússia assegurou a terceira colocação no Grand Prix ao bater a China, de virada, por 3 sets a 2 (21/25, 14/25, 25/22, 25/20, 15/13), na madrugada deste domingo (tarde no Japão). Com o resultado, as russas chegaram aos sete pontos, um a mais do que a China, que ficou com a quinta colocação. O quarto lugar ficou com a Turquia, que foi aos sete pontos após fechar a sua participação no Grand Prix com uma vitória sobre a Bélgica por 3 sets a 1 (24/26,  25/21, 25/23 e 25/20). As belgas perderam os seus cinco jogos na fase final e ficaram com a sexta colocação.
o jogo

Embalada pela bela campanha na fase final e pelo fato de jogar em casa, as japonesas começaram o jogo demonstrando que iriam lutar muito para evitar a conquista brasileira. Se defendendo muito bem e eficiente no ataque, elas começaram pressionando as bicampeãs olímpicas. Porém, aos poucos a seleção, com paciência oriental, foi se soltando, acertando boas bolas e demonstrando que não basta apenas disposição para brecar uma máquina. Foi após uma cravada de Fabiana que o Brasil conseguiu abrir três pontos 8/5, antes do primeiro tempo técnico da partida. A parada fez bem para as meninas de ouro. Na sequência, o saque passou a entrar melhor, dificultando o passe do Japão. Quando isso acontece, a bola volta mais facilmente e dá-lhe ataque brasileiro, principalmente com Sheilla, além de preciosos pontos de bloqueio.

Faltava apenas um pouco mais de velocidade no jogo, mas isso não comprometia o domínio da seleção, que tinha 16/11 antes da segunda parada técnica. Na reta final do set, as japonesas cometeram mais erros do que o normal e deixaram o Brasil crescer. Com o passe chegando na mão para o contra-ataque, as brasileiras fizeram ponto atrás de ponto e conseguiram abrir dez pontos 22/12 deixando claro que o primeiro set passara a ser um baile tupiniquim. Tanto que a vantagem foi mantida até o fim, quando Fernanda Garay atacou da linha dos três metros e não permitiu defesa para Saori: 25/15, em 26 minutos de partida.

Brasil x Japão final Grand Prix vôlei (Foto: Divulgação/FIBV) 
Jogadoras da seleção brasileira vibram durante a vitória sobre o Japão (Foto: Divulgação/FIBV)

Mantendo a calma, mas não deixando de lado a agressividade ao atacar, a seleção brasileira começou jogando muito bem o segundo set. O saque estava entrando muito bem, causando um temor enorme em uma equipe estruturada a partir da sua recepção. Sem receber o passe na mão, a levantadora Miyashita não conseguia municiar bem as suas principais atacantes, Ishii, Saori e Nagaoka. Assim, o Brasil abriu 5/1 e fez o técnico Masayoshi Manabe pedir logo um tempo. As nipônicas melhoraram e conseguiram aos poucos ir colando no placar. A vantagem que era de seis pontos, caiu para dois em 13/11.

Zé Roberto parou o jogo e pediu que elas não deixassem de lado a paciência que ele havia tanto solicitado. As meninas entenderam o recado e conseguiram boas bolas, com destaque para dois ataques precisos e potentes de Jaqueline. Porém, as orientais tinham encontrando uma forma de pressionar o Brasil e não davam mais tanta moleza. O jeito foi dar pancadas e tentar dificultar ao máximo a defesa japonesa. E foi assim, forçando o erro rival, que a seleção brasileira fechou o segundo set em 25/18, em uma parcial que durou 28 minutos.

Brasil x Japão final Grand Prix vôlei Sheilla (Foto: Divulgação/FIBV) 
Sheilla foi a maior pontuadora da partida, com 16 pontos (Foto: Divulgação/FIBV)

O terceiro set começou mais complicado para as brasileiras e acenou um equilíbrio que esperado, mas não foi visto nos dois primeiros sets. As japonesas conseguiram encaixar melhor o ataque, melhoraram a sua defesa e conseguiram liderar o placar pela primeira vez na partida. Finalmente era visto em quadra o time que fazia uma campanha fantástica na fase final do Grand Prix. E, assim, as nipônicas foram vencendo por 8/7 para a primeira parada técnica da partida. Era hora de o Brasil colocar a cabeça no lugar. Estava complicado, mas nada é tão complicado para as atuais bicampeãs olímpicas e a reação começou com uma bela passagem da levantadora Dani Lins pelo saque. Foram quatro pontos seguidos e a virada para 11/10. Quem também contribuía muito era a líbero Camila Brait, que defendia com muita qualidade.

A partir daí, as rédeas da partida foram retomadas pela máquina de jogar vôlei que é essa seleção brasileira feminina. Mas nada de larga vantagem. Era lá e cá. Saori era a principal jogadora japonesa e Sheilla sobrava do lado brasileiro. A ponteira era a mais acionada por Dani Lins, pois quase não errava e conseguia desarticular a forte defesa das orientais. Os últimos pontos foram suados e conquistados a partir de belas defesas de Camila Brait e ataques precisos de Sheilla. O primeiro match point veio em 24/22, mas o Brasil desperdiçou, permitindo que o Japão fizesse dois pontos seguidos e empatasse em 24/24. Era hora de evocar a paciência oriental, arma pedida por Zé Roberto. E a tática deu certo novamente. Com mais tranquilidade que as mandantes,  a seleção brasileira foi mais eficiente nos pontos decisivos e contou com  Jaqueline para fechar o set em 27/25 e o jogo em 3 sets a 0, liquidando a fatura e celebrando o seu décimo título do Grand Prix.
Brasil x Japão final Grand Prix vôlei Jaqueline Camila Brait (Foto: Divulgação/FIBV) 
Observada por Camila Brait, Jaqueline ataca na vitória brasileira (Foto: Divulgação/FIBV)

campanha do brasil na fase final do grand prix
20/8 – Brasil 2 x 3 Turquia - (18/25, 23/25, 25/21, 25/19 e 12/15)
21/8 – Brasil 3 x 0 China - (25/23, 25/20 e 25/21)
22/8 – Brasil 3 x 0 Bélgica - (25/10, 25/12 e 25/12)
23/8 – Brasil 3 x 0 Rússia - (25/12, 25/21 e 25/20)
24/8 – Brasil 3 x 0 Japão - (25/15, 25/18 e 27/25) 

Fonte: Globo Esporte

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Shopping da Cidade vai devolver à prefeitura box vendido pela internet

Shopping da Cidade vai devolver à prefeitura box vendido pela internet
O Shopping da Cidade, administrado por uma parceria público privada entre a Prefeitura de Teresina e o Instituto de Negócios do Piauí (INPI), vai lacrar definitivamente o box 519 neste sábado (23), que foi flagrado com anúncio ilegal de venda em página no Facebook. O Cidadeverde.com fez a denúncia, provocada por um internauta, que indicou onde o ponto comercial estava sendo vendido por R$ 12 mil na internet. O espaço agora volta ao domínio da prefeitura que deve indicar um novo consignatário.  

"A administração do Shopping, depois de concluir o processo administrativo que apurou as denúncias, decidiu lacrar em definitivo o box 519. Agora caberá a prefeitura decidir quem vai ocupá-lo", explica o diretor do INPI, Gustavo de Carvalho. 
Ele disse ainda que além de perder o espaço, o ex-consignatário está impedido de participar de qualquer seleção e/ou sorteio para espaços administrados pela instituição. 
A prefeitura possui uma lista de espera de pessoas interessadas em ser consignatárias de um espaço no Shopping da Cidade. O último sorteio foi realizado em 2013. 

Fonte: Cidade Verde

Justiça proibiu Paulo Guimarães de sair do país;de SP ele iria para Miami

Todos os investigados na operação Sorte Grande estão impedidos de sair do país

 

A Justiça determinou o recolhimento do passaporte do empresário Paulo Guimarães e dos demais 12 investigados na Operação Sorte Grande, deflagrada pela Polícia Federal e Receita Federal nesta quarta-feira (20).

Segundo o delegado de Combate ao Crime Organizado, Carlos Alberto, presidente do Inquérito, “a determinação da Justiça é para garantir o andamento das investigações”. A previsão é de que os passaportes permaneçam retidos até que sejam afastadas as suspeitas contra os investigados.
Paulo Guimarães foi abordado pela PF quando estava em São Paulo. Ele tinha viagem prevista para Miami. Além do presidente do Grupo Meio Norte, foram conduzidos coercitivamente pela Polícia Federal para interrogatório, diretores e presidentes de empresas. São mais de 50 empreendimentos investigados, entre concessionárias, faculdades, rádio, TV e jornal, educação e saúde.

O grupo foi apontado pela Polícia Federal pela suspeita de sonegação de R$ 896 milhões. A polícia chegou inclusive a acionar a Interpol. A Polícia internacional busca informações sobre indícios de lavagem de dinheiro nas Ilhas Virgens Britânicas, para onde o empresário remetia os valores supostamente lavados no Brasil.

Paraísos fiscais são estados nacionais ou regiões autônomas onde a lei facilita a aplicação de capitais estrangeiros, oferecendo uma espécie de dumping fiscal, com alíquotas de tributação muito baixas ou nulas se comparadas às de outros países. Na prática, ocorre a facilidade para aplicação dos valores que são de origem desconhecida, protegendo a identidade dos proprietários do dinheiro, ao garantirem o sigilo bancário absoluto.
                      APREENSÕES EM EMPRESAS DE TERESINA

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em 14 locais, entre eles, no Condomínio Aldebaran Ville, onde foram apreendidos documentos na residência de Paulo Guimarães e da sua filha, Lívia Guimarães. No local, a ação ocorreu por volta das 6h da manhã. Eram pelo menos três veículos da polícia Federal. Na operação, dois revólveres sem registro foram apreendidos, mas a PF não informou onde as apreensões foram feitas. Agentes também apreenderam material na Canadá Veículos, Alemanha Veículos e no hotel Blue Tree Rio Poty.

Fonte: Portal 180 Graus

Em cinco anos, empresas de Paulo Guimarães movimentaram R$ 3,5 bi

O grupo empresarial de Paulo Guimarães foi alvo de operação da Polícia Federal

  

O superintendente adjunto da Receita Federal, Marcelus Ribeiro, informou que as empresas do empresário Paulo Guimarães movimentaram nos últimos 5 anos cerca de R$ 3,5 bilhões.

As informações foram prestadas após a coletiva de imprensa ocorrida na sede da Superintendência da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (20). Esse foi o valor detectado.

O faturamento envolve as empresas das áreas de comunicação (TV, rádio e jornal), venda de veículos (concessionárias), empreendimentos imobiliários (construção de shopping centers e outros imóveis), educação (faculdades) e de saúde (hospital e operadoras de plano de saúde), principalmente, nos estados do Piauí e do Maranhão.

O valor, R$ 3,5 bilhões, dividido pelos cinco anos, é inferior ao faturamento anual do Grupo Carvalho, que só no ano de 2012 faturou R$ 1,2 bilhão, segundo o anuário da revista Exame, Melhores e Maiores empresas do país, pertencente ao Grupo Abril, de propriedade da família Civita.

O grupo empresarial de Paulo Guimarães foi alvo de operação da Polícia Federal denominada “Sorte Grande”, ocorrida durante a manhã de quarta. Ao todo participaram da operação 85 policiais federais, entre delegados, peritos, escrivães e agentes, além de 18 auditores e quatro analistas tributários da Receita Federal.

Fonte: 180 Gruas

"De Marina quero distância", diz diz secretário-geral do PSB

 
O secretário-geral do PSB e coordenador da campanha presidencial do partido, Carlos Siqueira, deixou nesta quinta-feira, 21, a função. O partido formalizou nesta quarta, 20, a indicação de Marina Silva para liderar a chapa e do vice Beto Albuquerque, líder da bancada na Câmara dos Deputados. "Da senhora Marina Silva eu quero distância. Eu não participo de campanha de Marina Silva. Ela não é do PSB", afirmou ao Broadcast Político nesta manhã.



A saída deu-se por um desentendimento entre Carlos Siqueira e a própria candidata. Numa reunião realizada entre Marina e as cúpulas do PSB e da Rede, nessa quarta, a ex-ministra comunicou seus planos: "Vou deslocar o Bazileu para o comitê financeiro e trazer o Walter Feldman para a coordenação da campanha. Se o PSB quiser, o Siqueira pode continuar". Bazileu e Feldman são dois nomes de absoluta confiança de Marina.

Siqueira retrucou: "Você está me afastando? Você não tem noção de que fui eu que segurei esse acordo entre o PSB e a Rede. As divergências são imensas e você pensa que elas não existem". E continuou: "Eu sei que você nunca gostou de mim". Desde a morte de Eduardo Campos, no dia 13, Marina vinha se queixando da coordenação da campanha, comandada por Siqueira, de acordo com informações da Rede. E desde esse tempo o coordenador, que também é primeiro-secretário do PSB, vinha se queixando de Marina.

Nessa quarta, havia sido anunciado que Siqueira permaneceria na função, mas que teria ao seu lado o deputado licenciado Walter Feldman (SP), também porta-voz de Marina. Bazileu Margarido, homem de confiança da ex-ministra, que era adjunto de Siqueira durante a campanha de Eduardo Campos, foi transferido para o comitê financeiro da campanha. Bazileu vai dividir a tarefa com Dalvino Franca.

No final desta manhã, Siqueira negou que sua decisão tenha sido motivada pela indicação de dois nomes ligados a Marina para o núcleo decisório da campanha. "Eu estava na campanha do Eduardo Campos. Começa agora uma nova fase e tem que ter um novo coordenador. Eu disse (à Marina) que não ficaria na coordenação. Eu estava na coordenação de uma pessoa que era do meu partido e em quem eu tinha confiança", afirmou.
Marina filiou-se ao PSB em outubro do ano passado, dias depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negar o registro do seu partido, a Rede Sustentabilidade. Pessoas ligadas ao projeto continuam trabalhando para concluir a formalização da legenda.

De acordo com participantes da reunião, após a discussão Marina pediu desculpas: "Siqueira, você me entendeu mal. Me desculpe", disse ela. Mas o coordenador permaneceu irredutível. Disse que o PSB corria riscos até de desaparecer. E que ele não mais participaria da campanha. Em seguida, Siqueira foi para a sede do PSB, que fica distante cerca de 15 quilômetros da Fundação João Mangabeira, onde estava sendo realizada a reunião das cúpulas do PSB e da Rede. Houve um apelo para que ele permanecesse na campanha repetido por Marina. O mesmo foi feito pelo presidente do partido, Roberto Amaral.

Ao chegar ao PSB, Siqueira disse que lutaria para consolidar o nome de Beto Albuquerque na vice, por considerar que o nome dele seria uma espécie de salvaguarda do partido na campanha. Logo depois ele foi almoçar. Voltou cerca de quarenta minutos depois, participou de todas as reuniões do PSB e se propôs a explicar o que havia acontecido. Para tanto, exigiu a retirada de todos os que não fossem da Executiva nacional ou que não tivessem mandato. Nessa reunião expôs as divergências com Marina, disse que ela não pertence ao PSB e que pretende deixar o partido logo depois das eleições para fundar a Rede.

Anunciou também que não mais participaria da campanha. E assim fez. Ele se recusou a redigir a ata da reunião que escolheu Marina candidata a presidente. O documento teve de ser de ser feito pelo secretário sindical, Joilson Nascimento.

Siqueira, também presidente da Fundação João Mangabeira, ligada ao PSB, disse que continuará no partido, mas que se rende à decisão da maioria, que apoiou a candidatura de Marina, porque é disciplinado. Na manhã desta quinta, o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, está reunido com dirigentes de partidos que compõem a coligação. Amaral ainda não comentou a saída de Siqueira.

Nessa quarta, o PSL declarou que pretende deixar a coligação, por ter sido excluído das negociações com Marina e sua Rede Sustentabilidade.

Fonte: Msn

Wellington Dias se mantém na liderança com 53%



A nova pesquisa do Instituto Piauiense de Opinião Pública (Amostragem) e Sistema Integrado de Comunicação Meio Norte, realizada nos dias 16 a 19 de agosto com 1.137 eleitores com 16 ou mais anos de idade residentes e com domicílio eleitoral em 47 municípios de todas as microrregiões do Piauí, mostra que a liderança do candidato do PT ao Governo do Estado, senador Wellington Dias, continua inalterada com 53,56% das intenções de voto estimuladas.

Wellington-Dias-do-PT-7

Segundo o Instituto Amostragem, o governador Zé Filho (PMDB), candidato à reeleição, está em segundo lugar com 21,99% das intenções de voto estimuladas, seguido do candidato do PSC ao Governo do Estado, Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, que tem 6,42% das intenções de voto estimuladas. O candidato do PSOL ao Governo do Estado, Maklandel Aquino, tem 1,32% das intenções de voto estimuladas.

O candidato do PSTU, Daniel Solon, tem 0,44% das intenções de voto estimuladas; a candidata do PCO, Lourdes Melo, tem 0,09% das intenções de voto estimuladas; e o candidato do PPL, Neto Sambaíba, tem 0,35% das intenções de voto estimuladas. Os eleitores que não sabem e não opinam estão em 11,17% e os que querem votar em branco e nulo somam 4,66%.

O presidente do Instituto Piauiense de Opinião Pública, professor universitário e estatístico João Batista Teles, afirma que como a soma das intenções de voto dos outros candidatos é de 31,42%, a diferença de 22,14 pontos percentuais garantiria que o páreo seria decidido no primeiro turno a favor de Wellington Dias.
A pesquisa do Instituto Amostragem é não aleatória por cotas de sexo, faixa etária, grau de instrução, renda familiar, microrregião e municípios, com entrevistas domiciliares e individuais.

Foram pesquisados os seguintes municípios por microrregião: Baixo Parnaíba Piauiense (Miguel Alves, Barras, Piripiri, Esperantina); Litoral Piauiense (Parnaíba, Cocal, Buriti dos Lopes); Teresina (Teresina, José de Freitas, Nazária); Campo Maior (São João da Serra, Pedro II, Campo Maior, Lagoa de São Francisco); Médio Parnaíba Piauiense (Hugo Napoleão, Regeneração, Amarante); Valença do Piauí (Prata do Piauí, Valença do Piauí, Aroazes); Alto Parnaíba Piauiense (Baixa Grande do Ribeiro);

Bertolínia (Sebastião Leal, Bertolínia); Floriano (Jerumenha, Floriano, Nazaré do Piauí); Alto Médio Gurguéia (Monte Alegre do Piauí, Bom Jesus); São Raimundo Nonato (Anísio de Abreu, Dom Inocêncio, São Raimundo Nonato, Caracol); Chapadas do Extremo Sul Piauiense (Corrente, Parnaguá);

Picos (Paquetá, Oeiras, Picos, Ipiranga do Piauí); Pio IX (Alagoinha do Piauí, Francisco Santos); Alto Médio Canindé (Caldeirão Grande do Piauí, Socorro do Piauí, Campinas do Piauí, Patos do Piauí, Massapê do Piauí, Jaicós, Paulistana).

A margem de erro da pesquisa é de 2,85% para mais ou para menos, em amostragem casual, para um nível de confiança de 95% para o tamanho de amostra de 1.137 eleitores). Pesquisa foi registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Piauí sob o protocolo de número PI 00087/2014, no dia 16 de agosto.

pesquisa2

Justiça indefere liminar contra divulgação

O juiz da Propaganda Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Sebastião Firmino Lima Filho, indeferiu o pedido de concessão de liminar para impedir a divulgação da atual pesquisa de intenções de voto realizada pelo Instituto Piauiense de Opinião Pública (Amostragem) e Sistema Integrado de Comunicação Meio Norte.

O juiz Sebastião Firmino Lima Filho não viu nenhuma ilegalidade na pesquisa e de que o candidato do PTB ao Senado, Elmano Férrer, ser chamado como está no registro de sua candidatura de “Véim Trabalhador”.
O pedido de liminar foi impetrado na Justiça Eleitoral pela coligação Piauí no Coração, encabeçada pelo governador Zé Filho (PMDB), candidato à reeleição, e do candidato ao Senado pelo PSB, Wilson Martins.

Wellington lidera em Teresina com 46,54%

O candidato a governador Wellington Dias (PT) vence em todas as microrregiões piauienses, exceto na microrregião do Litoral Piauiense, que tem a liderança do governador Zé Filho (PMDB), candidato à reeleição.

Os maiores picos de intenções de voto de Wellington Dias estão nas microrregiões de Chapadas do Extremo Sul (77,42% das intenções de voto estimuladas); Alto Parnaíba Piauiense e Bertolínia, com 76,47% das intenções de voto, cada; Picos e Floriano, com 66,22% das intenções de voto estimuladas, cada; e de Pio IX (73,91%).

Na microrregião de Teresina, Wellington Dias ganha com 46,54% das intenções de voto estimuladas.
Na microrregião do Litoral Piauiense, o governador Zé Filho vence com 41,51% das intenções de voto estimuladas contra 30,19% de Wellington Dias e 4,72% de Mão Santa.

Zé Filho tem seus melhores índices de intenções de voto estimuladas, além do Litoral Piauiense, nas microrregiões de Teresina (26,10%), de Campo Maior (24,18%); Médio Parnaíba Piauiense (22,22%); e Pio IX(21,74%).

Mão Santa tem seus melhores índices nas microrregiões de São Raimundo Nonato (11,54%); do Baixo Parnaíba Piauiense (9,68%). Na microrregião do Litoral Piauiense, Mão Santa tem 4,72% das intenções de voto estimuladas.

pesquisa

Na espontânea, Dias também lidera com 25,24%

A pesquisa de intenções de voto espontâneas (quando o entrevistador não apresenta os nomes dos candidatos) feita pelo Instituto Amostragem e Sistema Integrado de Comunicação Meio Norte mostra que Wellington Dias tem 25,24% das manifestações de voto espontâneas.

Zé Filho tem 11,43% das intenções de voto espontâneas. Segundo a pesquisa, 52,33% dos eleitores piauienses espontaneamente não apontam em qual candidato ao Governo do Estado irão votar e 6,68% dos eleitores dizem que irão votar nulo ou em branco. Mão Santa tem 1,32% das intenções de voto espontâneas e os outros candidatos a governador têm menos de 1% das intenções de voto espontâneas.

pesquisa3

Lourdes tem 100% de firmeza de voto

O Instituto Amostragem pesquisou a firmeza das intenções de voto estimuladas dos eleitores piauienses e uma das principais conclusões é a de que 100% dos eleitores que querem votar na candidata do PCO ao Governo do Estado asseguram que não vão escolher outro candidato até o final das eleições deste ano.

Entre os eleitores de Daniel Solon, 80% afirmam que podem escolher outro candidato e 20% asseguram que isso não vai acontecer.

Entre os eleitores de Maklandel Aquino, 53,33% afirmam que podem escolher outro candidato, enquanto 46,67% dizem que isso não vai ocorrer.

Entre os eleitores de Mão Santa, 46,58% disseram que podem escolher outro candidato até o dia das eleições e 42,21% asseguram que se manterão fiéis ao candidato e 8,22% não souberam responder ou não quiseram opinar.

Os eleitores de Neto Sambaíba estão divididos, com 75% garantindo que podem mudar de candidato e 25% dizendo que isso não vai acontecer.

Entre os eleitores de Wellington Dias, 26,27% afirmam que podem mudar de candidato e 68,64% garantem que isso não vai acontecer e 5,09% não sabem ou não opinam.
31,20% dos eleitores de Zé Filho dizem que podem mudar de candidato, mas 66,40% asseguram que isso não vai acontecer e 2,40% não sabem ou não quiseram opinar.

pesquisa4 


Fonte: Meio Norte

José Serra é intimado pela Polícia Federal para depor sobre cartel do transporte em São Paulo

José Serra é intimado pela PF para depor sobre o cartel de transporte público em SP  
A Polícia Federal intimou o ex-governador paulista e candidato ao Senado José Serra (PSDB) para depor sobre os contatos que manteve com empresas do cartel de trens que atuou no Estado entre 1998 e 2008, de acordo com documento obtido.

A polícia quer saber se o tucano, quando era governador, atuou a favor das multinacionais CAF e Alstom numa disputa com outra empresa do cartel, a Siemens, como sugerem e-mails e o depoimento de um executivo à PF.

Além de Serra, outras 44 pessoas serão ouvidas pela polícia, que investiga suspeitas de fraude em licitações em sucessivos governos do PSDB. O depoimento de Serra foi marcado para 7 de outubro, dois dias após o primeiro turno das eleições deste ano.

Também foram convocados o ex-secretário dos Transportes Metropolitanos José Luiz Portella, o atual presidente da estatal CPTM Mário Bandeira e o ex-presidente do Metrô Sérgio Avelleda.

No inquérito conduzido pelo delegado Milton Fornazari Júnior, três das sete concorrências sob investigação foram realizadas durante o governo José Serra (2007-2010).

E-mail de 2008 e depoimento do executivo da multinacional alemã Siemens Nelson Branco Marchetti sugerem que houve pressão de Serra e de Portella para que a empresa desistisse de um recurso judicial que impediria a conclusão de uma licitação da CPTM na qual a CAF apresentara a melhor proposta.

O e-mail relata uma conversa do executivo com Serra e Portella durante congresso do setor ferroviário em Amsterdã, na Holanda, em 2008.

Segundo Marchetti, Serra sugeriu que a companhia alemã buscasse um acordo para evitar a disputa com a CAF.

Na licitação da CPTM, que tinha como objeto a compra de 40 trens, a Siemens ameaçava questionar na Justiça o resultado da concorrência se não saísse vitoriosa.

A Siemens apresentou a segunda melhor oferta, mas esperava ficar com o contrato se conseguisse desqualificar a rival, que apresentara a proposta com preço mais baixo.

Segundo Marchetti, Serra alertou que a licitação seria cancelada se a CAF fosse desqualificada, mas disse que ele e Portella considerariam outras soluções para evitar que a disputa provocasse atraso na entrega dos trens.

De acordo com o e-mail, uma das saídas discutidas seria a CAF dividir a encomenda com a Siemens, subcontratando a empresa alemã para a execução de 30% do contrato. Outra possibilidade seria encomendar à Siemens os componentes dos trens.
Outro e-mail, do ex-presidente da Alstom José Luiz Álqueres, também cita Serra. Alquéres relata que Serra ajudou na abertura de uma fábrica da Alstom em uma antiga unidade da empresa Mafersa, em São Paulo.
OUTRO LADO
A assessoria do ex-governador José Serra (PSDB) disse que estranha muito a inclusão do nome dele nesse inquérito às vésperas da eleição, sobretudo depois que o Ministério Público Estadual, e até o procurador-geral de Justiça, arquivaram a mesma investigação.

A nota afirma que o procurador reconheceu que Serra atuou de maneira a evitar qualquer cartel quando esteve no governo.

Prossegue a nota da assessoria: O vazamento desse inquérito neste período eleitoral revela motivação política para produzir artificialmente uma notícia. Serra afirma que não sabia do motivo da intimação da PF.
Anteriormente, ele dissera que defendeu o interesse público ao se opor à medida judicial da Siemens, já que o preço oferecido pela CAF era muito mais baixo.

O ex-secretário de Transportes Metropolitanos José Luiz Portella e o ex-presidente do Metrô Sérgio Avelleda não quiseram se pronunciar.

A CPTM afirma que os seus dirigentes continuam colaborando com os órgãos que investigam as denúncias sobre formação de cartel por parte das empresas que participaram de licitações.
A estatal diz ter "total interesse em apurar os fatos e, constatado o prejuízo, exigir ressarcimento
FONTE:Folha

Número de casos de Aids aumenta 50% no primeiro semestre no Piauí

Em 2013 foram 201 casos, enquanto este ano houve mais de 300 registros. Teresina é a cidade que mais notificou novos casos nos últimos cinco anos.

O número de casos de Aids registrados no primeiro semestre deste ano no Piauí já é 50% maior que todos os casos confirmados no ano passado. Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde e segundo especialistas, o motivo desse crescimento acelerado é que pessoas de todas as idades estão deixando de usar preservativos. No ano passado foram 201 casos, enquanto em 2014 já são mais de 300 registros.

Uma mulher, que não quis se identificar, descobriu durante exame de rotina que estava com Aids. “Eu fiquei com algumas pessoas, mas com nenhum deles eu usei preservativo, posso ter contraído de qualquer um deles. Fiz exames e descobri que estava com Aids há um mês ”, contou.

Segundo especialistas, o aumento no número de Aids no estado é resultado do avanço no tratamento e da garantia de vida normal dos pacientes soropositivos. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a maioria dos casos são homens entre 24 e 30 anos e o total de notificações dos últimos cinco anos chega a 3.082. A maioria dessas notificações foi feita em Teresina que registrou 1.341 novos casos. No interior, Parnaíba tem 97 casos, Altos 54, Campo Maior 49 e Piripiri 42.

O infectologista Kelson Veras contou que apesar de ser controlável, a Aids é uma doença grave. “É uma doença que a pessoa vai tomar remédio para o resto da vida e às vezes esses remédios apresentam efeitos colaterais. É necessário que as pessoas voltem a ter a preocupação que tinham anteriormente com a Aids, ou seja, usar preservativo”, disse.

Um homem que convive com a doença há mais de 21 anos contou que prevenir ainda é o melhor remédio. “Por mais que você conheça a pessoa não confie de que ela não é soropositivo só porque você conhece, às vezes nem mesmo a pessoa sabe que tem a doença. O melhor é se proteger e fazer relações com preservativos”, declarou.

Fonte: G1/PI

Na TV, Wellington Dias exibe Dilma e Zé Filho aposta em Sílvio e Firmino

Na TV, Wellington Dias exibe Dilma e Zé Filho aposta em Sílvio e Firmino

Primeiro dia dos programas eleitorais dos candidatos ao Governo do Estado apresentou a história de vida dos concorrentes ao Palácio de Karnak.

Os candidatos ao governo do Estado fizeram ontem a primeira aparição no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. Na estreia dos programas, os candidatos aproveitaram o tempo de exibição na mídia para apresentarem trajetórias de vida e política ao eleitor. Além dos candidatos ao Palácio de Karnak, também foi exibido os programas dos candidatos ao Senado Federal e a deputado estadual.

Seguindo o modelo usado no programa dos candidatos a deputado federal, o senador Wellington Dias (PT) apostou na associação de sua imagem a do ex-presidente Lula (PT) e da presidente Dilma Rousseff (PT) para conquistar o eleitor. O senador do PT se apresentou como o candidato com uma história política de transformação do Piauí. Wellington lembrou que já foi governador do Piauí por duas vezes e teria contado com o apoio do ex-presidente Lula (PT) para realizar transformações no Estado. O candidato pediu o voto do piauiense para que ao lado da presidente Dilma possa realizar novas transformações no Estado.

Wellington Dias fez referência à infância pobre e sofrida no interior do Estado e lembrou da trajetória percorrida nos movimentos sociais até a primeira eleição como governador. A história do candidato foi contada por meio da literatura de Cordel. O governador Zé Filho (PMDB), que rompeu com a presidente Dilma e apoia a campanha de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, preferiu se apresentar como o candidato apoiado pelo ex-governador Wilson Martins (PSB), do ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB) e do prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB). Apesar do apoio a Aécio, o senador mineiro apareceu apenas em um trecho no programa e não foi apresentado como o candidato de Zé Filho à presidência. Durante o programa de rádio, Zé Filho preferia apresentar a imagem de um político ligado à família. 

Fonte: O Dia

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Concessionárias emitem nota ao público sobre operação 'Sorte Grande', da PF

Polícia Federal deflagrou operação para desmontar suposto esquema de sonegação fiscal em grupo empresarial do Piauí.

As concessionárias Alemanha Veículos e Canadá Veículos divulgaram, no início da noite desta quarta-feira (20), uma nota de esclarecimento sobre a Operação Sorte Grande, deflagrada hoje pela Polícia Federal com o objetivo de desmantar um esquema de sonegação fiscal supostamente engendrado nas empresas do grupo empresarial de Paulo Guimarães.

Na nota, as concessionárias informam que a operação da PF foi "um grande e lamentável equívoco", e que foi deflagrada a partir de uma investigação ultrapassada, feita ainda no ano 2000, tendo como alvo as empresas "Poupa Ganha" e "Imediata", que não possuem qualquer relação com as concessionárias.

As revendedoras de automóveis afirmam, ainda, que jamais realizaram sonegação fiscal em qualquer montante. Mas, ao contrário, "estão entre os maiores contribuintes do Estado do Piauí, seja no plano Federal, Estadual ou Municipal".

As empresas também enfatizam que a operação Sorte Grande foi deflagrada pela PF com o propósito de obter informações para um inquérito policial, e que ainda não há qualquer sentença condenatória contra as duas concessionárias. "Inquérito policial não é sentença. Até mesmo denúncia não forma convicção de culpa. Nesta fase atropelada, tais acusações não passam de hipóteses não comprovadas. Assim é a lei, assim é o direito. Todos têm direito à defesa e a nós assiste igual direito", diz o esclarecimento. 

Confira na íntegra a nota divulgada pela Alemanha e pela Canadá Veículos:

NOTA AO PÚBLICO

As empresas tidas como ligadas ao empresário Paulo Guimarães, foram alvo de estrondosa operação policial, de caráter nitidamente midiático, destinada a apurar sonegação inexistente, em montante imaginário, em cerca de 900 milhões de reais.

Com todo respeito às autoridades que determinaram a investigação e aos delegados que a conduziram, temos que afirmar, por amor à verdade, tratar-se de um grande e lamentável equívoco.
Em consulta ao inquérito policial, há relatos aos idos dos anos 2000, quando as empresas Poupa Ganha sofreram autuação fiscal fundada na suposição de que todo vendedor de cartela tinha vínculo trabalhista e que haveria, na prestação de contas, redução do número de cartelas vendidas. Isso engendrou falsa suposição de gigantesca sonegação fiscal.

As execuções foram aforadas relativas a tal caso, havendo arrolamento de bens em cautelares fiscais. Tais processos não foram ainda concluídos, mas vale notar que a Justiça já reconheceu inexistir vínculo ou solidariedade entre aquelas empresas do passado e as atuais. Na verdade, nada há que entre elas estabeleça vínculo.

Algo semelhante ocorreu com a então empresa Imediata, distribuidora de medicamentos, desativada há muitos anos. Os representantes de venda de remédios também foram vistos pela autoridade como empregados da empresa. E tal engano deu margem a autuação mirabolante.

As empresas atuais não se ligam àquelas do passado. Mas, são objetos de investigação, sem, contudo, haver qualquer relação as empresas investigadas no passado . As empresas ora investigadas, não têm qualquer relação, nem com o Poupa Ganha e nem com a Imediata, sendo incorreto pretender arrastar o passado para o presente, ou seja, que aquelas situações pretéritas sejam inspiradoras das coações ora sofridas.

Não há sonegação fiscal em qualquer montante. E ao longo do processo será demonstrada cabalmente essa afirmação.

Inquérito policial não é sentença. Até mesmo denúncia não forma convicção de culpa. Nesta fase atropelada, tais acusações não passam de hipóteses não comprovadas. Assim é a lei, assim é o direito. Todos têm direito à defesa e a nós assiste igual direito.

Os fatos serão esclarecidos sem o estrépito dessas coações, que tanto agrada às cassandras, aos abutres, àqueles que se comprazem com o sofrimento alheio, sem qualquer convicção de justiça, quer por interesses contrariados ou simplesmente por deformação de caráter.

As empresas em questão estão entre os maiores contribuintes do Estado do Piauí, seja no plano Federal, Estadual ou Municipal. Temos um histórico vitorioso de prestação de serviço à comunidade, fundado nos princípios de Verdade, Pluralidade, Respeito e Independência, atributos que certamente incomodam a detentores inviezados de qualquer tipo de poder.

Nossa resposta é o trabalho. É a contribuição social, são os empregos oferecidos. É a elevação humana, o fortalecimento de autonomias daqueles a quem servimos. Estamos ajudando a construir o Piauí e assim, também o Brasil. E nesse mister seguiremos firmes, com corágem irretocável.
Alemanha Veículos
Canadá Veículos 

Com informações do Portal O Dia

Facebook cria tag para identificar posts de mentira


satire

O Facebook começou a usar a tag “Sátira” para classificar alguns dos posts - como os publicados pelo site de humor The Onion, cuja especialidade é fazer graça parodiando o noticiário (suas matérias têm títulos como “Policial não diferencia suspeitos negros e pardos”, ou “Nova montanha-russa tem 15 mil km”). A tag é aplicada automaticamente e, segundo o Facebook, foi um pedido dos usuários, que não estavam conseguindo diferenciar realidade e ficção. A classificação só funciona com conteúdo em inglês, e ainda está em testes. Mas, considerando a quantidade de boatos e notícias falsas que aparecem no Facebook, um filtro poderia ser bem útil.

Dívida de R$ 900 milhões havia sido parcelada em centenas de anos

Grupo empresarial forjava falência para pagar débitos em parcelas de até R$ 200.

A fraude descoberta pelo Ministério Público Federal, Polícia Federal e Receita Federal, divulgada hoje com a deflagração da Operação Sorte Grande, consistia no enriquecimento ilícito propiciado pelo acúmulo de dívidas juntos à Receita Federal e o parcelamento dos débitos em mensalidades de aproximadamente R$ 100 e R$ 200.


Delegado da Polícia Federal, Carlos Alberto e Tarcísio Abreu, e Seperintendente da Receita Federal, Marcellus Alves

Segundo o delegado Regional de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Carlos Alberto, o valor de quase R$ 900 milhões, sonegado por um dos maiores grupos empresariais do Piauí que atuava na área de comunicação, concessionárias e empreendimentos imobiliários, havia sido parcelado em centenas de anos.

Leia mais: 

A Polícia Federal descobriu que a fraude se dava quando uma das empresas do grupo deixava de pagar os impostos e, ao ser cobrada, forjava a falência do empreendimento. Segundo o superintendente da Receita Federal, Marcellus Alves, antes de ter os débitos lançados, a empresa começava a transferir os bens para outra “laranja”, fazendo o esvaziamento patrimonial daquela que estava devendo à Receita. "Assim, eles conseguiam a autorização legal para pagar a parcela mínima”, disse o superintendente.

A transferência de bens era feita para algumas pessoas "laranjas" ou empresas estrangeiras, situadas no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. O recurso sonegado, após percorrer um ciclo, retornava para o principal beneficiário e suposto mentor da fraude.

Ao todo, 13 pessoas foram obrigadas a prestar depoimento nas sedes da Polícia Federal, sendo 11 em Teresina e 2 em São Paulo. “Foram conduzidas pessoas do primeiro e segundo escalão, os “laranjas” e os titulares de fato das empresas”, disse o delegado Carlos Alberto. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em 14 estabelecimentos comerciais e residências de Teresina, Timon e São Paulo.

Na operação, a polícia apreendeu notas estrangeiras, notas em real e duas armas de fogo, que serão analisadas quanto ao registro legal. O delegado Carlos Alberto se negou a divulgar o valor apreendido em dinheiro, mas admitiu que a PF estipulou um limite. A apreensão só ocorreu porque o valor encontrado foi acima desse corte estabelecido. Ninguém foi preso, pois os órgãos envolvidos na Operação Sorte Grande entenderam que era mais eficaz o recolhimento de material e a oitiva simultânea dos investigados.

Segundo Marcellus Alves, a Receita Federal agora vai operar todas as medidas para bloquear os bens que estão relacionados ao grupo empresarial, no sentido de garantir o ressarcimento ao erário público. “Vamos promover também novos lançamentos para garantir os créditos em relação às novas empresas que foram constituídas recentemente com o fim de acobertar o verdadeiro beneficiário da fraude”, disse o superintendente.


Ao todo, o grupo possui mais de 50 empresas. Recentemente, em apenas duas delas a Receita Federal descobriu que foram omitidos valores na ordem de R$ 25 milhões. Os crimes investigados são de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica.

Fonte: O Dia

 

Interpol também investiga grupo que sonegou R$ 896 milhões no Piauí

Grupo tem empresas no PI e paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. Operação Sorte Grande foi deflagrada nesta quarta-feira (20) em Teresina.

Delegado Carlos Alberto relata como grupo fraudava INSS (Foto: Juliana Barros/ G1) 
Delegado Carlos Alberto relata como grupo fraudava INSS (Foto: Juliana Barros/ G1)

O delegado da Polícia Federal, Carlos Alberto, informou que grupo empresarial com sede no Piauí e que sonegou aproximadamente R$ 896 milhões em impostos também é investigado pela Interpol (Polícia Internacional). Segundo o delegado, o grupo mantém empresas no estado, mas também no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. A Polícia Federal não revelou o nome do grupo empresarial porque as investigações correm em segredo de justiça. Empresas estão sendo alvo da Operação Sorte Grande que foi deflagrada nesta quarta-feira (20).

“Este grupo sonegou R$ 896 milhões de impostos. Ao todo, eles possuem mais de 50 empresas e destas 14 estão sediadas em Teresina e há ainda empresas no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. A partir do momento que a Polícia Federal entrou no caso, a Interpol também foi acionada”, comentou o delegado.
Carlos Alberto explicou também como o grupo agia.“Utilizando-se de ‘laranjas’ e de empresas offshore, as pessoas que estavam no primeiro escalão do grupo realizaram sucessivas mudanças nos quadros societários das empresas devedoras do fisco para afastar deles as dívidas. Além disso, eles transferiram os ativos das empresas para novas pessoas jurídicas que eram formadas usando ‘laranjas’ e abandonavam as devedoras”, esclareceu.

Ainda conforme o delegado, para evitar o efetivo pagamento dos débitos tributários e impedir a persecução penal em desfavor dos responsáveis, os envolvidos nas fraudes aderiram a programas de recuperação fiscal, legalmente previstos em conformidade com a Receita Federal, arrolando, em garantia, bens de baixos custos (cadeiras e aparelhos de ar condicionado, por exemplo). "Com isso eles conseguiam estabelecer parcelas mensais ínfimas, cujo pagamento integral nunca será concretizado", relatou.
Pelo menos 11 pessoas foram conduzidas para a sede da PF em Teresina. Duas pessoas que estavam em

Timon, no Maranhão e outra em São Paulo também prestarão depoimento. A reportagem do G1 acompanhou o trabalho dos policiais e viu que mandados de busca e apreensão foram cumpridos em duas concessionárias da capital, a Alemanha e Canadá Veículos. Um hotel que também pertence ao grupo foi alvo das buscas. Vários documentos foram levados para a sede da PF.

Fonte: G1/PI

INTERPOL investiga dinheiro do Grupo MN em paraíso fiscal

PF-PI E RECEITA APONTAM sonegação de quase R$ 900 milhões; Funcionários ouvidos

A Polícia Federal divulgou em nota aos jornalistas que a Operação Sorte Grande, deflagrada nesta manhã de quarta-feira (20/09) contra o Grupo Meio Norte, cumpriu mandados de busca e apreensão pela prática de sonegação fiscal, falsidade ideológica e ainda por lavagem de dinheiro em associação criminosa. A operação conta com o apoio da Receita Federal.

Segundo o procurador Marco Túlio, o presidente do grupo Meio Norte, Paulo Guimarães foi conduzido pela PF em São Paulo para prestar esclarecimentos. A justiça expediu ainda mandados de condução coercitiva, um deles cumprido com o diretor financeiro da Alemanha Veículos, Luis Carlos. Ao total, 13 pessoas foram conduzidas pela Polícia Federal, duas em São Paulo e outras 11 em Teresina e Timon.
A maioria são pessoas do primeiro e segundo escalão do Grupo Meio Norte, entre gerentes e diretores de empresa, que seguem na sede da Polícia Federal prestando esclarecimentos.

Segundo a nota, o grupo que possui ampla área de atuação comercial, é investigado pela sonegação de tributos, que em 2013 chegaram ao valor de R$ 896 milhões. As investigações mostraram que a organização usava “laranjas” e empresas de offshore, sediadas no paraíso fiscal das Ilhas Virgens. Para driblar a investigação o grupo realizava sucessivas mudanças nos quadros societários das empresas devedoras do fisco para afastá-las de seus verdadeiros proprietários e transferiu seus ativos para novas pessoas jurídicas também constituídas com o emprego de “laranjas” e offshores, deixando as devedoras “desmontadas”, apenas com as dívidas.

Para evitar o efetivo pagamento dos débitos tributários e impedir a persecução penal em desfavor dos responsáveis, os envolvidos nas fraudes aderiram a programas de recuperação fiscal, legalmente previstos em conformidade com a Receita Federal, arrolando, em garantia, bens de baixos custos (cadeiras e aparelhos de ar condicionado, por exemplo), com o que conseguiam estabelecer parcelas mensais ínfimas, cujo pagamento integral nunca será concretizado.

A Operação Sorte Grande contou com a participação de 85 policiais federais, entre delegados, peritos, escrivães e agentes, além de 18 auditores e quatro analistas tributários da Receita Federal.

marco2.jpg

O Grupo Meio Norte, liderado por Paulo Guimarães, atua nas áreas de comunicação (TV, rádio e jornal), venda de veículos (concessionárias), empreendimentos imobiliários (construção de shopping centers e outros imóveis), educação (faculdades) e de saúde (hospital e operadoras de plano de saúde). São cerca de 50 empresas que estariam envolvidas no esquema de fraude.

Jurandi Porto (foto abaixo), advogado do grupo, informou à reportagem do 180 que até o momento a maioria das informações divulgadas são "especulação". Ele refere-se assim até mesmo aos valores divulgados pela PF. "Não há ninguém detido, e essas informações de valores são especulações. Estamos usando de todos os artifícios legais para defender o grupo", disse.

fela1.jpg

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em 14 locais, entre eles, no Condomínio Aldebaran Ville, onde foram apreendidos documentos na residência de Paulo Guimarães e da sua filha, Livia Guimarães. No local, a ação ocorreu por volta das 6h da manhã. Eram pelo menos três veículos da polícia Federal. Na investigação, inclusive, a interpol foi acionada para auxiliar, devido às contas mantidas fora do país. Na operação, dois revólveres sem registro foram apreendidos, mas a PF não informou onde as apreensões foram feitas.

10617525_627429054031117_450402014_n.jpg
10617666_627429087364447_598462610_n.jpg

O delegado Carlos Alberto afirmou que nenhum bem chegou a ser indisponibilizado, mas que "tudo pode acontecer" e talvez os bens tenham de ser restituídos para a União. A possibilidade é de que outros crimes possam ser descobertos.

INTERPOL INVESTIGA DINHEIRO DO GRUPO MN
 
O delegado de Combate ao Crime Organizado Carlos Alberto informou que a Interpol já vinha monitorando os passos do empresário Paulo Guimarães. Ele não quis entrar em detalhes mais disse que a ajuda foi solicitada pela própria Polícia Federal.

A Polícia internacional busca informações sobre indícios de lavagem de dinheiro nas ilhas virgens britânicas, para onde o empresário remetia os valores supostamente lavados no Brasil.

Paraísos fiscais são estados nacionais ou regiões autônomas onde a lei facilita a aplicação de capitais estrangeiros, oferecendo uma espécie de dumping fiscal , com alíquotas de tributação muito baixas ou nulas se comparadas às de outros países.

Na prática, ocorre a facilidade para aplicação dos valores que são de origem desconhecida, protegendo a identidade dos proprietários do dinheiro, ao garantirem o sigilo bancário absoluto.

Esses territórios são marcados por grandes facilidades na atribuição de licenças para a abertura de empresas, além de os impostos serem baixos ou inexistentes. São geralmente avessos à aplicação das normas de direito internacional que tentam controlar o fenômeno da lavagem de dinheiro.
A relação do empresário com os paraísos fiscais nas ilhas virgens britânicas é antiga.

Publicada às 8h10
A Polícia Federal cumpre mandados em 2 concessionárias e um hotel de Teresina na manhã desta quarta-feira (20/08). Há equipes na Canadá Veículos, Alemanha Veículos e no hotel Blue Tree Rio Poty Hotel.

A operação denominada Sorte Grande é realizada ainda nos estados do Maranhão e São Paulo. Às 11h será concedida entrevista coletiva na sede da Polícia Federal em Teresina para informar detalhes sobre a operação.

A reportagem do 180 tentou conversar com policiais que cumpriam mandados na Alemanha e Canadá veículos, mas ninguém quis se pronunciar. As duas concessionárias alvos da operação desta manhã são ligadas ao Grupo Meio Norte. No hotel Blue Tree, localizado no bairro Ilhotas, os policiais deixaram o estabelecimento por volta de 8h10, sem se pronunciarem.

Nos três locais a polícia abordou os gerentes em busca de documentação, grande parte apreendida. O diretor financeiro da Alemanha, Luis Carlos, acabou sendo conduzido por quatro agentes.

2014-08-20 08.43.05.jpg

PF DIVULGA NOTA
"A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 20/08/2014, em ação conjunta com a Receita Federal do Brasil, a Operação “SORTE GRANDE”, com o objetivo de cumprir mandados de busca e apreensão e de conduta coercitiva, para interrogatório, de componentes de um grupo empresarial de grande porte com sede no Estado do Piauí, pela prática de sonegação fiscal, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro em associação criminosa.
Às 11:00hs foi concedida uma entrevista coletiva no auditório desta Regional, ocasião em que serão fornecidos os detalhes da operação.
Teresina/PI, 20 de Agosto de 2014.
Assessoria de Comunicação/SR/DPF/PI"

2014-08-20 08.42.56.jpg
2014-08-20 08.42.58.jpg
DSC_0001.JPG
DSC_0010.JPG
DSC_0346.JPG
DSC_0348.JPG
DSC_0353.JPG
DSC_0359.JPG
DSC_0016.JPG
DSC_0020.JPG
IMG_20140820_082158.jpg
IMG_20140820_082312.jpg
IMG_20140820_082322.jpg
IMG_20140820_085131.jpg
IMG_20140820_085254.jpg
IMG_20140820_085315.jpg
IMG-20140820-WA0009.jpg
IMG_20140820_085202.jpg
drop1.jpg
IMG-20140820-WA0027.jpg

A QUALQUER MOMENTO MAIS INFORMAÇÕES. 

Fonte: Portal 180 Graus
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips