domingo, 30 de novembro de 2014

Caluniador de filho de Lula na internet é executivo do instituto FHC

Xico_Graziano03_Filho 
Fábio Luís, acusado de ser dono de grandes áreas de terra e supostas mansões e aviões, quer punição a boateiros.
Gilberto Nascimento, via Brasil Econômico

Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente Lula, pediu a abertura de um inquérito no 78º DP, na capital paulista, para a identificação dos responsáveis por boatos na internet de que seria dono de grandes áreas de terra e supostas mansões e aviões, além de empresas. Uma das áreas mostradas é, na verdade, da Escola Superior de Agricultura (Esalq), de Piracicaba.

Lulinha foi alvo de piadas e brincadeiras de blogueiros presentes à entrevista com o seu pai na terça-feira, dia 8, em São Paulo. Ele foi questionado por não estar, naquele momento, cuidando de suas fazendas ou administrando os negócios da Friboi. Lulinha riu. O filho do ex-presidente é alvo de boatos na internet de que seria dono de grandes áreas de terra e supostas mansões e aviões, além de empresas. Uma das áreas mostradas é, na verdade, da Escola Superior de Agricultura (Esalq), de Piracicaba. Agora, ele até trata a questão com bom humor.

Seis internautas já foram chamados a depor. Apenas um, Daniel Graziano, ainda não compareceu. Daniel é gerente administrativo e financeiro do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC), ligado ao ex-presidente tucano. É filho de Xico Graziano, coordenador da área de internet do pré-candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves. Procurado no iFHC, ele não retornou. Os outros intimados – Roger Lapan, Adrito Dutra Maciel, Silvio Neves, Paulo Cesar Andrade Prado e Sueli Vicente Ortega – disseram acreditar que os comentários sobre compra de fazendas e aviões fossem verdadeiros e não teriam “pensado na hora de fazer as postagens”.

O advogado de Lulinha, Cristiano Zanin Martins, diz aguardar o resultado das investigações para definir se entrará ou não com processo contra as pessoas que “macularam a imagem” de seu cliente.
Lulinha mora no Paraíso, na capital paulista, numa área de classe média. Em seu prédio, nenhum morador conversa com ele. Por outro lado, diz ser abordado o tempo todo pelos porteiros, faxineiros, garçons e frentistas que querem bater papo e perguntar sobre seu pai.


Fonte: Limpinho e Cheiroso

As filhas de servidores que ficam solteiras para ter direito a pensão do Estado

FELICIDADE O casamento de Márcia Brandão Couto. Ela se manteve solteira no civil para seguir recebendo  R$ 43 mil por mês do Estado (Foto: Arq. pessoal)

As pensões a filhas solteiras de funcionários públicos consomem por ano R$ 4,35 bilhões do contribuinte – e muitas já se casaram, tiveram filhos, mas ainda recebem os benefícios

Era um sábado nublado. No dia 10 de novembro de 1990, a dentista Márcia Machado Brandão Couto cobriu-se de véu, grinalda e vestido de noiva branco com mangas bufantes para se unir a João Batista Vasconcelos. A celebração ocorreu na igreja Nossa Senhora do Brasil, no bucólico bairro carioca da Urca. A recepção, num clube próximo dali, reuniu 200 convidados. No ano seguinte, o casal teve seu primeiro filho. O segundo menino nasceu em 1993. Para os convidados do casamento, sua família e a Igreja Católica, Márcia era desde então uma mulher casada. Para o Estado do Rio de Janeiro, não. Até hoje, Márcia Machado Brandão Couto recebe do Estado duas pensões como “filha solteira maior”, no total de R$ 43 mil mensais. Um dos benefícios é pago pela Rioprevidência, o órgão previdenciário fluminense. O outro vem do Fundo Especial do Tribunal de Justiça. A razão dos pagamentos? Márcia é filha do desembargador José Erasmo Couto, que morreu oito anos antes da festa de casamento na Urca.

Os vultosos benefícios de Márcia chegaram a ser cancelados por uma juíza, a pedido da Rioprevidência. Ela conseguiu recuperá-los no Tribunal de Justiça do Rio, onde seu pai atuou por muitos anos. O excêntrico caso está longe de ser exceção no país. Um levantamento inédito feito por ÉPOCA revela que pensões para filhas solteiras de funcionários públicos mortos custam ao menos R$ 4,35 bilhões por ano à União e aos Estados brasileiros. Esse valor, correspondente a 139.402 mulheres, supera o orçamento anual de 20 capitais do país – como Salvador, Bahia, e Recife, Pernambuco. Ao longo de três meses, ÉPOCA consultou o Ministério do Planejamento e os órgãos de Previdência estaduais para apurar os valores pagos, o número de pensionistas e a legislação. Ao menos 14 Estados confirmaram pagar rendimentos remanescentes para filhas solteiras, embora todos já tenham mudado a lei para que não haja novos benefícios. Hoje, as pensões por morte são dadas a filhos de ambos os sexos até a maioridade e, por vezes, até os 24 anos, se frequentarem faculdade. Santa Catarina, Amapá, Roraima, Tocantins e Mato Grosso do Sul informaram não ter mais nenhum caso. Distrito Federal, Ceará, Rio Grande do Norte, Alagoas, Rondônia e Piauí deram informações incompletas ou não forneceram a quantidade de pensionistas e o valor gasto. ÉPOCA não conseguiu contato com a Paraíba. É provável, portanto, que os números sejam superiores aos 139.402 apurados e aos R$ 4,35 bilhões.
NO EXTERIOR Tereza Gavinho com sua família em Roma (no alto) e na Disney (acima).  Ela nega ter vivido com o pai dos três filhos (Foto: Arq. pessoal)
 

Oriunda de uma época em que as mulheres não trabalhavam e dependiam do pai ou do marido, a pensão para filhas solteiras maiores de 21 anos pretendia não deixar desassistidas filhas de servidores mortos. Hoje, a medida dá margem a situações como a de Márcia e a diversas fraudes. Para ter o direito, a mulher não pode se casar ou viver em união estável. Para driblar a lei e seguir recebendo os benefícios, muitas se casam na prática. Moram com o marido, têm filhos, mas não registram a união oficialmente. O governo federal concentra 76.336 casos. Isso corresponde a 55% dos benefícios do país, só entre filhas de servidores civis mortos até dezembro de 1990. Os militares da União descontam mensalmente 1,5% do salário para deixar pensão para as filhas. O custo anual aos cofres federais é de R$ 2,8 bilhões. Segundo o Ministério do Planejamento, trata-se de direito adquirido. O total diminuiu 12% desde 2008. Houve 3.131 mortes, 1.555 mudanças de estado civil, e 1.106 assumiram cargo público – pela lei federal, motivo de perda. As “renúncias espontâneas” foram apenas 518. O governo afirma que “as exclusões decorrem do trabalho de qualificação contínua da base de dados de pessoal” e que a busca por inconsistências na folha é permanente. A partir de 2014, a Pasta centralizará a lista de pensionistas filhas solteiras, hoje dispersas.

Quanto custam as “filhas solteiras” (Foto: ÉPOCA)

O Rio de Janeiro, antiga capital do país, é o Estado com mais casos: 30.239, a um custo anual de R$ 567 milhões, um terço dos benefícios da Rioprevidência. Em São Paulo, 15.551 mulheres consomem R$ 451,7 milhões por ano. As pensões paulistas custam, em média, R$ 2.234, quase o dobro das fluminenses. Valem para mortes até 1992 para civis (4.643), e até 1998 para militares estaduais (10.908). Segundo a São Paulo Previdência (SPPrev), há recadastramento anual obrigatório para identificar irregularidades. “Pensionistas que mantêm união estável e não a informam à autarquia praticam fraude, estão sujeitas à perda do benefício e a procedimentos administrativos e podem ter de ressarcir os valores”, informou a SPPrev.

Uma das pensões polêmicas pagas por São Paulo, a contragosto, vai para a atriz Maitê Proença. Seu pai, o procurador de Justiça Eduardo Gallo, morreu em 1989. Maitê recebe cerca de R$ 13 mil, metade da pensão, dividida com a viúva. Em 1990, Maitê teve a filha Maria Proença Marinho, com o empresário Paulo Marinho, com quem teve um relacionamento por 12 anos, não registrado. A SPPrev cortara o benefício, sob a alegação de que a atriz vivera em união estável. Maitê recorreu, obteve sentenças favoráveis em primeiro grau e no Tribunal de Justiça. Mantém a pensão, ainda em disputa. Segundo seu advogado, Rafael Campos, Maitê “nunca foi casada nem teve união estável” com Marinho, e a revisão do ato de concessão da pensão já estava prescrita quando houve o corte. “O poder público não pode rever seus atos a qualquer momento, senão viveremos numa profunda insegurança jurídica”, diz.
O Rio Grande do Sul paga 11.842 pensões para filhas solteiras, ao custo de R$ 319,5 milhões, média de R$ 2.075 mensais cada. Depois, vêm Paraná (1.703 e R$ 92,5 milhões anuais); Minas Gerais, com 2.314 casos, e gastos de R$ 67 milhões por ano; Sergipe (571, R$ 19,3 milhões), Pará (276), Mato Grosso (198), Bahia (163), Acre (123), Amazonas (31), Maranhão (21), Pernambuco e Espírito Santo (ambos com 17 cada).

O Maranhão paga as maiores pensões entre os Estados brasileiros – R$ 12.084 mensais, em média. Segundo o órgão previdenciário maranhense, todas são pagas a filhas de magistrados e integrantes do Tribunal de Contas do Estado. Amazonas, com benefícios médios de R$ 7.755, e Acre, com R$ 6.798, aparecem em seguida. Por todo o país, há mulheres com três ou quatro filhos do mesmo homem que dizem jamais ter vivido em união estável. “Tenho sete filhos com o mesmo pai, mas só namorava”, diz uma pensionista do Rio. Situação semelhante é vivida pela advogada Tereza Cristina Gavinho, filha de delegado de polícia (salário aproximado de R$ 20 mil), cuja pensão foi cortada, mas devolvida após decisão da Justiça. De acordo com a Rioprevidência, há “sérios indícios de omissão dolosa do casamento/convivência marital com o sr. Marcelo Britto Ferreira, com o qual tem três filhos!!!”. Tereza nega ter vivido com ele. Algumas explicações são curiosas. “O pai dos meus filhos é meu vizinho e é casado”, diz uma mulher no Rio. “Não posso ter união estável porque sou homossexual”, afirma outra. A maioria das fraudes é constatada após denúncias de parentes, geralmente por vingança. “A parte mais sensível do ser humano é o bolso, e aí não tem fraternidade nem relação maternal”, afirma Gustavo Barbosa, presidente da Rioprevidência.

BENEFICIADA A atriz Maitê Proença. Ela nega ter sido casada e recebe R$ 13 mil por mês como  “filha solteira” (Foto: Reginaldo Teixeira/Ed. Globo)




A dentista Márcia, alvo de uma ação popular que inclui fotos de seu casamento, nega ter se casado. Numa ação para obter pensão alimentícia para os filhos, afirma, porém, que “viveu maritalmente com João Batista, sobrevindo dessa relação a concepção dos suplicantes (filhos)”. Seu advogado, José Roberto de Castro Neves, diz que a cerimônia religiosa foi “como um teatro, ela era de uma família tradicional, mãe religiosa e pai desembargador, então ela fez essa mise-en-scène”. Márcia não trabalha como dentista. Vive dos benefícios. Para a Procuradoria-Geral do Rio, tal pensão gera “parasitismo social” – por contar com a pensão, o cidadão deixa de produzir para a sociedade. Em 2011, o Rio passou a exigir a assinatura de termo em que as pensionistas declaram, “sob as penas da lei”, se vivem ou viveram “desde a habilitação como pensionista, em relação de matrimônio ou de união estável com cônjuge ou companheiro”. A Rioprevidência hoje corta a pensão de quem reconhece casamento, recusa-se a assinar ou falta, após processo administrativo. A partir da medida, 3.140 pensões foram canceladas, uma economia anual de R$ 100 milhões.

Até os advogados de Márcia e Maitê reconhecem a necessidade de combater irregularidades e abusos. “O risco é tratar os casos sem analisar as peculiaridades. Evidentemente, há abusos que devem ser coibidos”, diz Castro Neves, advogado de Márcia. O maior risco, na verdade, é o Brasil seguir como um país de privilégios mantidos pelo contribuinte.


Fonte: Época

sábado, 29 de novembro de 2014

Piauí comercializa quase R$ 830 milhões em leilão de energia eólica

 
Com condições favoráveis à produção de energia eólica, o Piauí mais uma vez se destacou no leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), nesta sexta-feira (28). Foram comercializados mais de R$ 828 milhões com a venda de lotes nos municípios de Queimada Nova e Lagoa do Barro. Ao todo, nove projetos foram vendidos, totalizando uma potência de 225 MW. Os empreendimentos pertencem às empresas Atlantic e Ventos de São Virgílio.

O leilão

De acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, 51 usinas foram vencedoras do certame, com 4.979.828 megawatts (MW) de potência contratada, garantindo a capacidade de transmissão de 2.900,900 MW médio (MWm). O custo marginal de referência do leilão foi R$ 209 por megawatt-hora (MWh) e o preço médio de venda alcançado foi R$196,11.

O montante negociado chegou a 583.850.275,200 MWh e o contratado foi 2.742,500 MWm. Foram contratados 27.425 lotes. O valor financeiro movimentado no certame foi R$ 114.496.330.767,96, gerando economia de R$ 2.008.071.876,84, com deságio de 1,72%.
 
Início

A energia negociada terá início de suprimento em janeiro de 2019. Para as termelétricas (carvão, gás natural em ciclo combinado e biomassa) e para a fonte eólica, os contratos de compra e venda serão na modalidade por disponibilidade. No primeiro caso, o prazo de suprimento é 25 anos e no segundo, 20 anos. Os empreendimentos hidrelétricos, por sua vez, serão na modalidade por quantidade, com prazo de 30 anos.


Fonte: Cidade Verde

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Morre criador e intérprete de Chaves e Chapolin, Roberto Bolaños, aos 85 anos

Chaves - Home - 600 x 600 
Chesperito (como era conhecido) vinha sofrendo com problemas de saúde que se agravaram desde o começo de maio 

O ator que interpretou os personagens Chaves e Chapolin Colorado na TV, Roberto Gómez Bolaños, morreu nesta sexta-feira, 28, aos 85 anos, na cidade de Cancún, no México. O motivo da morte não foi confirmado. Doente desde novembro de 2013, ele vinha sofrendo com complicações físicas e mal conseguia se movimentar, mantendo-se em repouso permanente. As informações são da emissora mexicana Televisa, responsável pela produção dos programas do humorista.

O mexicano Chespirito (como era conhecido) foi um dos nomes mais marcantes da comédia na América Latina, protagonizando expressões icônicas, como “foi sem querer querendo”, “não contavam com a minha astúcia!” e “isso, isso, isso”, esta acompanhada pelo gesto característico com os dedos.

Casado com a atriz Florinda Meza (intérprete da maioria das personagens femininas das séries Chaves e Chapolin, entre elas, a Dona Florinda), Bolaños morava na cidade de Cancún, ao nível do mar, para favorecer as condições de saúde, em um balneário, afastado das investidas da imprensa.

No dia 30 de abril, o jornal mexicano Diario Basta! publicou um relato de uma pessoa próxima à família, dizendo: “O senhor Roberto se encontra em estado grave, porém, estável, é o que dizem os médicos, que já informaram à família que não existe mais esperança de recuperação, e que eles temem o pior e já estão se preparando para isso”. Pelo Twitter, o filho do comediante, Roberto Gomez Fernán, respondeu: “Meu pai, bem de saúde. Muito tranquilo ao nível do mar. Obrigado por perguntar”.

Logo depois, foi veiculada uma mensagem de resposta ao tuíte do filho, supostamente escrita pelo próprio Bolaños. Ele diz: “Não só estou tranquilo como estou feliz com Gra, minha filha mais velha que está de visita em casa. Amo-a. Chesperito”.

O ator – que também era escritor – teve as vias respiratórias deterioradas devido ao cigarro, uma vez que era fumante há décadas. Em certa altura da vida, ele chegou a declarar: “O melhor conselho que posso lhes dar é que não fumem. Isso é o pior que podem fazer”. Ele também já colecionava algumas internações em hospitais, sendo uma delas em 2012, na Cidade do México, e outra em novembro de 2013, em Cancún, devido a insuficiências respiratórias.

No aniversário do comediante, em 21 de fevereiro, um parente próximo não identificado disse que não haveria festa, pois "sua saúde está frágil e, há algum tempo, ele fica na cama com acompanhamento médico". Ele completou dizendo que "uma pessoa fica com ele 24 horas por dia”.

Carreira na TV
Nascido em 1929 na Cidade do México e sobrinho do ex-presidente do país Gustavo Díaz Ordaz Bolaños, Roberto Gómez Bolaños começou na televisão nos anos 1950, tendo o nome Chesperito dado pelo diretor Augustín P. Delgado logo no começo da carreira. A ideia era ser um diminutivo de Shakespeare – “Shakespierito” – devido à baixa estatura de Bolaños (1,60 m).

As duas séries de comédia televisiva pelas quais Bolaños ficou conhecido no Brasil surgiram nos anos 1970. O Chaves começou em 1971, como série semanal com meia hora de duração. A partir de 1973, toda a América Latina já assistia ao programa, que batia recordes de audiência (chegava a 60 pontos no México em 1975). No Brasil, desde 1984, a série foi assistida por várias gerações, e é exibida ainda hoje pelo SBT.
O personagem de oito anos de idade vivido por Bolaños, na vila que dividia com Seu Madruga, Chiquinha,

Dona Florinda, Quico, Professor Girafales, entre outros, morava em um barril no meio da vizinhança, sempre pedindo um sanduíche de presunto ou um pirulito. Os choros característicos, os conflitos recorrentes e o enredo que sempre envolveu problemas e assuntos universais fez com que a série fosse (e seja) assistida por pessoas de todas as idades, em épocas distintas.

Chapolin durou de 1970 a 1979, e começou como quadro de dez minutos no programa de Chespirito. A saga do super-herói que vestia vermelho e amarelo chama a atenção pela falta de recursos para a produção (em contraste com as séries de heróis norte-americanos), o que fazia com que a criatividade de Bolaños fosse imprescindível para o sucesso do programa.

Sem super poderes, e todo atrapalhado, o Chapolin Colorado oferecia mais do que boas risadas, já era um personagem que superava todos os problemas sem ter nada especial – era o super-herói da América Latina. Ainda, Chapolin era um produto mais fácil de se exportar do que Chaves, graças à linguagem, que, na série da vizinhança, era quase impossível de se traduzir - devido às expressões - para outra língua (com exceção do Português).

Bolaños comandou o programa Chesperito (que em algumas épocas exibiu os programas Chapolin e Chaves) durante 25 anos nos dias de segunda-feira, às 20h, no México. Ele escreveu e atuou em filmes – entre eles o sucesso na bilheteria mexicana El Chanfle –, escreveu roteiros para telenovelas, obras teatrais além de três livros.

Fenômeno da cultura popular e da comédia latino-americana, Roberto Bolaños deixa os filhos Roberto, Teresa, Marcela, Graciela, Paulina e Cecilia, assim como a mulher Florinda Meza e uma legião de fãs e admiradores, que continuam a dar risada com a eterna produção do comediante.

Fonte: Rolling Stone Brasil

O manifesto e a malandragem de O Globo

 
(Foto apenas  ilustrativa)

Na segunda-feira (24), um grupo de intelectuais, lutadores sociais e ativistas digitais – de várias origens e partidos políticos – lançou o manifesto “Em defesa do programa vitorioso nas urnas”. O objetivo era criticar a violenta ofensiva da direita derrotada nas eleições, que tenta enquadrar a presidenta Dilma Rousseff e, ao mesmo tempo, cobrar do novo governo uma postura mais ousada para avançar nas mudanças no Brasil. O texto teve ampla repercussão nas redes sociais, ecoou no Palácio do Planalto e foi objeto das intrigas e das futricas da mídia oposicionista. Nesta quinta-feira (27), o jornal O Globo reconheceu publicamente o impacto do documento e dedicou um editorial – intitulado malandramente de “Cegueira ideológica no manifesto petista” – para desqualificá-lo.


Os barões da mídia – que fizeram campanha aberta e criminosa contra a reeleição de Dilma Rousseff, conforme comprovado pelo site “Manchetômetro” e que agora esperneiam para impor o programa dos derrotados ao novo governo – não aceitam a legítima pressão de outros setores da sociedade. Para eles, a luta de classes deveria ser extinta, de preferência nos porões da ditadura ou por um decreto tucano. O jornal da famiglia Marinho, que faz pressão para impor seus ministros e seu programa neoliberal de austeridade fiscal, aperto monetário, privatização, arrocho salarial e desemprego, sentiu o impacto do manifesto e, por isso, tenta ridicularizá-lo. Trata seus signatários como esquerdistas que não enxergam a realidade e que vivem num “mundo visto pela lógica das ideologias”.

Para o jornal O Globo, que defende os interesses dos banqueiros e dos latifundiários, o documento peca por criticar as escolhas do rentista Joaquim Levy e da ruralista Kátia Abreu para o ministério de Dilma. A tentativa de demonizá-los, afirma o diário, confirmaria a visão maniqueísta de setores da esquerda, que “parecem acometidos de um purismo tardio e fora de época”. Para o jornal, a confirmação destes nomes seria a prova cabal da força do “deus-mercado”. “Esses militantes poderão se sentir traídos por Dilma. Mas terá de ser reconhecido que a presidente reeleita demonstrou admitir algo, de forma implícita, por sobre suas convicções ideológicas: que o Estado brasileiro ruma para a insolvência, devido ao fracasso da sua política do ‘novo marco macroeconômico’”.

“O manifesto falseia ao afirmar que possíveis nomeações de ministros ‘sinalizam uma regressão da agenda vitoriosa nas urnas’. Faltou atenção aos redatores: se em nenhum momento a candidata Dilma disse dos palanques o que faria em termos de política econômica, também não foi enfática na defesa da manutenção dos rumos. Alardear que está a favor da manutenção de empregos e dos pobres é o mesmo que defender em praça pública a luz elétrica e a água encanada. Ninguém discorda. O problema é fazer com que não faltem nem luz nem água. E esta é responsabilidade direta da presidente, e não do PT e de seus militantes”, concluiu o editorial, que não esconde o seu titânico empenho em impor a agenda dos derrotados à presidente reeleita.

Em síntese: O Globo reconheceu a força do manifesto, que reproduzo abaixo – só para irritar os editorialistas a soldo da famiglia Marinho:
*****
Em defesa do programa vitorioso na urna

A campanha presidencial confrontou dois projetos para o país no segundo turno. À direita, alinhou-se o conjunto de forças favorável à inserção subordinada do país na rede global das grandes corporações, à expansão dos latifúndios sobre a pequena propriedade, florestas e áreas indígenas e à resolução de nosso problema fiscal não com crescimento econômico e impostos sobre os ricos, mas com o mergulho na recessão para facilitar o corte de salários, gastos sociais e direitos adquiridos.

A proposta vitoriosa unificou partidos e movimentos sociais favoráveis à participação popular nas decisões políticas, à soberania nacional e ao desenvolvimento econômico com redistribuição de renda e inclusão social.

A presidenta Dilma Rousseff ganhou mais uma chance nas urnas não porque cortejou as forças do rentismo e do atraso e sim porque movimentos sociais, sindicatos e milhares de militantes voluntários foram capazes de mostrar, corretamente, a ameaça de regressão com a vitória da oposição de direita.

A oposição não deu tréguas depois das eleições, buscando realizar um terceiro turno em que seu programa saísse vitorioso. Nosso papel histórico continua sendo o de derrotar esse programa, mas não queremos apenas eleger nossos representantes políticos por medo da alternativa.

No terceiro turno que está em jogo, a presidenta eleita parece levar mais em conta as forças cujo representante derrotou do que dialogar com as forças que a elegeram.

Os rumores de indicação de Joaquim Levy e Kátia Abreu para o Ministério sinalizam uma regressão da agenda vitoriosa nas urnas. Ambos são conhecidos pela solução conservadora e excludente do problema fiscal e pela defesa sistemática dos latifundiários contra o meio ambiente e os direitos de trabalhadores e comunidades indígenas.

As propostas de governo foram anunciadas claramente na campanha presidencial e apontaram para a ampliação dos direitos dos trabalhadores e não para a regressão social. A sociedade civil não pode ser surpreendida depois das eleições e tem o direito de participar ativamente na definição dos rumos do governo que elegeu. 

Fonte: Blog do Miro

Secretário de Saúde e secretária de Justiça entregam os cargos

Secretário de Saúde e secretária de Justiça entregam os cargosDiretor confirma saída da deputada Ana Paula da Secretaria de Justiça

Mirócles Veras e Ana Paula pediram exoneração nesta sexta-feira.

Há pouco mais de um mês do fim do mandato do governador Zé Filho, dois secretários de sua equipe entregaram os cargos. Mirócles Veras, da Saúde, e Ana Paula, da Justiça, oficializaram o pedido nesta sexta-feira (28). Em seus lugares, respectivamente, assumem o diretor administrativo da Sesapi, José Fortes, e o diretor dos presídios, Wellington Rodrigues.

Mirócles Veras alegou motivos pessoais ao entregar o cargo. Já a deputada estadual Ana Paula, que não se candidatou nas eleições deste ano, deixou o cargo para terminar seu mandato na Assembleia Legislativa do Piauí.

Wellington Rodrigues ocupa o lugar de Ana Paula por indicação dela mesma. “Como eu já fazia parte da equipe, ela achou melhor que ficasse alguém que pudesse dar continuidade aos trabalhos. Conversou com o governador e ele aceitou”, disse o novo secretário de Justiça.

Mirócles agradeceu a Zé Filho a oportunidade que teve de prestar um serviço ao estado do Piauí e disse que deixa o cargo muito tranquilo. “Estamos saindo sem escândalos, o que mostra uma administração séria, transparente e voltada para o interesse público”, disse. 

Informações de O Dia / Cidade Verde

 

Presos se rebelam na Casa de Custódia e Irmão Guido por falta de visitas


_MG_1232.jpg
Os motins na Casa de Custódia de Teresina e na penitenciária Irmão Guido, também na capital, foram contornados na tarde desta sexta-feira (28), segundo agentes ouvidos pelo Cidadeverde.com e TV Cidade Verde. A revolta dos presos terminou com três detentos feridos. 

Na Irmão Guido, os presos tentaram cavar um buraco para fugir da penitenciária, mas não conseguiram fugir. O motim começou por volta de 13h30. Detentos usaram barras de ferro e começaram a bater nas grades, com poucos agentes, a polícia militar foi acionada para controlar a situação. 

A penitenciária conta com 280 presos ao invés 147, sua capacidade. Segundo o agente Wesley Pereira, a situação ficou crítica e os funcionários temeram que os detentos conseguissem tomar conta da unidade prisional. Viaturas do Rone, Gate e Bope foram acionadas. 

Na Casa de Custódia, três presos saíram feridos após confronto com a polícia e foram levados para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT). As lesões não aparentavam gravidade.

Os presos se revoltaram pela falta de visitas, suspensas desde a última segunda-feira, quando agentes penitenciários cruzaram os braços. A categoria cobra cumprimento de acordo de reajuste salarial, não pago em virtude da crise financeira do Estado.

Subiu para três o número de presos feridos no motim ocorrido na Casa de Custódia no final da manhã desta sexta-feira (28). A situação na unidade prisional já foi controlada e os feridos foram levados para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

De acordo com o técnico de enfermagem Girleno França, que atendeu os detentos, dois presos apresentam perfurações, no braço e no pulso. Outro teve um ferimento na cabeça. Porém, as lesões seriam leves. Os três serão submetidos a uma avaliação médica no HUT.

Dênio Marinho, diretor da Casa de Custódia, informou que 160 presos se rebelaram nos pavilhões H e I. Segundo ele, não falta comida ou assistência aos detentos, mas desde segunda-feira eles não recebem visita íntima ou de familiares. O motivo é a greve dos agentes penitenciários.

"Graças a Deus os demais não aderiram ao tumulto", disse Marinho, lembrando que a Casa de Custódia está superlotada. Os nove pavilhões hoje contam com quase 900 detentos, o triplo de presos em relação a sua capacidade.


Presos do pavilhão H da Casa de Custódia de Teresina iniciaram um motim no final da manhã desta sexta-feira (28) por conta da falta de visitas, provocada pela greve dos agentes penitenciários. A confusão se ampliou nos pavilhões I e G. Dois detentos ficaram feridos.

Foi apurado que ocorreu confronto com a polícia e entre os presos, que teriam sido atingidos por balas de borracha. Ambulâncias já chegaram ao presídio para levar os feridos. 

O diretor jurídico do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sinpoljuspi) informou que a situação na Casa de Custódia foi controlada, mas outro motim começou na penitenciária Irmão Guido, também em Teresina. 

No pavilhão G, hoje com 95 presos, as grades foram quebradas. A Polícia Militar chegou para reforçar a segurança. "No pavilhão H não há mais probelma. O nosso medo é que essa ansiedade dos presos passe para os demais pavilhões e aí sim ocorra uma rebelião de grandes proporções", disse um diretor do Sinpoljuspi.

Dênio Marinho, diretor da Casa de Custódia, disse ontem que não saberia até quando poderia controlar o início de uma rebelião. Hoje ele anunciou que dois presos tentaram chegar até a guarda militar e foram feridos sem gravidade - um deles quebrou o pulso. 

"Isso aqui é anunciado. A falta da visita familiar, a falta da visita íntima, a gente conseguiu (segurar) até essa data. Essa Casa de Custódia é uma panela de pressão. Nós tentamos o máximo possível. Desde segunda-feira que a gente conversa, dialoga, alguns presos entenderam", declarou. 

O Secretário de Justiça, Wellington Rodrigues, confirmou que os presos da Casa de Custódia Ribamar Oliveira no pavilhão H estão rebelados por conta da falta de visitas íntimas, que estão proibidas por conta da greve dos agentes penitenciários.

De acordo com Rodrigues, foram deslocados o comando de operações prisionais, tropa de choque da Polícia Militar e a Rone. 

“O objetivo é tentar evitar o pior, já que eles ameaçam os agentes de corredores que são as primeiras vítimas. Mandamos o reforço para trabalhar na contenção dos presos”, destacou o secretário, que tomou posse hoje. 

Ele disse que os agentes penitenciários estiveram reunidos nesta manhã(28) com o secretário João Henrique Sousa e não conseguiram um acordo, por isso irão continuar a greve. "Quando estão em greve, os agentes só executam algumas medidas: o banho de sol, a alimentação dos presos e medicação, mas impede outros como: as visitas normais, íntimas e de advogados, a saída de presos para audiências", descreveu Wellington Rodrigues.
Fonte: Cidade Verde

“Tucanos estão limpando os cofres do Estado de Minas”, alerta Rogério Correia

 
Um escândalo a transferência, via decreto, de R$ 250 milhões de um fundo de Saúde destinado aos servidores públicos mineiros para o caixa único do Estado. Para o deputado Rogério Correia (PT-MG), a transferência e apropriação do recurso pelo Tesouro estadual “mostra que os tucanos estão limpando os cofres do Estado antes de entregar o governo ao PT”.

Como vocês sabem, Fernando Pimentel, eleito governador pelo PT, assume Minas Gerais no dia 1º de janeiro do próximo ano. Diante da pilhagem tucana que transferiu os recursos destinados ao Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG) – e sem dizer onde irá usar o dinheiro – a equipe de transição do novo governador se reuniu com representantes da Coordenação Intersindical para discutir o que é possível fazer.

Eles discutiram o sequestro dos recursos do IPESEMG e o projeto de reajuste dos servidores mineiros. Pediram, inclusive, que o novo governo cobre do atual a restituição desse dinheiro. Como alerta o deputado Rogério Correia, vice-líder do PT na Assembleia Legislativa de Minas, “o perigo é o PT assumir o governo sem caixa nenhum”.
Decreto coloca IPSEMG em risco
Esse recurso transferido pelos tucanos do fundo da saúde dos servidores equivale a uma contribuição de 3,2%, descontada diretamente no contracheque do funcionalismo público, para a assistência médica do IPSEMG. A entidade beneficia quase um milhão de pessoas entre servidores e seus dependentes.

O impacto da decisão errônea égrave, adverte Correia: pode levar desde a perda das receitas de aplicações financeiras (provenientes da utilização da conta original do IPSEMG), até atraso no pagamento de faturas de hospitais, clínicas e laboratórios passando, ainda, pelo comprometimento da flexibilidade de pagamento online de contas estaduais de utilidade pública e impostos…

O deputado lembra, ainda, que o uso desse fundo por saques feitos pelo tucanato mineiro já aconteceu antes. No ano passado, o governo mineiro transferiu para outras rubricas R$ 3,4 bi relativos à previdência social. O resultado foi catastrófico: a extinção do segundo maior fundo de previdência privada do país, o da Fundação de Seguridade Social de Minas Gerais (FUNDASEMG).

Jeito e exemplo tucano de governar! O PSDB está à frente do governo de Minas há nada menos que 12 anos! Oito anos com o governador Aécio Neves, mais 4 anos com o sucessor que ele elegeu, Antônio Anastasia. Vejam a herança que governos tucanos costumam deixar! 


OBS: Continuo afirmando segundo fontes oficiais que no Piauí não esta sendo diferente, só que no caso o governo é no infelizmente aliado, sem confiança PMDB. Hoje até as penitenciarias começaram motins que servem no momento de bomba relógio e a maioria das categorias estão em estado de greve. Para se ter ideia da gravidade, existem no momento duas penitenciarias prontas mas não são entregues pois falta o governo estadual pagar sua parte.

Em recente declarações do atual governador Zé Filho que foi derrotado de maneira humilhante pelo petista Wellington Dias do PT, diz que a culta é do governo federal. Enquanto seus secretários dizem que as dividas foram feitas pelo PT. Acontece que os petistas deixaram o governo em abril de 2010. 


Com informações do Blog do Zé

Ibope: Globo tem pior audiência da história

Em franco declínio de sua audiência, a TV Globo amargou em setembro a pior audiência de sua história; segundo dados do Ibope divulgados nesta quarta-feira, 1º, a emissora dos irmãos Marinho obteve apenas 12,2 pontos de audiência na Grande São Paulo; em agosto, o patamar era de 12,5 pontos; comparado com setembro de 2013, a audiência caiu 16%; cada ponto corresponde a 65.201 domicílios na Grande São Paulo; emissora atribui ao horário de propaganda eleitoral fiasco na audiência; Jornal Nacional, apresentado por William Bonner, registrou a pior audiência em 2013; com mais acesso, brasileiro tem recorrido cada vez mais à internet para buscar informação e entretenimento
 :

A TV Globo caminha a passos largos na redução de sua audiência. Segundo dados do Ibope divulgados nesta quarta-feira, 1º, a emissora dos irmãos Marinho fechou setembro como pior mês da sua história na Grande São Paulo. Globo obteve apenas 12,2 pontos de audiência. Em agosto, o patamar era de 12,5 pontos.

Se comparado com o mesmo mês do ano passado, a queda é ainda maior. A emissora marcou 14,4 pontos – ou seja, a audiência caiu 16%. Segundo a fórmula do Ibope para calcular a audiência, cada ponto medido corresponde a 65.201 domicílios na Grande São Paulo. Emissora atribui ao horário de propaganda eleitoral o fiasco na audiência.

As rivais oscilaram muito pouco de agosto para setembro. A Record subiu de 5,9 para 6 pontos; o SBT, manteve-se em 5,5; Band caiu de 2,3 para 2,2; a Rede TV! de 0,9 para 0,8. A informação é do jornalista Lauro Jardim. 

A Globo enfrenta há alguns anos uma grave crise de audiência. O Jornal Nacional, seu programa mais importante, registrou em 2013 seu pior ano da história em audiência. Apenas nos últimos dois anos, 2012 e 2013, a queda foi de 18,4%, e na última década, despencou 30%. 

Outra razão é que, assim como jornais e revistas, as emissoras de televisão também têm perdido público para a internet. No caso da emissora da família Marinho, mesmo no horário nobre (das 18h à meia-noite), em que estão concentradas as principais atrações, a queda da audiência foi maior, caindo de 24,6 pontos (2012) para 23,2 pontos (2013). 

Fonte: Brasil 247

O PSDB vai se aproximar da extrema-direita?

 Aloysio Nunes na manifestação que pede impeachment
Tucanos ora criticam, ora flertam com a extrema direita, e chegam até a participar ativamente de manifestações que pedem o impeachment de Dilma e o golpe militar

Em junho de 1988, mês da fundação do PSDB, o ex-deputado tucano Nelton Friedrich, hoje no PV, definiu assim o perfil dos integrantes do partido que acabava de nascer: “Felizmente temos já um perfil ideológico claro: de liberais progressistas, de sociais democratas e de socialistas democráticos”, resumiu sob aplausos da plateia, formada por pessoas como Mário Covas e Fernando Henrique Cardoso. Mais de 26 anos depois, integrantes da mesma legenda estão em meio a um processo de aproximação com a extrema direita que culminou com a participação ativa nos protestos que pedem o impeachment presidencial, mesmo diante de eleições legítimas, e intervenção militar no Brasil.

Desde que Dilma Rousseff (PT) foi reeleita ao Planalto, duas manifestações foram organizadas em São Paulo contra o resultado das urnas. Apesar de ser um grupo minoritário, os protestos têm ganhado teor golpista. Ainda assim recebeu apoio de nomes importantes do PSDB, como o senador Aloysio Nunes (SP), que foi candidato a vice-presidente durante a campanha eleitoral, e compareceu pessoalmente à manifestação.

O PSDB tem entre seus fundadores pessoas como Franco Montoro, Sérgio Motta e José Serra, todos de alguma forma afetados pelo regime militar. Para Aloysio Nunes, a presença no evento não é grave, pois uma minoria tem intenções golpistas. “Há um exagero da imprensa em relação a meia dúzia de gatos pingados que defendem a intervenção militar. É evidente que sou contra (a intervenção militar) e o PSDB também”, afirmou o tucano, que chegou a aderir à luta armada ao lado do guerrilheiro Carlos Mariguella na ditadura. Apesar da versão de Aloysio Nunes, o protesto em que ele esteve se dividiu diante das divergências a respeito de um golpe militar.

Para o cientista político Francisco Fonseca, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o PSDB deixou de ser um partido de centro-esquerda e está, cada vez mais, à direita no espectro político. “O PSDB saiu do centro para a direita de cabeça. É um partido que se originou nas modernas classes médias, representada em Mario Covas e o Fernando Henrique daquela época, que era um professor de Sociologia antenado com as questões urbanas", afirma. "Agora não. Virou um partido reacionário que flerta com essa extrema direita”, argumenta.

Um dos membros do PSDB que também marcou presença nas manifestações foi o vereador e deputado estadual eleito Coronel Telhada (SP). Ex-tenente da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), organização policial conhecida pela truculência, ele apoiou o movimento mesmo com as reivindicações postas porque, de acordo com ele, o Brasil vive uma ditadura. “Qualquer manifestação é bem-vinda. Trata-se do direito das pessoas dizerem que basta de corrupção. Estamos em uma ditadura. Hitler foi colocado no poder pelo voto. Há métodos legais para fazer coisas ilegais”, disse Telhada no último ato.

A explicação para esse movimento no PSDB, na opinião do cientista político Claudio Couto, é o sentimento antipetista, que cresceu em função dos 12 anos do partido à frente do governo federal. “Acho que o sentimento antipetista dos tucanos se mistura com o sentimento antipetista dessa extrema-direita. E aí eles ficam realmente uns cortejando aos outros”, explica. “Só que a gente pode dizer de certa forma que o uso do cachimbo entorta a boca. (...) Quando uma figura como o Aloysio Nunes, até pelo passado que tem, vai a uma manifestação dessa, mesmo que tente se diferenciar, ele está ajudando a engrossar o coro”, opina.

O senador Aécio Neves (MG), candidato ao Planalto na última eleição, parece querer garantir a simpatia dos conservadores ao mesmo tempo em que procura se distanciar do grupo. Em evento para agradecer os votos dos paulistas, na semana passada, o ex-governador de Minas Gerais disse que “as manifestações são legítimas”. Quando foi questionado por uma militante se existe "esperança de tirar esse governo do poder" com os protestos, ele deu risada e só depois minimizou. "O nosso limite é o respeito à democracia". Cinco dias antes dessa declaração, o mineiro negou ser de direita ao jornal O Globo: "Para a direita não adianta me empurrar que eu não vou".

Foro de São Paulo e a ditadura comunista


Outro indício que demonstra a transformação do PSDB, antes de centro-esquerda, em um partido de direita, são os temas utilizados pelos tucanos hoje em campanhas eleitorais ou em críticas ao governo federal. Um dos argumentos utilizados pelos manifestantes nos protestos, por exemplo, é a de que existe “fraude nas urnas eletrônicas” brasileiras. A teoria acabou abraçado pelo partido que, alguns dias depois da vitória de Dilma, chegou a pedir auditoria no resultado.

“O partido é dividido desde sempre. Mas essas manifestações são claramente golpistas. Golpistas em vários sentidos. Primeiro por questionar os resultados eleitorais só porque perderam as eleições. É muito claro que se fosse o PSDB o vencedor, mesmo que fosse por 1% ou 2% de diferença, o partido não questionaria”, defende Fonseca.

Há ainda outros temas bastante utilizados, como as relações do Brasil com o governo de Cuba e a suposta intenção do Foro de São Paulo de instalar uma ditadura de esquerda no País. Todos argumentos difundidos por ideólogos ultraconservadores na internet, como o filósofo Olavo de Carvalho.

“Hoje você vê Aloysio Nunes, Alberto Goldman, que foram do Partido Comunista Brasileiro (PCB), José Serra e Álvaro Dias, esse sim, mais conservador, indo a lançamento do livro do Reinaldo Azevedo [colunista da revista Veja e do jornal Folha de S.Paulo]. Por que prestigiar esse tipo de evento? Será que o PSDB precisava disso?” questiona Claudio Couto. “O fato é que me parece uma estratégia de se mostrar realmente alinhado a quem defende esses pontos de vista e consequentemente garantir o apoio desse eleitorado”.

A postura de aproximação com essa corrente conservadora, no entanto, não é uma unanimidade no partido. Coordenador digital de Aécio Neves durante a campanha presidencial, o ex-deputado federal do PSDB Xico Graziano foi duramente atacado nas redes sociais justamente por discordar enfaticamente do teor dos protestos. “Achei absurda tal manifestação. Antidemocrática, não republicana. Ainda por cima, pedindo a volta dos militares, meu Deus, estou fora disso”, afirmou o tucano no Facebook para, em seguida, ser chamado de “comunista”, “linha auxiliar do PT” e “esquerdopata”.

“Acho que tem gente no PSDB que, embora tenha ido nessa onda do passado recente em função dos ganhos eleitorais imediatos que isso trazia, percebeu que estava indo longe demais e começou a fazer o trabalho de recuo", diz Couto. "Eu encaro a postura do [Xico] Graziano nessa linha. Num tom de ‘olha, acho que a gente exagerou’”, diz Couto. “Ao fazerem isso tentam de alguma forma recuperar a sua imagem do passado”.

Mas será que o caminho natural do PSDB é aglutinar essa nova classe ultraconservadora? “Tenho dúvidas que o PSDB vá abrigar essa extrema-direita, até pela reação que os seus membros começam a ter em relação a isso", afirma Couto. "O que eu sinto, entretanto, é que há uma juventude tucana flertando com a extrema-direita, tendo posições realmente muito conservadores a ponto de cultuar ideólogos ultraconservadores como esse que eu falei”, conclui o cientista político Claudio Couto. “Acho que há motivos para alguém ficar com a pulga atrás da orelha com essa migração do PSDB para uma posição mais à direita”.

Fonte: Carta Capital

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Quem era o Herbert Richers da abertura dos filmes e desenhos?

herbert-richers 
Não em todos, menininha. Quando o narrador diz “versão brasileira”, ele está anunciando que o programa foi dublado da língua original para o português. E Herbert Richers foi o cara que fundou, em 1950, o principal estúdio de produção e dublagem de filmes da América Latina.

Conversando com o próprio Walt Disney (Herbert era bem relacionado), ele teve a ideia de dublar filmes estrangeiros, já que naquela época os brasileiros tinham o estranho hábito de só dublarem a própria voz. Em seus 60 anos de funcionamento, o estúdio foi responsável pela produção de quase 80 filmes. E ainda lançou Renato Aragão no cinema. As versões brasileiras de novelas mexicanas como  A Usurpadora, apesar de terem o anúncio (VERSÃO BRASILEIRA HERBERT RICHERS) proibido por Sílvio Santos, também foram obra do magnata, responsável pela tradução de aproximadamente 4.000 produtos – filmes, novelas, minisséries e desenhos.

O super-homem da dublagem chegou a deter, nos tempos áureos, entre 90% e 100% de tudo o que ia para os cinemas no país.

Mas o bordão está em extinção. Isso porque após a morte do dono em 2009 e a falência da empresa em 2012,  o prédio foi – pasme – atingido por um incêndio que destruiu todos os originais. Ainda bem que antes do final derradeiro o senhor das dublagens ainda teve tempo de confiar ao jornalista Gonçalo Junior a sua biografia: Versão Brasileira Herbert Richers, lançada em maio deste ano.

E quem faz o anúncio de “versão brasileira Herbert Richers” antes de cada episódio do seu desenho favorito? Segundo Gonçalo, não é a mesma pessoa toda vez. Cada época teve o seu dublador, geralmente um diretor que assumia a função depois de uma longa carreira na empresa.

Curiosidade: na virada de ano de 1959, quando saiu para pescar na Baía de Guanabara, Herbert viu um avião caindo. Como era medalista do Campeonato  Sulamericano de nado e treinava frequentemente com Roberto Marinho – sim, o dono da Rede Globo – se atirou na água e conseguiu resgatar oito pessoas, inclusive duas irmãs gêmeas.
Ah sim, este era o senhor Herbert:
magnum
Fonte: Abril

Coalizão defende reforma política democrática em ato no Rio

A Coalizão em Defesa da Reforma Política Democrática, que reúne a OAB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a UNE, Ubes e outras organizações estudantis, as centrais sindicais, como a CUT e a CTB, além de mais 100 entidades civis organizou no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (27), um ato para debater a importância da reforma política e as propostas do projeto de lei de iniciativa popular que será encaminhado ao Congresso Nacional no próximo ano.

 Coalização em Defesa da Reforma Política Democrática
O objetivo é ampliar a participação popular através de assinaturas do projeto de lei, que já conta com mais de 600 mil inscrições, mas a meta é conseguir 1,5 milhão. O projeto de lei tem como principal tema o fim do financiamento de empresas nas campanhas eleitorais. Outras propostas são: eleições proporcionais em dois turnos, paridade de gênero na lista pré-ordenada e o fortalecimento de mecanismos de democracia direta, com a participação da sociedade em decisões nacionais importantes.

A representante da União Estadual dos Estudantes (UEE) do Rio de Janeiro, Tayná Paolino, disse que a entidade apoia o projeto defendido pela Coalizão. Segundo Tayná, as instituições não representam o desejo da juventude e, por isso, a UEE defende a reforma política.

"A questão é que muitos setores disputam essa reforma e apresentam uma proposta. Acreditamos que a proposta da OAB é a melhor, porque aborda algo fundamental: o financiamento de campanhas, que hoje determina a quem você deve dar o retorno político do seu mandato. Esse retorno deve ser para os cidadãos, os trabalhadores e os estudantes, e não para as empresas que financiam as campanhas”, disse a estudante.

A agenda do movimento teve início no último dia 20, em Campo Grande e, após o Rio de Janeiro, irá para o Recife e para Fortaleza, São Luiz, Natal e Belém, até o fim do ano, informou a OAB.

No site do projeto é possível imprimir o formulário para coleta de assinaturas.Também está disponível internet o projeto de lei com a proposta da reforma, além de cartilha explicativa sobre as alterações.
Com informações da Agência Brasil

DILMA corta grana da Globost e Abril, demorou

 
Parece que o governo não se esqueceu da matéria baseada de fofoca da Revista Veja, e tem cortado o mal pelas pontas, e vai cancelar os anúncios da Petrobras, Caixa Econômica e Banco do Brasil. Só com a petrolífera, a “revista da suposta matéria, baseada em fofoca de WhatsApp em uma sessão fechada a justiça” vai deixar de arrecadar 6.1 milhões de reais. E parece que não para por ai, os cortes vão se estender a revista Época, também, que hoje em dia, mais parece uma área de lazer tucana.


A guerra política esta chegando ao cool financeiro, e não sabemos até aonde isso vai chegar. Cortes dessa magnitude nessas revistas que está sendo usado como marionete, de algum interesse é uma manobra, pode ser um tiro certeiro, e nessa recessão mundial, atacar o PT sem provas vai parecer um péssimo movimento.



A editora Abril, e a Globo vão começar a se preocupar com outros meios de comunicação do grupo, que podem ser atingidos com essa restrição de anúncios. O Partido dos Trabalhadores já deixou bem claro que a revolta não é pelas denuncias, mas sim por divulgá-las sem aval da Policia Federal, e sem provas concretas, só o depoimento de um Delator que ora diz uma coisa ora diz outra; para simplificar, nem as pessoas comuns, gostam de acusações sem provas, imagina os presidentes Lula e Dilma.



                                                         Fonte: blogtvtudo

Novo ministro da Fazenda promete cortar gastos

 

Foto: Agência Brasil

O ministro da Fazenda nomeado, Joaquim Levy, informou nesta quinta-feira (27) que a meta de superávit primário, a economia feita para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda, será de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) para todo o setor público consolidado (governo, estados e municípios) em 2015.

Em 2016 e 2017, segundo ele, o esforço fiscal não será inferior a 2% do PIB - patamar registrado em 2013. "Alcançar essa meta será fundamental para o aumento da confiança na economia brasileira", declarou Levy a jornalistas no Palácio do Planalto. Para atingir essas metas fiscais, ele informou que algumas medidas que vêm sendo discutidas são de diminuição de despesas. Entretanto, acrescentou que as medidas serão, "não digo graduais, mas sem pacotes, sem nenhuma surpresa".~

Questionado por jornalistas, o próximo ministro declarou ter ter autonomia para implementar as medidas. "A autonomia está dada. O objetivo é claro. Os meios a gente conhece. Acho que há o suficiente grau de entendimento dentro da própria equipe e maturidade. Então, acho que essa questão vai se responder de uma maneira muito tranquila. Dizer uma coisa ou  outra não tem muito sentido agora. A gente vai ver no dia a dia como as coisas ocorrem. Quando uma economia é escolhida, há confiança", afirmou.
Resultado das contas públicas neste ano

Nos nove primeiros meses deste ano, as contas do setor público registraram um déficit primário – receitas ficaram abaixo das despesas, mesmo sem contar juros da dívida – de R$ 15,28 bilhões, ainda segundo números divulgados pelo BC. Foi a primeira vez desde o início da série histórica do BC, em 2002 para anos fechados, que as contas do setor público registraram um déficit nos nove primeiros meses de um ano.
Considerado ortodoxo, com uma atuação mais tradicional na economia, Levy, de 53 anos, executou um ajuste fiscal na primeira gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que levou o superávit primário a um patamar médio de 3,5% do PIB (série histórica revisada do BC, sem as estatais) - patamar considerado elevado. Ele ficou conhecido como "mãos de tesoura" na ocasião por conta do controle de gastos implementado nas contas públicas.

Redução da dívida pública
"Primeiramente, cabe notar que vir a suceder o mais longevo ministro da Fazenda em período democrático [Guido Mantega] é mais do que uma honra, um privilégio. O objetivo imediato do governo e do Ministério da Fazenda é estabelecer uma meta de superávit primário para os três proximos anos que contemple a estabilização e declínio da dívida pública", declarou o ministro da Fazenda nomeado.

Joaquim Levy também avaliou que é fundamental para o aumento da confiança da economia brasileira, a consolidação dos avanços sociais e ecomicos e reafirmou o compromisso com transparência e com a divulgação de dados abrangentes.

"As medidas necessárias para o equilíbrio das contas públicas serão tomadas. Como a gente falou, serão tomadas com análise e segurança. Eu acho que o Brasil tem mecanismos capazes disso. É um trabalho que envolve não só o governo federal, mas acho que toda a federação, não só o Poder Executivo, mas todos os poderes. É um trabalho importante pois é o que garante condições de crescimento", declarou Levy.

Tesouro Nacional
Levy, ao ser interpelado por jornalistas sobre quem será o novo secretário do Tesouro Nacional, não disse que não falaria sobre isso neste momento. "Vamos manter os ritos. A gente têm desafios, coisas importantes a fazer. A gente não está em nenhuma agonia. Vamos ficar tranquilos. Essa é a maneira boa de lidar com os desafios de um novo governo que começa em primeiro de janeiro", afirmou.

Rumores dão conta de que o próximo secretário do Tesouro Nacional pode ser Carlos Hamilton Araújo, atualmente na diretoria de Política Econômica do Banco Central.

Fonte: G1

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Após matar a mulher e empresário, homem tira a própria vida no Piauí

 Agente de Turismo, Morais Brito (Foto: Ellyo Teixeira/G1)

Empresário do ramo de turismo, Edilson Morais Brito teria matado a esposa. Na confusão, outro homem ficou ferido e morreu na mesa de cirurgia.


Três pessoas morreram após uma discussão entre empresários por volta das 17h40 desta segunda-feira (24) em Parnaíba. Segundo o tenente-coronel Costa Lima, comandante de policiamento no litoral do Piauí, as circunstâncias ainda não estão claras, mas informações preliminares dão conta que o empresário do ramo de turismo Edilson Morais Brito teria matado a esposa, atirado contra outro empresário e por fim tirado a própria vida.

"Ainda estamos apurando, mas inicialmente soubemos que Maria do Socorro Brito, de 47 anos, teria tentado separar a briga entre Morais Brito e Matheus Portela, mas foi atingida por um tiro no pescoço e morreu", disse.

Ainda segundo Costa Lima, logo depois de atingir a mulher, Edilson teria atirado três vezes contra o empresário Matheus Portela, se escondido e por fim tirado a própria vida. "Após matar a mulher e balear o outro empresário, Morais se refugiou no banheiro de um restaurante. Os policiais fizeram o cerco e quando pediram para ele se entregar, sem falar nada ele atirou contra a própria cabeça", contou o comandante.

Edilson Morais Brito ainda chegou a ser socorrido, mas morreu após dar entrada no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda). Matheus Portela também foi levado para a unidade de saúde, mas morreu na sala de cirurgia.

O local foi isolado para que peritos colhessem as informações e provas do crime. "Foi usado um revólver calibre 38 com capacidade para cinco disparos. Encontramos dez cápsulas deflagradas, ou seja Edilson Morais chegou a recarregar a arma durante a briga", relatou o policial.


Fonte: G1/PI

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Policiais civis paralisam atividades e investigações estão suspensas no PI

Categoria protesta contra não cumprimento de acordo por parte do governo.Apenas ocorrências graves devem ser atendidas durante a paralisação.

Policiais civis do estado do Piauí iniciaram paralisação de 72h a partir da 0h desta segunda-feira (24). A categoria protesta contra a falta de reajuste salarial e o descumprimento de acordo por parte do governo.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Constantino Júnior, o estopim para a paralisação foi o não cumprimento da quarta parcela do reajuste salarial previsto pela Lei 6.452/2013, negociada no ano passado após um movimento de reinvindicação dos policiais.

De acordo com o presidente, o não cumprimento surpreendeu a categoria. “O governo do estado, alegando queda no fundo de participação, deixou de cumprir esse reajuste. Discordamos da forma como o governo tratou as categorias em não dialogar”, disse Constantino. Como parte do protesto, os policiais farão uma concentração em frente ao Palácio de Karnak nesta manhã. A manifestação está prevista para começar a partir das 9h.

Com o movimento vários setores da polícia ficarão comprometidos. De acordo com o presidente da categoria, somente ocorrências graves serão atendidas. “Apenas casos de estupro, homicídios, crimes hediondos, além das leis que abrangem o idoso e a criança e o adolescente”, informou. Durante o período da paralisação, investigações e boletins de ocorrência estarão totalmente suspensos.

No entanto, Constantino diz que os policiais irão para as delegacias normalmente em seus plantões, mas só devem atuar dentro do limite aprovado em assembleia realizada pela categoria. O secretário de administração do Piauí, João Henrique Sousa, disse que está aberto ao diálogo com os servidores, mas que só vai se pronunciar quando tiver a dimensão da paralisação. 

Fonte: G1/PI

TRE julga ação que pode deixar Zé Filho e Silvio Mendes inelegíveis

As irregularidades apontadas na denúncia enquadram Zé Filho e Silvio Mendes nos crimes de abuso de poder político, propaganda institucional irregular e conduta vedada a agente público

Os ex-candidatos a governador Zé Filho (PMDB) e a vice-governador do Piauí, Silvio Mendes (PSDB) vão ser julgados nesta segunda-feira (24) pelo Tribunal Regional Eleitoral. A ação foi ajuizada pelos advogados da coligação A vitória com a força do povo, liderada pelo então candidato Wellington Dias (PT). De acordo com a denúncia eleitoral, a candidatura de Zé Filho e Silvio Mendes estavam sendo beneficiadas por propaganda institucional veiculada em placas ao longo de vias e obras no Piauí, categorizando como utilização indevida da máquina pública.

Ainda durante a campanha, a coligação de Wellington Dias conseguiu uma liminar para que o governo retirasse o brasão do Estado e peças publicitárias que segundo a denúncia, ligavam a imagem de Zé Filho às obras. Os advogados da coligação denunciaram um suposto descumprimento da liminar.

De acordo com o advogado Valdílio Falcão, que compõe a defesa de Zé Filho e Silvio Mendes, todas as ações citadas na liminar foram realizados. “Cumprimos sim a liminar. Os argumentos apresentados na denúncia não se referem a propaganda do governo de Zé Filho. Vamos provar isso junto a Justiça Eleitoral.” – pontuou o advogado.

As irregularidades apontadas na denúncia enquadram Zé Filho e Silvio Mendes nos crimes de abuso de poder político, propaganda institucional irregular e conduta vedada a agente público. Se condenados, Zé Filho e Silvio Mendes podem receber multas, além de serem declarados inelegíveis por até oito anos.

A denúncia foi realizada no início da campanha eleitoral de 2014. O advogado Daniel Oliveira, responsável pela acusação, diz que espera a punição aos responsáveis pelas irregularidades.

Ainda tramitam na Justiça Eleitoral três ações sobre o mesmo assunto. As outras duas ainda não tem datas para serem julgadas. 
Na pauta

Além do julgamento do governador Zé Filho e de Silvio Mendes, a corte eleitoral analisa na manhã desta segunda-feira (24) um recurso do ex-candidato a deputado estadual Bessah Araújo (PSB) em uma ação do Ministério Público Eleitoral que pede a aplicação de multa ao então candidato por cometer irregularidades na campanha eleitoral.
 
Fonte: Jornal O Dia

sábado, 22 de novembro de 2014

Besouros invadem cidade e luzes são apagadas para evitar maior presença dos insetos

 

Milhares de besouros invadiram durante esta semana o município  de Caracol, região sudeste do Piauí. Os moradores da cidade  já não sabem o que fazer com o problema e a todo tempo estão tendo que limpar suas casas e até mesmo suas calçadas.

Para evitar mais proliferação o prefeito determinou que as luzes fossem apagadas. De acordo com testemunhas, a chegada dos insetos começou na terça-feira dessa última semana e com o passar dos dias só aumentou. Os moradores estão usando venenos, água, pesticidas para tentar se livrar dos insetos, e a Sucam também já foi solicitada para ajudar no combate.



Fonte: Meio Norte

Amor deixa o sexo mais gostoso


sex
Cara leitora, se você puder escolher, prefere uma noite de sexo com o moço que ama ou uma aventura pós-balada? Bem, se escolheu a primeira opção, você faz parte da maioria. Segundo pesquisa americana, as mulheres sentem mais prazer quando fazem sexo com amor.

Pesquisadores da Universidade do Estado da Pensilvânia entrevistaram 95 mulheres entre 20 e 68 anos. E a maioria delas respondeu que vê o amor como peça fundamental para melhorar a satisfação sexual. Os benefícios, segundo elas, não eram apenas emocionais. Sexo com amor parece aumentar também o prazer físico.

É que transar com o amado faz com que elas se sintam mais desinibidas e livres para explorar a própria sexualidade. Mas há ainda outra questão em jogo: o machismo. “Quando sentem amor, elas podem sentir mais prazer por confiarem no parceiro, mas também por sentirem que é ok fazer sexo quando o amor está presente”, diz Beth Montemurro, uma das autoras da pesquisa. “Enquanto a mídia parece mostrar que tudo bem fazer sexo causal, os filmes e a televisão tendem a retratar negativamente mulheres que fazem sexo fora de relacionamentos”, completa.

Ainda assim, a maior parte das entrevistadas (50 mulheres), apesar de reconhecer os benefícios do sexo com amor, não se importa em ir pra cama com alguém que não ame. Afinal, amando ou não, sexo pode ser divertido.

E você, conta para gente, sente diferença no sexo quando está apaixonado?


Fonte: Abril

Morre Seu Lunga, sucateiro personagem da cultura do NE

  

O sucateiro que se tornou um personagem da cultura popular nordestina, Joaquim Santos Rodrigues, conhecido como "Seu Lunga", morreu hoje pela manhã, por volta de 9h30, aos 87 anos, em decorrência de um câncer no esôfago. Ele estava internado no hospital São Vicente, em Barbalha. Seu Lunga morava com a esposa Carmelita Rodrigues Camilo e foi desse matrimônio que nasceram 13 filhos. Desses, há 11 vivos. Dois deles morreram em decorrência do mesmo problema do pai.


Biografia
Joaquim dos Santos Rodrigues nasceu em 18 de agosto de 1927, no Sítio Gravatá no município de Caririaçu, e viveu a infância com os pais e sete irmãos no município de Assaré. Recebeu um apelido por uma senhora, que era vizinha, e passou a chamá-lo de Calunga, que mais adiante se reduziu para Lunga. Com 16 anos de idade foi morar no município de Juazeiro do Norte. Casou em 1951 e tornou-se pai de treze filhos. Lunga era dono de uma sucata em Juazeiro do Norte que vendia de tudo, desde aparelhos de televisão a frutas.

Processo
Em 2011, Seu Lunga venceu um processo contra o cordelista Abrahão Batista, que utilizava o apelido do sucateiro em suas publicações. "Eu não desejo nenhuma indenização. Quero somente que ele deixe de escrever mentiras em meu nome", disse, à época, ao Diário do Nordeste. Abrahão publicou o cordel com o título "As histórias de Seu Lunga, o homem mais zangado do mundo", que narra frases e respostas atribuídas ao comerciante. 

Boatos
Em 26 de julho de 2013, Seu Lunga enfretou boatos que circularam na internet de que ele havia sido assassinado. Em entrevista ao Diário do Nordeste, respondeu ao estilo que o fizeram famoso: “Quero saber quem é o ‘fela da puta’ que disse isso. Agora vou viver mais 100 anos!”, desabafou.

Fonte: Diário do Nordeste

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Esquema na Petrobras existe "há pelo menos 15 anos", diz MPF

 Lava Jato

Em parecer que pede o bloqueio dos bens das empreiteiras, Ministério Público Federal afirma que a estatal é alvo de corrupção há mais de uma década


No parecer em que pede à Justiça Federal do Paraná o bloqueio dos bens das empreiteiras alvo da fase "Juízo Final" da Operação Lava Jato, o Ministério Público Federal afirma que o esquema criminoso investigado atua na estatal ao menos desde 1999. Subscrito pelo procurador regional Carlos Fernando dos Santos Lima e pelos procuradores Roberson Henrique Pozzobon e Diogo Castor de Mattos, o pedido é um dos tópicos da peça de 98 páginas em que o MPF resume as provas e indícios contra as empreiteiras produzidos pela Polícia Federal.

Na página 97, afirmam os procuradores: “Muito embora não seja possível dimensionar o valor total do dano é possível afirmar que o esquema criminoso atuava há pelo menos 15 anos na Petrobras, pelo que a medida proposta (sequestro patrimonial das empresas) ora intentada não se mostra excessiva”. De acordo com o MPF, as empreiteiras a terem no mínimo 10% de seus ativos bloqueados firmaram juntas ao menos 59,5 bilhões de reais em contratos com a Petrobras.

O juiz Sergio Moro negou o pedido de bloqueio dos ativos das empresas, temendo a quebra das companhias.. Argumenta o juiz: “Considerando a magnitude dos crimes e o tempo pelo qual se estenderam, não há condições de bloquear de imediato 5% ou 10% do montante dos contratos celebrados com a Petrobras ou mesmo sobre estimado ganho ilícito da empresa, sob pena de imediatos problemas de liquidez e de possível quebra das empresas, sendo de se lembrar que tratam-se das maiores empreiteiras do país e ainda envolvidas em diversas obras públicas espalhadas no território nacional, com o que a medida teria impactos significativos também para terceiros.”

Embora tenha negado o pleito do MPF, Moro concordou em bloquear valores em nome de 17 investigados, sendo o limite máximo para bloqueio de 20 milhões de reais para cada alvo. No documento em que pede o bloqueio das contas de Camargo Corrêa, OAS, Mendes Junior, Engevix, Queiroz Galvão, Iesa Óleo e Gás e Galvão Engenharia, os procuradores também detalham como atuavam cada uma das empresas em conluio com o doleiro Alberto Youssef.

Abaixo as empresas e quanto o MPF pedia que fosse bloqueado:

Camargo Corrêa –  R$ 6,1 bilhões e US$ 17,17 milhões
OAS - R$ 10 bilhões e US$ 8,4 milhões
Mendes Junior - R$ 3,1 bilhões
Engevix - R$ 4,1 bilhões
Queiroz Galvão - R$ 8,9 bilhões e US$ 233,7 milhões
Galvão Engenharia - R$ 7,6 bilhões e US$ 5,6 milhões
Iesa Óleo e Gás - R$ 4,5 bilhões

Corrupção na Petrobras


Fonte: Carta Capital

Dilma: A sociedade civil tem direito de opinar, criticar e reivindicar

Dilma Rousseff durante o Conae. Fotos: Roberto Ribeiro 

Ao discursar na 2ª Conferência Nacional de Educação (Conae), nesta quinta (20), a presidenta Dilma Rousseff destacou a importância da participação social na construção das políticas públicas. Ela defendeu o respeito ao direito de opinar, criticar e reivindicar, que, segundo ela, caracterizam a democracia em uma sociedade moderna e inclusiva.


“Sabemos que a democracia representativa tem o Congresso e as Casas Legislativas como espaço privilegiado e fundamental de deliberação”, afirmou Dilma, ao lembrar que tem de ser garantido à sociedade civil organizada o direito de opinar, de falar, de criticar, dar sugestões, contribuir com suas experiências e reivindicações. De acordo com a presidenta, a participação popular nas políticas públicas não é uma dádiva do governo, mas uma conquista da sociedade brasileira que deve ser respeitada.

Ao falar sobre as eleições de outubro, a presidenta disse que os votos que a reelegeram são votos claros pela inclusão social, pelo emprego, desenvolvimento, pela estabilidade política e econômica e por maiores investimentos na infraestrutura e modernização do país.

Ela prometeu que, nos próximos quatro anos, manterá um governo coerente com o que pensa e tem feito pelo país. “Nosso Brasil não vai parar. Eu governei quatro anos sem descanso, vou governar mais quatro ainda, sem descanso. Vou continuar coerente com o que penso e o que temos feito pelo Brasil e os brasileiros.”

Corrupção

Dilma disse que o governo não faz qualquer tipo de pressão para inibir investigações sobre casos de corrupção no país. Sem citar casos específicos, Dilma disse que a Polícia Federal e o Ministério Público estão investigando corruptos e corruptores e que o combate à corrupção nunca foi tão firme e severo como em seu governo.
 
“A Polícia Federal, o Ministério Público e instituições do Estado brasileiro estão investigando corruptos e corruptores e não há qualquer tipo de pressão do governo para inibir as investigações. Não tenho, nunca tive e nunca terei tolerância com corruptos e corruptores. Queremos a investigação em toda sua integralidade. O Brasil sairá muito mais forte desse processo, mais forte ainda por respeitar as regras do Estado de Direito em que vivemos”, disse.

Fonte: Portal Vermelho

Curta brasileiro é finalista na disputa por uma vaga no Oscar

Cena do filme 'O Caminhão do Meu Pai'

‘O Caminhão do Meu Pai’, do diretor paulista Maurício Osaki, concorre a uma indicação na premiação.

O filme O Caminhão do Meu Pai, do diretor paulista Maurício Osaki, está entre os dez finalistas para concorrer a uma indicação na categoria curta-metragem do Oscar de 2015. As indicações serão divulgadas em 15 de janeiro e o prêmio será entregue em 22 de fevereiro no Dolby Theatre, em Hollywood.

De acordo com a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, 141 filmes de curta-metragem foram inscritos na competição. Os membros da Academia agora devem escolher entre três e cinco filmes entre os pré-selecionados. Os mais votados entram na disputa pela estatueta.

O Caminhão do Meu Pai é uma produção brasileira e vietnamita e conta a história de uma garota que acompanha por um dia o pai no trabalho de transporte de agricultores no Vietnã. Ao longo da jornada, ela descobre que ele também usa seu caminhão para levar cachorros para um abatedouro. O filme foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim de 2013. 

Outro brasileiro, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, também está na disputa por uma vaga no Oscar, desta vez na categoria de melhor filme estrangeiro.
 
Fonte: Veja

 

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Após três anos, volta a chover no semiárido piauiense

Após três anos, volta a chover no semiárido piauiense

Municípios do sertão que estão em estado de emergência comemoram chuvas após forte seca.

As fortes chuvas que têm caído nos últimos dias chegaram até nas regiões mais secas do Estado, que enfrentavam um longo período de estiagem e há cerca de três anos não tinham um período chuvoso regular. De acordo com o presidente da Federação da Agricultura do Piauí, Carlos Augusto, as chuvas têm chegado em um bom nível em todas as microrregiões do Piauí, o que pode contribuir com o início das plantações.

Os municípios de São Raimundo Nonato, São João do Piauí e Simplício Mendes, que compõem a região mais seca do Piauí, receberam altos índices de chuvas nos últimos dias e às previsões apontam possibilidades de chuvas até o sábado.

Apesar das chuvas, o presidente da Associação dos Municípios Piauienses (APPM), Arinaldo Leal (PSB), informou que nenhum município saiu da situação de emergência causada pela seca. Arinaldo esclareceu que as fortes chuvas têm contribuído com o abastecimento d’água em várias cidades, mas os reflexos positivos para a produção na agricultura só podem ser sentidos após um mês.

Atualmente, 201 cidades do Estado possuem decretos de emergência vigentes, reflexo da seca prolongada que afeta o interior do Piauí há três anos. O presidente da APPM ainda comentou que a APPM conversou com os demais gestores municipais e orientou a elaboração de um diagnóstico para avaliar possíveis danos causados por temporais, como em casos das cidades de Cristino Castro e Canto do Buriti.

“Conversamos com a Secretaria Estadual de Defesa Civil, e qualquer município que precisar de ações para acolher alguma família desabrigada ou busque soluções para algum problema causado pelas fortes chuvas podem contar conosco. Vamos intermediar a solução junto à Defesa Civil estadual”, assegurou Arinaldo. Ele frisou que os problemas causados pelas chuvas são pontuais e não comprometem o sentimento de alegria dos pequenos agricultores, que já começam a planejar a safra para o ano que vem.
 
Fonte: Jornal O Dia

Arquivo do blog