quinta-feira, 30 de abril de 2015

Inauguração da reforma do Mercado da Vermelha será nesta sexta-feira

Image title 
Tudo pronto para a inauguração da reforma e ampliação do Mercado da Vermelha. A solenidade acontece nesta sexta-feira (1°), às 7h30, com a presença do prefeito Firmino Filho e do superintendente da SDU Sul, Cleto Baratta. O mercado fica localizado no cruzamento da Avenida Nações Unidas com a Rua 13 de Maio, na zona Sul da cidade.

Nesta obra foram investidos cerca de R$ 1 milhão. O local ganhou uma praça de alimentação, que recebeu o nome do vereador Joel Barbosa Loureiro. Neste espaço foram criados 21 boxes para a venda de comidas e lanches. O setor de carnes também foi amplamente reformado, com a implantação de materiais modernos que facilitam a limpeza e conservação dos produtos. Da mesma forma no galpão onde são comercializados frutas, verduras, confecções e artesanato.

Ao todo, o mercado Laurindo Veloso possui 151 espaços para a comercialização de produtos, sendo 24 no setor de carnes, 34 boxes na parte de frutas e verduras, 72 pedras (balcões de concreto também para a venda de cereais) e agora mais 21 espaços na praça de alimentação.

O superintendente Cleto Baratta lembrou que na elaboração do projeto de reforma e ampliação do mercado teve sempre destaque o uso de materiais modernos e de qualidade, como pisos mais resistentes, iluminação e outros itens.

“Aqui está bom demais. Antigamente, antes da praça de alimentação, era tudo misturado num galpão só. Só era separado [o setor] as carnes. Agora está muito organizado. Faz gosto de o pessoal frequentar”, comemorou Edmilson Alves da Costa, que trabalha no mercado desde 2002.

Vale ressaltar que as ruas de entorno do mercado ganharam nova pavimentação asfáltica para facilitar o acesso ao local e todos os permissionários receberam capacitação promovida pela Fundação Wall Ferraz. Entre os cursos estava o de higiene e limpeza, além de atendimento ao cliente.

Na ocasião da inauguração, o prefeito Firmino Filho assinará a Ordem de Serviços (OS) de reforma Centro de Capacitação da Vermelha, localizado na Rua 13 de Maio, próximo ao mercado. Nesta obra serão investidos R$ 178.157,87. O prazo de execução é de 90 dias.








Fonte: Ascom

Ceará supera Bahia e é campeão da Copa do Nordeste


O Ceará Sporting Club venceu na noite de quarta-feira (29) a equipe do Esporte Clube Bahia, de Salvador, no estádio Plácido Castelo, em Fortaleza, por 2 a 1 e conquistou assim a Copa do Nordeste, competição que envolve clubes dos 9 estados que compõem a região Nordeste do Brasil e que se tornou um sucesso de público.

 

O estádio teve recorde de lotação, com mais de 63 mil torcedores presentes. A Copa do Nordeste, também chamada carinhosamente de "Lampions League", em ironia à Champions League europeia, tem sido referência na mídia esportiva para exemplificar o que pode ser um campeonato regional de sucesso.

A receita para isso é reunir times de massa, que reramente jogam entre si por causa de fatores como a elitização do futebol brasileiro, e fazer uma competição que dura dois meses, em grupos com quatro clubes e eliminatórias a partir da segunda fase.

O Ceará, que havia chegado perto do título em 2014 quando foi derrotado pelo Sport Club Recife, classificou-se assim para uma competição internacional, a Copa Sul-Americana. 


 

Antes disso, o clube havia sido vice-campeão da Copa do Brasil, em uma final polêmica com o Grêmio, no ano de 1994 e, bem lá atrás, campeão do Torneio Norte-Nordeste, de 1969, organizado pela antiga CBD - hoje CBF.

A Arena Castelão registrou 63.904 mil pessoas no estádio, o maior público de sua história e também pós-Copa no Brasil. A renda ficou em R$ 1,8 milhão.

Com o título, o Ceará assegurou também uma premiação de R$ 2,74 milhões destinada ao campeão
  


Fonte: Vermelho

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Confira como cada deputado votou no projeto de lei da Paranaprevidência

 |  

A FAVOR – 31

Alexandre Curi (PMDB), Alexandre Guimarães (PSC), André Bueno (PDT), Artagão Jr. (PMDB), Bernardo Ribas Carli (PSDB), Claudia Pereira (PSC), Cobra Repórter (PSC), Cristina Silvestri (PPS), Dr. Batista (PMN), Elio Rusch (DEM), Evandro Jr. (PSDB), Felipe Francischini (SD), Fernando Scanavaca (PDT), Francisco Bührer (PSDB), Guto Silva (PSC), Hussein Bakri (PSC), Jonas Guimarães (PMDB), Luiz Carlos Martins (PSD), Luiz Claudio Romanelli (PMDB), Marcio Nunes (PSC), Maria Victoria (PP), Mauro Moraes (PSDB), Missionário Ricardo Arruda (PSC), Nelson Justus (DEM), Paulo Litro (PSDB), Pedro Lupion (DEM), Plauto Miró (DEM), Schiavinato (PP), Tiago Amaral (PSB), Tião Medeiros (PTB) e Wilmar Reichembach (PSC).

CONTRA – 20

Adelino Ribeiro (PSL), Ademir Bier (PMDB), Anibelli Neto (PMDB), Chico Brasileiro (PSD), Evandro Araújo (PSC), Gilberto Ribeiro (PSB), Gilson de Souza (PSC), Marcio Pacheco (PPL), Marcio Pauliki (PDT), Nelson Luersen (PDT), Nereu Moura (PMDB), Ney Leprevost (PSD), Palozi (PSC), Pastor Edson Praczyk (PRB), Péricles de Mello (PT), Professor Lemos (PT), Rasca Rodrigues (PV), Requião Filho (PMDB), Tadeu Veneri (PT) e Tercílio Turini (PPS).

NÃO VOTARAM – 2

Cantora Mara Lima (PSDB) e Paranhos (PSC).
*Como presidente, Ademar Traiano (PSDB) só vota em caso de empate.


Fonte  Gazeta do Povo

Nave russa descontrolada começa a cair em direção à Terra, diz agência

 

Após considerarem como perdida a nave-cargueiro Progress M-27M, lançada terça (28) rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), os operadores de voo russos indicaram à agência de notícias France Presse que o foguete começou a cair em direção à Terra.

Segundo um funcionário que não quis se identificar, a nave tem "reações totalmente incontroláveis". A localização da queda ainda não foi indicada.

De acordo com a fonte, os controladores de voo russos tentarão agora restabelecer duas vezes a conexão com a nave de carga, mas com poucas possibilidades de sucesso. "É impossível saber quando cairá exatamente na Terra, depende de muitos fatores. Mas a queda acontecerá em condições incontroláveis", explicou.
De acordo com a Nasa, a equipe russa continua tentando acessar os dados do veículo espacial para determinar um plano de ação. No entanto, eles aguardam mais informações provenientes da Roscosmos, a agência espacial russa.

O que houve?

O Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia perdeu o controle da nave, lançada a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, às 3h10 (horário de Brasília), depois de ela se situar em uma órbita equivocada e deixar de enviar à Terra dados de sua telemetria.

A Progress M-27M, que transporta 2,5 toneladas de suprimentos, deveria chegar à plataforma internacional seis horas depois de sua decolagem. Ela carrega combustível, oxigênio, alimentos e equipamentos científicos para os astronautas.

Após a perda, cujo custo é estimado em até US$ 90 milhões, o próximo cargueiro em direção à Estação poderá sair da Terra antes de 8 de agosto, data prevista inicialmente pela agência espacial russa.

De qualquer forma, a tripulação que está na Estação Espacial Internacional tem provisões suficientes para continuar com sua vida no espaço, apesar do incidente com a Progress.


Fonte: G1

Google agora também é operadora de celular

google-fi 

Este mês de abril marca mais um lançamento da empresa que comanda o maior sistema de buscas da internet, a Google. Na última quarta-feira, a companhia anunciou que também vai atuar como provedora de dados em todo o território estadunidense. O Project Fi pretende oferecer a melhor conexão para os usuários a partir de parcerias com as operadoras Sprint e T-Mobile, além milhões pontos de acesso Wi-Fi. O pacote mais básico, com 1Gb disponível por mês, custa US$ 30.

A gigante da internet está alugando a infraestrutura das operadoras de celular para criar uma espécie de operadora virtual e oferecer seu prórprio serviço de dados. Usando um software próprio, a conexão do Project Fi promete ser sempre a mais veloz. Funciona assim: em locais em que há conexão 3G da Sprint e 4G LTE da T-Mobile, o dispositivo se conectará à 4G e assim por diante. A migração de uma rede para a outra é automática.

O primeiro território de experiência são os Estados Unidos e, por enquanto, só é compatível com o Motorole Nexus 6. O preço básico é composto por uma taxa de US$20 pelo “Fi Basics” mais a cota mínima de 1 Gb. A cota não utilizada ao final do mês é convertida em crédito que pode ser usada parra comprar novos pacotes de dados no mês seguinte, evitando que o usuário perca o que não usou.

Será que a novidade chega por aqui? 


Fonte: Abril

Curitiba vive guerra contra confisco de Richa

 :
Batalha campal contra o confisco promovido pelo governador Beto Richa (PSDB) deixa mais de 100 feridos, cerca de 20 em estado grave; capital vive hoje o segundo dia de confronto entre servidores e policiais, que impedem os manifestantes de acompanhar na Assembleia Legislativa o debate da proposta que fere direitos do funcionalismo; proposta foi aprovada por 31 votos a 20 por volta de 18h15; sob o comando do secretário de Segurança do Estado, Fernando Francischini (SDD), Batalhão de Choque joga bombas de gás e balas de borracha com o uso até mesmo de helicópteros; deputado federal Enio Verri, presidente do PT do Paraná, classifica de "truculenta", "absurda" e "ultrapassada" a atitude de Richa de mandar a polícia cercar a Assembleia; "O governo não tem diálogo nenhum com o setor público e ainda por cima vem colocar a polícia", disse ao 247; para ele, "sem dúvida" este é o momento "mais grave" da gestão do tucano, que já ganhou o apelido de #BetoHitler nas redes sociais; "Parece uma praça de guerra", publicou no Twitter o prefeito Gustavo Fruet (PDT), que atende os feridos

Curitiba é palco hoje do segundo dia de confronto entre servidores e policiais no Centro Cívico. Como ontem, o Batalhão de Choque joga bombas de efeito moral e gás lacrimogênio, além de balas de borracha, contra os manifestantes. Sob o comando do secretário de Segurança do Estado, Fernando Francischini (SDD), a Polícia Militar utilizou até mesmo helicópteros para atacar os servidores. Professores feridos procuraram refúgio na Prefeitura, que já atende mais de 100 feridos. Estima-se que 20 estejam em estado grave. "Parece uma praça de guerra", publicou no Twitter o prefeito Gustavo Fruet (PDT).

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), promove uma ação "truculenta", "absurda" e "ultrapassada" ao enviar policiais militares para cercar a Assembleia Legislativa a fim de impedir que servidores públicos estaduais acompanhem a votação de um conjunto de medidas que tem como objetivo resolver problemas financeiros do Estado e põe em risco benefícios do funcionalismo. Esta foi a opinião manifestada pelo presidente do PT do Paraná, deputado federal Enio Verri, em entrevista ao 247 no início desta tarde.

"É uma atitude truculenta e absurda, ultrapassada, parece o Brasil do século 19", declarou Enio Verri. "Na verdade são trabalhadores organizados fazendo uma mobilização não para conquistar direitos, mas para não perdê-los. Eles (governo) não têm diálogo nenhum com o setor público e ainda por cima mandam colocar a polícia", acrescentou o deputado federal. Os professores estão em greve desde sábado 25 contra as medidas, que alteram principalmente a fonte de pagamento para o Fundo Previdenciário ParanaPrevidência.
A votação em segundo turno do chamado 'pacotaço' de Richa começou no início da tarde desta quarta-feira. Os deputados chegaram a interrompê-la em decorrência do conflito fora da Casa, mas durou pouco. 

O líder do governo, deputado Romanelli, sugeriu que parlamentares tentassem conversar com os manifestantes. No entanto, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB), afirmou que a sessão continuaria. "Nós estamos aqui em uma sessão normal. Fora da Assembleia é questão da Secretaria de Segurança Pública", disse.

Para Enio Verri, este "sem dúvida" é o momento "mais grave" da gestão de Richa, que conforme lembrou o petista, já provocou diversos outros problemas, como a falência do Estado. "Como ele tem maioria na Assembleia, ele manda para lá [o projeto] e os deputados se submetem a uma coisa tão prejudicial para o Estado", comentou. A votação é acompanhada hoje por uma comissão de senadores, mas de acordo com Verri, a maior confiança está na "pressão do movimento" dos servidores.

Dos 54 deputados estaduais, 31 já se manifestaram favoráveis à proposta do Executivo, disse o deputado. Ele afirma que o episódio lembra a gestão do hoje senador Álvaro Dias (PSDB), que soltou a cavalaria contra os professores em 1988 quando era governador do Paraná. Confira abaixo os tuítes do prefeito Gustavo Fruet e outros comentando a guerra campal em Curitiba. Governador já ganhou o apelido de #BetoHitler nas redes sociais.


Fonte: Brasil 247

Segundo Cristovam Buarque o PMDB deu um golpe no país e tomou o poder sem armas

Deu no “The New York Times” a seguinte declaração do senador Cristovam Buarque acerca das manobras do PMDB:

senador

“Em vez de um general, brigadeiro e almirante agindo com o apoio das Forças Armadas, temos o vice-presidente e os chefes do Congresso manobrando, com o apoio das tropas do PMDB”

O  colunista Tales Faria  foi ouvir o senador para tentar aprofundar um pouco mais o assunto.

Ele explicou que o vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, e os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), têm um grande aliado nessa tomada de poder: o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que não é do PMDB.

“Não é uma troika, são quatro. Aqui no Brasil, o golpe foi comandado pelos três chefes das Forças Armadas. Mas no Chile, foram quatro.”

Veja o vídeo com o depoimento do Senador.



Fonte: Portal do Amazonas

Renda dos mais pobres cresceu 73% no Piauí; maior que do Brasil


A renda dos piauienses mais pobres cresceu, em média, 7,3%, por ano, de 2002 a 2012. No acumulado do período a alta foi de 73%, a maior do Brasil.
Dilma Rousseff
Dilma Rousseff

Os dados são do relatório “Prosperidade Compartilhada e Erradicação da Pobreza na América Latina e Caribe” divulgado na semana passada pelo Banco Mundial. No mesmo período, a renda dos piauienses que não se enquadram na condição de pobreza cresceu 56%.

“O ganho de renda maior entre os pobres e vulneráveis é um denominador comum em quase todos os estados. Isto sugere que o crescimento nacional foi “pró-pobre”.

De fato, em relação ao segmento superior da distribuição de renda em cada estado, a renda real cresceu mais rapidamente entre os indivíduos mais carentes, exceto em Roraima (onde a taxa foi a mesma para pobres e o restante da população), Maranhão e Tocantins.

Em muitos estados, incluindo alguns com níveis iniciais mais elevados de pobreza, a diferença absoluta nas taxas de crescimento entre a média total e a população carente foi notável”, diz, em tradução livre, o relatório do Banco Mundial.

O documento mostra que a pobreza foi reduzida mais rapidamente em estados que tiveram as taxas mais elevadas até 2001. Em Pernambuco, segundo colocado no aumento da renda dos mais pobres, o nível de renda desse segmento cresceu 67%, enquanto a população em geral avançou 41% entre 2002 e 2012.

A instituição internacional aponta que o crescimento tem beneficiado o grupo dos mais pobres significativamente no Brasil, o que é um sinal positivo de compartilhamento da prosperidade.

“A melhora desse indicador tem sido substancial: os rendimentos entre os mais pobres aumentou a uma taxa média anualizada de 6,5% de 2002 a 2012 – em dez anos 65%. Isso é quase o dobro da taxa de crescimento da renda média dos países da América Latina e Caribe, que foi de 3,6% por ano – ou 36% em 10 anos.

Há evidência de que o progresso econômico brasileiro favoreceu os pobres mais do que o restante da população proporcionalmente. O Brasil registrou uma taxa média de crescimento anual de renda de 4,8% - 48% nos dez anos entre 2002-12”, aponta a análise sobre os dados feita pelo Banco Mundial.

A redução da desigualdade tem sido evidente em áreas urbanas e rurais e são convergentes. No entanto, a desigualdade é mais ampla em áreas urbanas do que em áreas rurais no Brasil; a partir de 2012, o índice Gini em áreas urbanas foi de 0,52, em comparação com 0,49 em áreas rurais.

O relatório faz uma ressalva que apesar do ritmo notável de redução do número de pobres, muitos indivíduos não possuem os ativos e habilidades para enfrentar a pobreza.

Prova disso é que o número médio de anos de escolaridade alcançado pelos chefes de família entre os pobres é de 4,7, em comparação com 7,4 entre os chefes de famílias não pobres.

Além disso, menos da metade de todos os pobres vivem em habitações ligadas a redes de esgotos, e cerca de dois terços têm ligações de água, enquanto que as ações correspondentes entre as famílias não pobres são 78,5% e 95,4%, respectivamente.

A grande maioria dos pobres trabalha em empregos informais, em contrasta com 27,5% por cento dos não pobres no Brasil.

"Brasil praticamente eliminou a pobreza"

O Banco Mundial é taxativo ao apontar que a pobreza extrema foi praticamente aliminada no Brasil, tendo o país alcançado essa condição de forma mais rápida que seus vizinhos da América Latina e do Caribe. O relatório ressalta que o número de brasileiros vivendo na pobreza extrema - com menos de 2,5 dólares (cerca de 7,5 reais) por dia - caiu para apenas 4% em 2013.
 
O estudo mostra que cerca de 60% dos brasileiros alcançaram um maior nível de renda entre 1990 e 2009. No geral, cerca de 25 milhões de brasileiros saíram da pobreza extrema; isso significa uma em cada duas pessoas que escaparam, durante o período, da pobreza na América Latina e no Caribe.

Até 1999, os índices de pobreza extrema no Brasil e no restante da região eram semelhantes e rondavam os 26%. Nos anos seguintes, a instituição começou a observar uma maior redução da pobreza em território brasileiro.

O Banco Mundial apresenta três razões para a queda da pobreza extrema no Brasil. A primeira é o crescimento econômico a partir de 2001, "bastante mais estável que o registrado durante as duas décadas anteriores".

Em segundo, são elogiadas as políticas públicas que têm como objetivo a erradicação da pobreza, como o Bolsa Família, que oferece uma renda mensal em troca da escolarização dos filhos, ou o Brasil sem Miséria.
Na sequência está o mercado de trabalho nacional, onde as taxas de emprego formal aumentaram 60% e a evolução do salário mínimo, hoje de cerca de 260 dólares (788 reais).

Entre as recomendações do Banco Mundial para continuar enfrentando a pobreza estão ajustes fiscais para promover o gasto público eficiente para incentivar a competitividade, melhorar a infraestrutura e os serviços públicos, além de não abandonar os programas sociais.

Uma reforma tributária, segundo os especialistas, favoreceria os mais pobres já que muitos impostos são cobrados na compra de produtos, para onde vai a maior parte da renda dos mais pobres no Brasil.

Pobreza setorial caiu 87% em 12 anos

O aumento de renda entre os pobres no Brasil foi acompanhado, nos últimos anos, por uma melhor condição de vida, que inclui maior escolaridade e acesso a bens e serviços. A pobreza no Brasil caiu 87% em 12 anos, quando consideradas essas várias dimensões da pobreza.

Estudo mostra que a pobreza multidimensional no país caiu de 8,3% da população, em 2002, para 1,1%, em 2013. Para calcular a chamada pobreza multidimensional crônica, o Banco Mundial considera sete dimensões da pobreza, além da renda.

São consideradas privações situações como nenhum membro do domicilio ter completado oito anos de estudo ou o domicílio ter pelo menos uma criança entre 7 e 17 anos sem frequentar a escola.

Além da escolaridade, são considerados o acesso à infraestrutura e a bem e serviços. Quem não tem acesso à energia elétrica, água encanada ou de poço, rede de esgoto ou fossa séptica, mora em casa que não seja de alvenaria ou de madeira tratada é considerado sob privação.

Também é levado em conta o acesso a bens como geladeira e telefone. São situações que tornam mais difícil a superação da pobreza.

O estudo mostra ainda que as ações do Programa Bolsa Família e do Plano Brasil Sem Miséria conseguiram alcançar o núcleo mais resistente da pobreza, constituído por negros, crianças e nordestinos.

Analisadas separadamente, as curvas de queda de pobreza são mais acentuadas nesses grupos. Entre negros, por exemplo, a queda foi de quase 11 pontos percentuais, contra 4 pontos percentuais entre brancos, no mesmo período de tempo.

Os resultados mostram que os principais objetivos da estratégia de combate à pobreza vêm sendo alcançados: paralelamente à garantia de um piso de renda aos brasileiros, pago pelo Bolsa Família, de forma que nenhuma família beneficiária viva com menos de R$ 77 mensais por pessoa, houve um grande esforço para melhorar a escolaridade e os indicadores de saúde, assim como as oportunidades de geração de renda e emprego e acesso a bens e serviços.

A pobreza severa ainda remanescente no Brasil encontra-se entre moradores da zona rural, com acesso precário a saneamento e famílias chefiadas sobretudo por jovens com baixa escolaridade. A grande maioria está no mercado de trabalho, mas ocupando postos na informalidade


Fonte: Meio Norte

Cunha demite diretor da área de informática da Câmara

Decisão é divulgada após reportagem citar registro eletrônico e reforçar acusações contra Cunha na Lava Jato

Resultado de imagem para fotos de eduardo cunha

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou nesta terça-feira que demitiu o chefe do departamento de Informática, Luiz Antonio Eira. A decisão foi divulgada após o jornal Folha de S.Paulo publicar que o peemedebista aparece nos registros oficiais da Casa como autor dos arquivos em que foram redigidos requerimentos citados na Operação Lava Jato.

Cunha negou relação entre a decisão e a reportagem publicada pela Folha de S.Paulo. Ele atribuiu a saída de Eira ao cumprimento de carga horária do departamento de informática, que não observaria o padrão de 40 horas semanais. O servidor continuará na Câmara, mas perderá a função de confiança.

“Eu não estou culpando o diretor. O motivo é o fato de permitir que tenha uma forma de cumprimento de carga horaria que não é o padrão da Casa”, disse.

Nesta terça, o peemedebista determinou uma investigação para apurar se houve manipulação no sistema de informática da Casa. Os requerimentos são de autoria da ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), mas um registro eletrônico da informática da Câmara coloca Eduardo Cunha como “autor” do arquivo, como se o documento tivesse passado pelo gabinete dele.

Em depoimento, o doleiro Alberto Youssef disse que Eduardo Cunha apresentou dois requerimentos de pedidos de informação sobre a empresa Mitsui, para pressioná-la a continuar pagando propina. O trecho da delação premiada de Youssef levou Cunha a ser investigado na Lava Jato.


 Embora considere que auxiliares de Solange possam ter usado a estrutura de seu gabinete, Cunha determinou uma “rigorosa” investigação. Ele disse que o registro com seu nome é 30 dias posterior à data do requerimento. “Estranhamente na semana passada, determinei uma mudança na carga horaria de TI (Tecnologia da Informação). E essa mudança provocou uma revolta, porque o pessoal não estava cumprindo a carga horaria. E de repente 24 horas, 48 horas depois aparece o documento”, disse.

 Fonte: Terra

Habitação popular será prioridade da Caixa Econômica Federal

A Caixa Econômica Federal está ajustando o foco de seus financiamentos da casa própria neste ano. Segundo a instituição, a prioridade serão os imóveis de habitação popular, principalmente com o programa Minha Casa, Minha Vida.

 O foco do banco este ano será o financiamento de imóveis novos, com destaque para a habitação popular

“O foco do banco este ano será o financiamento de imóveis novos, com destaque para a habitação popular – as operações do Minha Casa Minha Vida e recursos do FGTS. A Caixa reforça que estas operações de habitação popular não tiveram nenhuma alteração”, diz nota divulgada nesta terça-feira (28).
 
Nessa segunda-feira (27), a Caixa anunciou mudanças nos limites dos empréstimos para compra de imóveis usados. A partir de 4 maio, a instituição vai financiar até 50% do valor da casa ou apartamento nas operações do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e até 40% no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).
 
Na última sexta-feira (24), começou a 11ª edição do Feirão Caixa da Casa Própria. Mais de 96 mil pessoas circularam pelos estandes do Feirão em São Paulo, Recife e Belém, buscando a melhor oportunidade e fazendo simulação de financiamento pela Caixa. Ao todo, o volume de negócios chegou a R$ 3,9 bilhões nas três cidades.
 
O evento ainda passará pelas cidades de Fortaleza (CE), Campinas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Goiânia (GO). É o primeiro ano que a capital goiana recebe o evento.
 

Fonte: Portal Brasil

Com extinção do Ronda Cidadão, mais de 30 PMs voltam para as ruas

 

O comando da Polícia Militar do Piauí se reuniu, na manhã desta quarta-feira (29), para discutir a integração do Ronda Cidadão e Pelotão Escolar. De acordo com coronel Lindomar Castilho, subcomandante-Geral da PM, a mudança trará ganho em segurança para a população. A expectativa é que as alterações comecem a ser implementadas já na próxima semana. Na prática, o Ronda Cidadão vai acabar e serão incorporados pelos batalhões de cada região.

"O Ronda Cidadão é um projeto que trata da polícia comunitária e agora estamos adequando à nova realidade. Todos sabem que temos carência de efetivo e será feito um reajuste, agregando a cada companhia do Ronda Cidadão que temos em várias regiões da cidade,, ao comando já existente. Na Zona Leste, por exemplo, temos o 5º BPM e uma companhia do Ronda Cidadão e vamos colocar essa companhia ao comando do 5º BPM. Assim, vamos esconomizar efetivo que fica na administração. Cerca de 30 a 40 policiais que estão no setor administrativo vão para as ruas", explica Castilho. 

O sub-comandante ressalta que, com a mudança o policiamento escolar, será reforçado, inclusive, para coibir a violência e o tráfico de drogas no ambiente escolar. 

"O Ronda Cidadão já não existe há algum tempo. O que existe hoje são os batalhões de polícia comunitária. Dessa forma, os policiais do Ronda Cidadão vão reforçar os batalhões de área para uma polícia mais integrada. Hoje, são cerca 270 homens que integram o Ronda Cidadão e vão passar a fazer parte dos batalhões. A ação característica de polícia comunitária não vai deixar de existir. O que vamos ganhar é um reforço. Essa mudança vai ocorrer gradativamente", destaca o coronel Lindomar Castilho. 

Moradores não aprovam integração

Com a notícia da extinção do Ronda Cidadão, os moradores de bairros da periferia temem que a violência se agrave. Os moradores da Santa Maria da Codipi consideram a característica de polícia comunitária do Ronda Cidadão fundamental no combate à criminalidade. A aposentada, Odete Araújo, moradora do conjunto Paulo de Tarso, disse que as viaturas do Ronda estão sempre presentes no bairro e o policiais já conhecem os moradores, identificando possíveis criminosos. Com a integração, ela teme ser vítima de crimes. 

"Minha casa já foi arrombada duas vezes, mesmo com a polícia aqui. Se sair vai ficar muito pior. Eles estão sempre rondando e vêm rápido quando a gente precisa. Evitam muitos roubos. Se sair vai ser muito triste", disse. 

O líder comunitário, Jean Machado, destaca que o Ronda Cidadão aproximou a polícia da população e garantiu um pouco mais de segurança para os moradores. "Foi com uma tristeza muito grande que recebemos essa notícia. A violência no bairro é crrescente e os policiais presentes evitavam se fôssemos vítimas diariamente. O ladrão jamais vai roubar na presença da polícia.  


Fonte: Cidade Verde

‘Terceirização só tem um ganhador: o patrão’, diz Lula

"Tranquilamente a companheira Dilma vai vetar", disse Lula sobre o PL já aprovado na Câmara e enviado ao Senado

 Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula
"Querem voltar a um passado em que a classe trabalhadora era tratada de forma perversa", disse Lula
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a atacar nesta terça-feira o projeto de lei (PL) 4330, que permite a terceirização de todas as atividades de uma empresa, aprovado no último dia 22 na Câmara dos Deputados e já em tramitação no Senado. De acordo com Lula, o projeto representa um “retrocesso” a uma época anterior ao governo de Getúlio Vargas.

“Esse projeto que tenta estabelecer a lei 4330 é um retrocesso a antes do governo Getúlio Vargas. Estamos voltando a 1930, tentando estabelecer uma relação de trabalho onde só tem um ganhador, que é o patrão”, disse Lula durante discurso na abertura de um evento que marca os 35 anos das grandes greves no ABC paulista, no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo.

“Com essa lei da terceirização eles querem voltar ao passado, um passado em que a classe trabalhadora era tratada da forma mais perversa possível. E nós temos que dizer não. Porque ninguém lutou o tanto que a nossa geração lutou para conquistar respeito e direitos. Agora, não podemos retroceder por alguns interesses econômicos e deixar os trabalhadores mendigando direitos”, continuou.

Lula, que tem feito cobranças públicas à presidente Dilma Rousseff (PT), exigindo ações para o segundo mandato da petista e resposta aos eleitores do partido, não tocou no nome de Dilma no discurso desta terça-feira. Ao final do evento, contudo, questionado por jornalistas, Lula disse estar seguro de que a presidente vetará o projeto. "Tranquilamente a companheira Dilma vai vetar", disse.

Com o aval do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o PL da terceirização teve tramitação rápida na Casa. No Senado, por outro lado, a discussão deverá seguir “sem muita pressa”, de acordo com o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), que decidiu hoje que a proposta será analisada por quatro comissões.
Greves 
Durante mais de uma hora, Lula contou histórias das grandes greves de 1979 e 1980 e disse que o Sindicato do ABC é “responsável por quase tudo que aconteceu de mudança na relação de trabalho” no Brasil. “É por mérito da categoria. A categoria nunca negou fogo, nunca mediu sacrifício para fazer as lutas que fossem necessárias”, afirmou.

"Todos os instrumentos que foram criados para dar proteção ao trabalhador, de quando em quando chega alguém querendo mudar", continuou Lula. "Se a gente quiser mudar as conquistas, tem que ser para algo melhor. E a terceirização é pior", encerrou o ex-presidente.
 
 
Fonte: Terra

 

Executados na Indonésia recusaram vendas e cantaram antes de morte

Angelita Muxfeldt, prima de Rodrigo Gularte, é vista em frente a caixão durante funeral em Jacarta nesta quarta-feira (29) (Foto: AP)

Segundo pastora, eles entoaram cantos religiosos até disparos iniciarem. Brasileiro Rodrigo Gularte está entre os oito fuzilados por tráfico de drogas.

Os oito homens que foram fuzilados na Indonésia na madrugada desta quarta-feira (29) – tarde de terça-feira (28) no Brasil – entoaram cantos religiosos enquanto andavam para encarar o esquadrão que os mataria, disse uma testemunha, que afirmou que eles morreram com “força e dignidade”.

 
 
Os condenados – dois australianos, quatro nigerianos, um indonésio e o brasileiro Rodrigo Gularte – saíram de suas celas na prisão na ilha de Nusakambangan e andaram até uma clareira feita na floresta, onde as execuções foram cumpridas.

Mas em vez de baixar a cabeça em sinal de derrota e resignação, todos negaram-se a colocar uma venda nos olhos e entoaram cânticos religiosos, entre eles "Amazing Grace", até que o pelotão começou a disparar.
Christie Buckingham, a pastora que acompanhou um dos australianos em seus últimos momentos, explicou ao marido que os condenados se comportaram "com força e dignidade até o fim".

“Ela me disse que os oito andaram até o esquadrão de fuzilamento cantando canções de louvor”, disse Rob Buckingham à rádio australiana 3AW. 


A pastora Karina de Veja disse que as vozes dos oito condenados eram ouvidas juntas. “Eles estavam todos louvando seu Deus. Foi tocante. Foi a primeira vez que testemunhei alguém tão bem por ir encontrar seu Deus”, afirmou. “Eles se uniram. Cantaram juntos, como em um coro. Os não-cristãos, acredito, também 

cantaram de seu coração.”
Eles se uniram. Cantaram juntos, como em um coro. Foi tocante"
Karina de Veja, pastora

Na cidade portuária de Cilacap, de onde se chega à ilha de Nusakambangan, um pequeno grupo de pessoas havia se reunido com velas pouco antes da execução, cantando também "Amazing Grace".

Segundo o jornal “Sydney Morning Herald”, o padre Charles Burrows, que deu conforto ao brasileiro Gularte, afirmou que foi especialmente difícil para ele, que foi diagnosticado com esquizofrenia e, segundo sua família, não sabia que seria executado.

De acordo com o padre, Gularte, falava com animais e tinha medo de ondas eletromagnéticas e satélites que poderiam vigiá-lo pelo céu. Em seu estado conturbado, ele acreditava que a Indonésia tinha abolido a pena capital e estabelecido um acordo de extradição de prisioneiros com o Brasil, o que significaria que ele poderia ir para casa no próximo ano.
 
Angelita Muxfeldt, prima de Rodrigo Gularte, é vista em frente a caixão durante funeral em Jacarta nesta quarta-feira (29) (Foto: Nyimas Laula/Reuters)Angelita Muxfeldt, prima de Rodrigo Gularte, é vista em frente a caixão durante funeral em Jacarta nesta quarta-feira (29) (Foto: Nyimas Laula/Reuters)

“Não achávamos que a execução iria acontecer. Mas todos estavam olhando para frente, parece que todos aceitaram seu destino”, afirmou o padre.

Na ilha de Nusakambangan, os oito condenados à morte foram atados a um poste e executados por um pelotão formado por 12 homens. Ao amanhecer seus corpos foram devolvidos a Cilacap dentro de caixões.
Os familiares seguiam chorando enquanto seus amigos e as pessoas que se foram à cidade portuária para dar apoio ajudavam a iniciar a longa viagem de retorno para casa junto com seus entes queridos.

Angelita Muxfeldt, prima do brasileiro Rodrigo Gularte, chorava desolada enquanto um padre, Charlie Burrows, abria caminho entre a multidão.

Angelita Muxfeldt, prima de Rodrigo Gularte, é vista após a execução do brasileiro na Indonésia na madrugada desta quarta-feira (29) (Foto: Beawiharta/Reuters)Angelita Muxfeldt, prima de Rodrigo Gularte, é vista após a execução do brasileiro na Indonésia na madrugada desta quarta-feira (29) (Foto: Beawiharta/Reuters) 

Fonte: G1

 

terça-feira, 28 de abril de 2015

Conheça o remédio para ressaca mais antigo da história



papiro

A velha e conhecida ressaca é assunto desde muito tempo atrás – mais exatamente: desde os anos 100 d.C. Foi por essa época que os egípcios documentaram soluções para fugir da característica dor de cabeça e ânsia de vômito. As tais receitas estavam entre os mais de 500 mil papiros encontrados em escavações feitas em Oxyrhynchus, no Egito, no fim do século 19.

Pesquisadores traduziram e publicaram recentemente os documentos. Para “dor de cabeça embriagada”, a sugestão é amarrar folhas e arbustos de uma planta bem verde, conhecida como Dane racemosa (ou ruscus italiano ou laurel Alexandrino), e usar no pescoço como um colar. Há ainda outros 21 textos médicos com segredos para tratar doenças – mas são bem menos interessantes que pensar em novas soluções para ressaca.

Ninguém ainda sabe dizer se as tais receitas funcionam. “Os remédios parecem cruzar o que chamamos de barreira entre a magia e a medicina”, diz David Leith, da Universidade de Exeter. Bem, se você tiver uma dessas folhas aí sobrando, não custa nada ver até onde vai a magia. 


Fonte: Abril

Brasileiro Rodrigo Gularte é executado na Indonésia, diz TV

Segundo imprensa local, execução de Gularte poderia ocorrer ainda neste mês (Foto: AFP)

Ele foi condenado à morte por tráfico de drogas em 2005.
É o 2º brasileiro executado por pelotão de fuzilamento no país este ano.

O brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi executado na Indonésia na madrugada desta quarta-feira (29) – horário local, tarde de terça-feira (28) no horário de Brasília, segundo a emissora local TV ONE e o diário "Jakarta Post". Ele foi condenado à morte por tráfico de drogas, e a pena foi executada por um pelotão de fuzilamento.

De acordo com a emissora 9news, da Austrália, outros sete condenados foram executados. A única mulher condenada, Mary Jane Veloso, não teria sido executada porque a pessoa que a recrutou para transportar drogas se entregou às autoridades.

O paranaense Gularte foi preso em julho de 2004 depois de tentar ingressar na Indonésia com 6 quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe. Ele foi condenado à morte em 2005.

Ele é o segundo brasileiro executado no país este ano – em janeiro, Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi fuzilado. Ele também cumpria pena por tráfico de drogas.
Gularte foi diagnosticado com esquizofrenia por dois relatórios médicos no ano passado. Em março, uma equipe médica reavaliou o brasileiro a pedido da Procuradoria Geral indonésia, mas o resultado deste laudo não foi divulgado.

Familiares e conhecidos relataram que Gularte passava seus dias na prisão conversando com paredes e ouvindo vozes. Dizem que ele se recusava a tirar um boné, que usava virado para trás, alegando ser sua proteção.

Angelita Muxfeldt, prima de Gularte, passou os últimos meses na Indonésia tentando reverter a decisão. Ela esteve com ele pela última vez na tarde de terça, no horário local, horas antes da execução.

Angelita contou que não disse ao primo claramente o iria ocorrer, e que ele não sabia o que iria acontecer, apesar de ter sido informado no sábado (25) da execução iminente. Segundo a brasileira, ele sofre de delírios e não entendeu que seria executado, acreditando que ainda seria solto.

Além do brasileiro, sete outros suspeitos foram executados. Todos foram condenados por tráfico de drogas e tiveram seus pedidos de clemência rejeitados. Eles são os australianso Myuran Sukumaran e Andrew Chan, os nigerianos Martin Anderson, Okwudili Oyatanze, Sylvester Obiekwe Nwolise e Jamiu Owolabi Abashin e o indonésio Zainal Abidin. A filipina Mary Jane Veloso foi poupada.

A Austrália e as Filipinas também tentaram diversos recursos para adiar as execuções, além de realizarem pressão diplomática, mas sem sucesso.

Montagem com fotos de oito dos condenados à morte por tráfico na Indonésia: acima, a partir da esquerda, os australianos Myuran Sukumaran e Andrew Chan, a filipina Mary Jane Veloso e o nigeriano Martin Anderson. Abaixo, os nigerianos Jamiu Owolabi Abashi  (Foto: AFP Photo)Montagem com fotos de oito dos condenados à morte por tráfico na Indonésia: acima, a partir da esquerda, os australianos Myuran Sukumaran e Andrew Chan, a filipina Mary Jane Veloso e o nigeriano Martin Anderson. Abaixo, os nigerianos Jamiu Owolabi Abashi (Foto: AFP Photo)

Crise diplomática
 
Em janeiro, o fuzilamento de Marco Archer gerou uma crise diplomática entre o país asiático e o Brasil.
A presidente Dilma Rousseff se disse "consternada e indignada" com o ocorrido e convocou o embaixador brasileiro em Jacarta para consultas.

Em fevereiro, Dilma decidiu adiar o recebimento das credenciais do novo embaixador da Indonésia em Brasília para reavaliar a situação bilateral entre os dois países. Em represália, o Ministério das Relações Exteriores indonésio chamou de volta ao país o embaixador no Brasil, Toto Riyanto, e convocou para uma reunião o então embaixador brasileiro em Jacarta, Paulo Soares, que deixou o comando da chancelaria indonésia em março.

Atualmente, a embaixada do Brasil em Jacarta está sendo chefiada, interinamente, por Leonardo Monteiro, encarregado de negócios da chancelaria indonésia.

A Indonésia reforçou suas penalidades por crimes de tráfico de drogas e voltou a realizar execuções em 2013, depois de uma pausa de cinco anos. 

Fonte: G1

 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Assembleia Legislativa vai enviar ao Congresso manifesto da terceirização

 

Bastante prestigiada, a audiência contou com a presença da senadora Regina Sousa


A Assembleia Legislativa do Piauí vai encaminhar ao Congresso Nacional um manifesto contrário à aprovação da Lei da Terceirização. A iniciativa é consequência direta da Audiência Pública realizada nessa segunda-feira, 27.04, que envolveu um debate entre deputados estaduais e federais; senadores e sindicalistas.

O debate foi proposto pelo deputado estadual, Aluísio Martins, que quer promover um debate mais amplo e evitar uma precarização do emprego no Brasil.

“Cumprimos o nosso papel ao conseguimos envolver todas as entidades do Piauí nessa discussão. Essa medida atinge diretamente 50 milhões de trabalhadores, contrariando a Constituição Federal e a Consolidação das Leis Trabalhistas”, pondera o deputado.

Bastante prestigiada, a audiência contou com a presença da senadora Regina Sousa; do deputado federal Assis Carvalho; do presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho, Carlos Wagner; do procurador do Trabalho, Edno Carvalho; da superintendente do Trabalho, Paula Mazullo, e de representantes de vários sindicatos do Piauí.

Bastante incisivo, o juiz do trabalho Carlos Wagner disse que a Lei da Terceirização é uma falácia, que fere a Constituição e ridiculariza as relações de trabalho. O desembargador do TRT do Piauí, Francisco Meton Marques, disse que é necessário a sociedade reagir contra ao que ele chamou de ‘golpe contra os trabalhadores’.

Fonte: Com informações da Assessoria

Lula cobra Dilma e diz que não veio ao mundo para fracassar

Ex-presidente disse que PT precisa "errar menos" e pediu que Dilma atenda aos interesses da classe trabalhadora

 Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula / Divulgação 


"Eu não vim ao mundo para fracassar. O PT não nasceu para fracassar", disse Lula em congresso do partido, em São Paulo
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula / Divulgação

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que o “momento difícil” por que passa o PT deve ser enfrentado com a defesa dos interesses da classe trabalhadora e cobrou que a presidente Dilma Rousseff (PT) dê uma resposta aos eleitores que a elegeram. De acordo com Lula, Dilma e o PT devem ser “unha e carne”, já que um não sobrevive sem o outro.

“Nem o PT sobrevive sem a Dilma, nem a Dilma sobrevive sem o PT. Se a Dilma fracassar, é o PT que fracassa. Se o PT fracassar, a gente vai contribuir para o fracasso da Dilma. E eu não vim ao mundo para fracassar. O PT não nasceu para fracassar. A gente não elegeu uma revolucionária presidente da República deste País para o fracasso”, disse Lula durante discurso na abertura do 3° Congresso das Direções Zonais do PT São Paulo, no Sindicato dos Bancários, no centro da capital.


O ex-presidente disse que o PT precisa “responder urgentemente para a sociedade” o motivo pelo qual quis reeleger Dilma para um segundo mandato. "Nós fomos eleitos para garantir mais empregos, garantir mais aumentos de salários, aprimorar os direitos da classe trabalhadora, aprimorar a economia, diminuir a inflação, aumentar o poder aquisitivo das pessoas e fazer o Pátria Educadora, que talvez seja a maior revolução da educação neste País", disse Lula, que também voltou a fazer um apelo pela não aprovação de "uma lei de terceirização que prejudica os trabalhadores".

A uma plateia mais esvaziada do que o de costume em eventos do PT, Lula disse que o partido e a militância precisam se impor e voltar às origens. "O que há é a necessidade de dizer o que a gente quer. Dizer ao Congresso Nacional o que a gente quer, dizer ao governo o que a gente quer, dizer aos trabalhadores o que a gente quer. E tentar construir, outra vez, a utopia das nossas conquistas”, afirmou.

"A Dilma sabe disso e ajudou a construir isso. Eu tenho certeza, pela dignidade que a gente conhece da Dilma e pelo caráter dela com os compromissos dela. Se ela está tendo dificuldade, em vez de a gente se afastar, nós devemos chegar junto e empurrar para que ela continue sendo a Dilma que nós elegemos", continuou Lula.
"PT tem que errar menos"
O ex-presidente também disse que o PT precisa "ter mais cuidado" e "errar menos". A fim de dar uma resposta aos recentes escândalos de corrupção envolvendo a legenda, o PT anunciou na semana passada que seus diretórios não poderão mais receber doações de empresas para financiar campanhas eleitorais - a medida, contudo, terá de ser validada no congresso do partido, em junho. De acordo com Lula, o PT "tem que ser diferente".

"Não vai ser fácil, mas vai servir para conquistar o que tínhamos perdido: o direito de andar de cabeça erguida", disse o ex-presidente. "O PT tem que errar menos. O PT não pode fazer aquilo que criticava nos outros. Tem que ser exemplo", afirmou. "O que é grave é que, neste momento, o dinheiro do PT é amaldiçoado, o dos outros é santificado. Parace que a campanha dos outros foi arrecadada por dízimo, vendendo churrasco nas quermesses de Santo Antônio."

"Eu sou um dos pais do PT e um dos filhos desse partido. E eu não pretendo deixar ele acabar. Quem imaginar isso vai quebrar a cara. Nós vamos ressurgir ainda mais fortes", encerrou. 


Lula marombeiro: ex-presidente dá dicas de treino em vídeo 



Fonte: Terra

 

10 mil pessoas protestam pelo fim da Rede Globo no Rio de Janeiro

 
 Cerca de 10 mil pessoas protestam em frente a sede da Rede Globo no Rio de Janeiro pelo fim da emissora; As manifestações estão ocorrendo em todo Brasil pela cassação da concessão da emissora, em Porto Alegre são estimadas mais de 20 mil pessoas em frente a RBS



Cerca de 10 mil pessoas protestam agora na sede da Rede Globo no Rio de Janeiro, O Projac em Jacarepaguá, segundo estimativa dos organizadores do evento. Ainda não há informações por parte da Policia Militar.
 
O protesto foi marcado pelas redes sociais em frente as sedes da emissora do país, em São Paulo o protesto reúne cerca de 2 mil pessoas em frente a sede da emissora. Já em Porto Alegre, a manifestação é maior e os organizadores já contam mais de 20 mil pessoas.
 
O objetivo dos protestos é pelo fim dos direitos de transmissão da emissora, que está no ar há 49 anos.
Hoje, o dia simbólico 01 de abril, é conhecido pelo dia da mentira, por isso os organizadores dizem que não há dia melhor que represente a Rede Globo.
 
A cassação da concessão de uma emissora é um processo simples, que pode ser feito por qualquer cidadão, instituição ou sindicato, perante a constituição
 
É feito e protocolado o pedido e enviado a presidente da República ou o ministério das comunicações e quem dá a palavra final é o ministro das comunicações. Os motivos devem ser descritos e claros, e a decisão não pode ser recorrida.
 
Por ser a maior rede de televisão do país e uma das maiores do mundo, a emissora possui uma capacidade sem paralelo de influenciar a cultura, a política e a opinião pública. Desde a sua fundação, a empresa possui um longo histórico de controvérsias em suas relações com a sociedade brasileira, que vão desde seu apoio ao regime militar até a influência em eleições presidenciais do período democrático, como em 1989.
 
A história nos mostra que a Rede Globo é uma inimiga da democracia, apoiando o golpe militar (cujo a mesma já admitiu essa informação), sabotou as eleições de 1989 elegendo Collor, sonegou impostos milionários em 2002 na Copa do Mundo e hoje conspira contra a democracia.
 
 
 
Fonte: Portal Metrpole

Fundação Antares renova contrato de jornalistas mas não estaria pagando o piso

Sindicato denuncia, ainda, o caso de uma produtora da Fundação que entrou de licença maternidade e que ficou sem receber seu salário

 

O Sindicato dos Jornalistas do Piauí (Sindjor-PI) através da sua fanpage no Facebook fez uma denúncia contra a Fundação Antares na manhã desta segunda-feira (27/04). “Acabamos de receber informações de que o presidente da Fundação Antares (Rádio e TV Educativa o Piauí) renovou os contratos que haviam expirado em março, mas não honrou o compromisso de pagar o piso da categoria a todos os seus jornalistas”, denuncia a publicação.

O sindicato denuncia, ainda, o caso de uma produtora da Fundação que entrou de licença maternidade e que ficou sem receber seu salário. Além de citar casos como de alguns cinegrafistas que estariam trabalhando até 10 horas por dia e não recebem o piso da categoria.

Durante um encontro com o presidente da Fundação, Humberto Coelho, o Sindjor afirma que recebeu dele a garantia de que todos os jornalistas, tanto da capital como do interior (TV Delta), iriam receber o piso da categoria e que cumpriria o que determina a legislação no tocante à jornada de 5 horas.


Em resposta a denúncia feita pelo Sindjor o presidente da Fundação Antares declarou que o diálogo entre os servidores da Fundação sempre foi aberto. “A preocupação com o pagamento do piso foi e continua sendo pauta de minhas conversas com o Secretário de Administração, Franzé Silva”, conta.

O presidente conta, ainda, que apesar da vontade de renovar os contratos com piso atualizado, um decreto do governo passado e ainda vigente impede que esta atualização seja feita. “Venho fazendo todos os esforços para melhorar as condições de trabalho dos nossos servidores, como sempre fez nosso governador Wellington Dias”, conclui.

 

 

Fonte: O Olho

Quem é o criador do site de difamação Folha Política e por que ele se esconde

Ernani e um de seus colaboradores do "Folha Política"
Ernani e um de seus colaboradores do “Folha Política”

O site de direita Folha Política é um dos maiores propagadores de boatos e desinformação da internet. Seus artigos ou são anônimos ou assinados por uma certa Lígia Ferreira. O idealizador daquilo se chama Ernani Fernandes. Ele era estudante de Direito em maio de 2013, quando escreveu alguns textos atacando o número de ministérios da gestão de Dilma Rousseff.

Fernandes é um dos fundadores do Movimento Contra Corrupção, o MCC, e deu uma entrevista na mesma época, há quase dois anos, defendendo a criação de um veículo de comunicação novo. “[Existe o] caráter tendencioso dos meios de comunicação, aventando a necessidade de uma forma de divulgação de informações isenta”, disse.

O MCC foi criado na época das eleições municipais de São Paulo em 2012 e não apoiou nenhum candidato, criticando inclusive José Serra e Celso Russomanno. No entanto, a partir do ano seguinte, passou a centrar fogo nos petistas.

No site do MCC, há um link de recomendação para a Folha Política. Já na Folha Política, não há nenhum link mencionando o Movimento Contra a Corrupção que a apoia.

Uma leitora do DCM trouxe dados interessantes do site Who.is, que mostra informações sobre registros dos endereços na internet através de dados da instituição americana ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers). Os dados da Folha Política estão ocultos e foram registrados no dia 7 de maio de 2013, na mesma época da entrevista do MCC. O domínio é de Queensland, na Austrália.

Por que um endereço de internet fora do Brasil? Gravataí Merengue, do blog Implicante, diz que faz isso por causa da “exposição indevida que domínios no Brasil (.br) apresentam”. O mesmo blogueiro acusado de receber 70 mil reais do governo Alckmin alega que a opção pelo .org é para obter com mais facilidade a privacidade dentro de solo americano e reduzir custos.

É realmente mais barato lá fora, mas estes sites buscam registros no exterior para não ter que se explicar na Justiça brasileira ou segundo os preceitos do Marco Civil da Internet aprovado no país. A Folha Política parece adotar o mesmo procedimento do Implicante nesse aspecto.

Se você digitar o endereço do site do Movimento Contra Corrupção, o mesmo domínio de Nobby Beach, em Queensland, aparece sem um dono do registro ocultado a pedido dos proprietários. No entanto, o LinkedIn de Ernani Fernandes o liga aos dois sites.

Ele seria administrador de um grupo empresarial chamado Raposo Fernandes. Essa companhia teria uma “escola filosófica” para ensino de humanidades com site próprio. Se você acessar a fanpage no Facebook desta instituição, o que encontra? Textos da Folha Política.

Procurando pelo Who.is da escola filosófica, encontramos como proprietário o nome de Ernani Fernandes Barbosa Neto com um domínio em São Paulo.

Outro autor apareceu em maio de 2013. Seu nome é Allan Carvalho e ele se define como estudante de administração e coordenador nacional do Movimento Contra Corrupção.

O DCM tentou falar com Ernani Fernandes. Por email, perguntamos se a Folha serve como veículo de informação do MCC, se ele realmente é o fundador, quem é o editor, por que não há autores identificados na maioria dos artigos e se eles temem processos. Até o momento da publicação deste texto, ele não nos respondeu.

Em mais de dois anos no ar, o site Folha Política pratica antijornalismo a serviço de uma milícia política. O MCC não tem coragem de se assumir tucano ou pró-PSDB, mesmo fazendo apenas críticas antipetistas. A estrutura desta rede de difamações é um mistério, mas está serviço de alimentar o ódio nas redes sociais para colher frutos.




Fonte: DCM

Movimentos sociais fazem escracho em sede da Rede Globo


Centenas de militantes de movimentos sociais marcharam em direção à sede da Rede Globo, na capital paulista, neste domingo (26), para repudiar os 50 anos da emissora. Em outras capitais também aconteceram manifestações.

O ato unitário reuniu diversos movimentos sociais, entre eles: UNE, UJS, CUT, MST, MTST, Barão de Itararé 

Por volta das 15 horas os manifestantes começaram a se reunir na praça General Gentil Falcão, zona sul da capital paulista, nas proximidades da sede da emissora. “Meus filhos assistem TV e eles assistem a Globo, mas precisam saber, desde cedo, que a Globo manipula e que poderíamos ser um país melhor sem ela”, declarou Edson Vargas, que chegou de bicicleta de Ribeirão Pires, na região do ABCD paulista, com os dois filhos, de 12 e 10 anos, somente para participar da manifestação.

Durante toda a última semana, sob o comando do editor do Jornal Nacional, William Bonner, a Globo fez uma retrospectiva do jornalismo da emissora nos últimos 50 anos. “Foi uma piada”, atacou Altamiro Borges, jornalista e coordenador do Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé, que comparou a emissora carioca a um “assassino”.

“Eles te matam e depois pedem desculpas à família. Do que adianta? O caos já está feito. Se a Globo não manipula o debate de 1989, onde o Brasil estaria hoje? Sem o apoio da Globo ao golpe militar de 1964, onde o Brasil estaria hoje?”, disse, referindo-se ao debate presidencial entre os então candidatos Lula e Fernando Collor. A própria emissora, por meio de alguns de seus executivos à época, já admitiu ter editado trechos do debate para favorecer a candidatura de Collor.
Comum entre os manifestantes era a lembrança de que a emissora, durante seus 50 anos, foi responsável pela criminalização e inviabilização de diversos movimentos sociais.

“Na Globo, nós, os movimentos sociais, sempre somos tratados como ‘vândalos’, nossos atos estão sempre vazios e os discursos são manipulados pelos repórteres deles”, lembrou Jussara Basso, da coordenação nacional do MTST. “Como concessão pública, eles deveriam transmitir ao povo o que está acontecendo, eles devem satisfação ao povo, mas mentem e não são cobrados por isso.”

Tinta vermelha

Já na entrada principal da Rede Globo, os manifestantes picharam no muro algumas mensagens: “Assassina”, “Globo Mente” e “Globo Golpista”. Durante o protesto, algumas palavras de ordem foram gritadas e quatro balões com tintas vermelhas foram arremessados contra o muro.

Ainda na frente da emissora, os manifestantes sentaram no chão e acompanharam o vídeo do direito de resposta que o ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, conseguiu na Justiça e que foi lido ao vivo, na Globo, por Cid Moreira – um momento histórico da TV brasileira e marco da resistência ao autoritarismo da “vênus platinada”.

Atos em outras capitais

Em Brasília mais de 500 pessoas também participaram do ato de escracho à Rede Globo que aconteceu em frente à sede da emissora. Os manifestantes, assim como na capital paulista, jogaram tinta vermelha no prédio, em referência ao “sangue de brasileiros derramado durante a ditadura militar”, apoiada pelo grupo de Roberto Marinho.

No Rio Grande do Sul o escracho aconteceu não só na capital Porto Alegre, mas também em diversas cidades do interior, entre elas Bagé, Caxias do Sul, Erechim, Pelotas, Passo Fundo, Santa Maria, Santa Cruz e Santa Rosa. A filial gaúcha da Rede Globo foi denunciada na Operação Selotes, da Polícia Federal, que investiga manobras de sonegação de impostos.

Em Belo Horizonte os manifestantes também fizeram uma passeata até a sede da emissora com bandeiras e palavras de ordem.

Entre as entidades que organizaram os atos pelo Brasil estão UNE, MST, MTST, UJS, CUT e Barão de Itararé.
Do Portal Vermelho, com agências

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Cunha, Fiesp e Globo bancam terceirização na Câmara

Ambições de Eduardo Cunha, lobby patronal e noticiário simpático explicam aprovação. Vitória de Pirro? 
 skaff3x2.jpg 

Sob a batuta de Eduardo Cunha, a Câmara dos Deputados liquidou a aprovação da Lei da Terceirização na quarta-feira 22 e mandou o projeto ao Senado. Apertado, o resultado de 230 votos a 203 foi bem diferente do placar folgado (324 a 137) da primeira apreciação, no dia 8. Não havia mais, porém, o medo da reação popular visto no dia 15, motivo do adiamento da votação naquela oportunidade. O que teria levado a uma segunda reviravolta? Pelo que se ouve na Câmara, uma combinação de lobby patronal, cobertura simpática da lei pela mídia e um esforço de Cunha de evitar a todo custo o risco de derrota.

Às vésperas da quarta-feira 22, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) levou ao ar nos principais canais de tevê uma propaganda a favor da lei. No vídeo, pessoas a se declararem terceirizadas diziam ser a lei necessária para garantir-lhes direitos trabalhistas. O presidente da entidade, Paulo Skaf, aparecia dizendo que o projeto era importante para os trabalhadores, antes mesmo de afirmar que também era para os empresários. Um vídeo de teor parecido circulou pela internet por obra da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

As entidades também foram a campo pessoalmente. Após Skaf baixar na Câmara duas semanas seguidas, no dia da votação final foi a vez de diretores da CNI percorrerem gabinetes. Embora o Palácio do Planalto tenha oficialmente se omitido no debate da lei, o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), trabalhou contra o projeto e, vencido, apontou a atuação patronal como decisiva. “A Fiesp, a CNI e a CNA (confederação dos ruralistas) enquadraram o PSDB”, disse. Sem o voto dos tucanos, que na semana anterior pareciam hesitantes, o projeto teria sido arquivado.

Não foi só a publicidade patronal a tentar criar um clima mais confortável na opinião pública para os deputados dispostos a aprovar a lei. No dia da votação final, o diretor do instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira, estava na Câmara a acompanhar a polêmica. Para ele, o noticiário da Rede Globo foi fundamental para se entender o desfecho do caso.

No dia 15, quando a Câmara fraquejara, o Jornal Nacional difundira uma reportagem de 4 minutos de teor favorável à lei. Dos quatro entrevistados, só um era contra, o presidente da CUT, Vagner Freitas. Os outros eram a favor: Paulinho, ex-presidente da Força Sindical, e os economistas Hélio Zylberstajn e José Pastore. No dia 22, o telejornal dedicou mais 3 minutos ao tema. De novo, havia só uma voz contra, a de Freitas, e três a favor: Zylberstajn, Pastore e o presidente da Força, Miguel Torres.
paulinho3x2.jpg
Paulinho da Força (Solidariedade-SP) em ato pelo impeachment
Um deputado que apoiou Cunha na eleição para a presidência da Câmara conta que o peemedebista também tratou de enquadrar, ele mesmo, alguns partidos que haviam claudicado dias antes, a exemplo do PSDB e do PSD. Segundo ele, Cunha passou a encarar a Lei da Terceirização como uma questão de honra. Um teste sobre seu poder na Casa. O vencedor – ou o perdedor – não seria o projeto, mas ele mesmo, Cunha. Um abalo incompatível com suas ambições.

O triunfo pode, no entanto, ter sido de Pirro. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tem repetido que ali o projeto não será votado nem com pressa, nem com dispositivos prejudiciais aos trabalhadores. Cogita até deixar o texto na gaveta. Os líderes dos dois maiores partidos do Senado, PT e PMDB, avisaram nesta quinta-feira 23 que não aceitam a terceirização ampla, geral e irrestrita patrocinada por Cunha.

Além disso, o placar apertado na votação final entre os deputados deixou Dilma Rousseff mais à vontade para eventualmente vetar o projeto no futuro. Se vetar, a Câmara precisará de 308 votos para derrubar o veto, número difícil de ser alcançado com 203 deputados tendo votado contra a lei.

Até aqui, a presidenta tem evitado comentar a hipótese de veto. No Palácio do Planalto, o que se comenta é que Dilma não quer se indispor com o empresariado em um momento em que conta com o capital privado para reativar a economia.
Fonte: Carta Capital

Heráclito: Terceirizado de hoje é o desempregado de ontem



O deputado federal Heráclito Fortes (PSB) explicou que é a favor de regulamentar a situação dos terceirizados, por se tratar de algo já praticado no país e por não interferir na realização de concursos públicos. "Votei com convicção. A figura do terceirizado já existe no país. O que está causando polêmica é a posição da CUT, que vai perder receita com a aprovação da Lei da Terceirização. É medida de desesperados. Mas, o terceirizado de hoje era o desempregado de ontem, o boia fria", defendeu o parlamentar.

Heráclito, entretanto, admite que a terceirização não é a melhor forma de contratação. "A estabilidade do servidor público, claro que é a melhor solução, mas a situação não está propícia. Em Teresina temos duas empresas de call center, ou seja, mais de 8 mil terceirizados e ninguém está sendo desrespeitado porque é terceirizado. No Brasil, o Mais Médicos é exemplo de terceirização e a Petrobras só não quebrou por causa dos funcionários terceirizados. Vamos acabar com a hipocrisia. O que temos que fazer agora é aperfeiçoar as garantias dos terceirizados", argumentou.

Concursos públicos

Heráclito declarou ainda que o concurso público tem que ser tratado com mais seriedade no Brasil. "Hoje se faz concurso e não se convoca os aprovados. Tem que existir uma lei que force a só realizar concurso se tiver previsão orçamentária e com a obrigatoriedade de contratação. Existe uma indústria de concursos", explicou.


G. Hammer:  Este senhor que quase foi banido do cenário político, volta com o "voto do povo",  para na primeira oportunidade fazer o que sempre fez, legislar pra ele e seu grupo forte como seu próprio nome já diz. Se sua eleição  já foi um retrocesso, imagina-se então uma PEC que estava engaveta por 11 anos e agora do nada surge, é votada, aprovada e aplaudida por alguns políticos da velha guarda e é claro pelos empresários que "fala-se pelos bastidores",  que foram eles quem bancaram a aprovação da mesma. Só sei que o que agrada a esta elite, é demonizada pela maioria da classe trabalhadora e pelo próprio TRT. Parece que o Brasil agora virou caranguejo e anda desgovernado a um passado no mínimo duvidoso. 



Com informações do Cidade Verde
Comentario: Gabriel Hammer
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips