terça-feira, 14 de julho de 2015

Advogado critica busca na casa de Ciro e diz que País vive "estado policialesco"

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, condenou nesta terça-feira (14) as buscas na residência do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, e classificou a ação como “uma violência”.


Na manhã de hoje, a Polícia Federal Brasília realizou mandados de buscas e apreensão nas residências dos senadores Ciro Nogueira, Fernando Collor (PTB-AL), do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE),  e na casa do ex-ministro e ex-deputado Mário Negromonte (PP-BA), na Bahia.

Por telefone, Kakay, que defende Ciro Nogueira, reafirmou que as buscas foram desnecessárias.
“Considero desnecessária. Uma violência, o senador Ciro Nogueira já prestou depoimento e colocou à disposição da Polícia Federal seu sigilo bancário e fiscal e foi desnecessário essa ação, mas decisão do STF se cumpre. O senador é um homem tranquilo, não está preocupado e não fez nada de errado”, disse Kakay.
O advogado criminalista mais requisitado em assuntos polêmicos informou que há um mês tenta acesso ao depoimento do dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, que em seu depoimento à Justiça citou o nome de Ciro Nogueira.

“Infelizmente vivemos um estado policialesco no Brasil. A defesa não tem amplitude na contestação dos casos. Já acionamos o Supremo Tribunal Federal (STF) para ter acesso ao depoimento de Ricardo Pessoa, e estamos aguardando. Não sabemos o motivo das acusações contra o senador”, afirmou.  

As buscas ocorrem na residência de investigados, em seus endereços funcionais, sedes de empresas, em escritórios de advocacia e órgãos públicos. Foram autorizadas apreensões de bens que possivelmente foram adquiridos pela prática criminosa. As medidas decorrem de representações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal nas investigações que tramitam no Supremo. A alegação do Ministério Público é que o objetivo principal evitar que provas importantes sejam destruídas pelos investigados.

Segundo a PF, Os mandados, que foram expedidos pelos ministros Teori Zawascki, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski, estão sendo cumpridos no Distrito Federal (12), na Bahia (11), Pernambuco (8), Alagoas (7), Santa Catarina (5), Rio de Janeiro (5) e São Paulo (5). Cerca de 250 policiais federais participam da ação.

A operação foi batizada de Politéia, em grego, e faz referência ao livro "A República" de Platão, que é uma cidade perfeita, onde a ética prevalece sobre a corrupção.

A reportagem. tentou falar com o senador Ciro Nogueira, mas estava com o celular desligado.

Fonte: Cidade Verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog