terça-feira, 15 de setembro de 2015

Líderes e presidentes de partidos da base lançam manifesto que rechaça golpismo dos “inconformados com a derrota”

manifesto contra golpe 
 Presidentes e líderes partidários de partidos da base governista, em reunião nesta terça-feira (15), rechaçaram o movimento em prol do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, lançado na Câmara pela oposição conservadora, na semana passada.


Durante o encontro foi divulgado um manifesto intitulado “Declaração em Defesa da Democracia e do Mandato Popular” (confira a íntegra abaixo). Os signatários do texto destacam que o “cumprimento do mandato obtido legitimamente nas urnas significa, sobretudo, respeito ao voto popular, base de qualquer democracia digna desse nome” e lamentam que “forças políticas radicais, que exibem baixo compromisso com os princípios democráticos, venham se dedicando diuturnamente a contestar e questionar o mandato popular da presidenta Dilma”, que recebeu o documento logo após a reunião na Câmara.


Rui Falcão, presidente do PT, criticou os anseios golpistas e disse que as movimentações nesse sentido são “muito ruins” para o País. “A democracia é um valor que foi conquistado a duras penas pelo povo brasileiro e não podemos abrir mão disso. Num momento em que setores que não se conformam com a derrota eleitoral tentam abreviar o mandato da presidenta, nós nos manifestamos em defesa do mandato popular e da democracia”, disse Rui Falcão.


Para o deputado Ságuas Moraes (PT-MT), um dos vice-líderes da bancada petista na Câmara, é preciso atenção e unidade para que não prospere o golpe pretendido pela oposição de direita. “Precisamos nos manter vigilantes para rechaçar qualquer tentativa golpista”, alertou Ságuas.


“Precisamos defender um bem muito caro ao povo brasileiro, que foi a conquista da democracia. Esse é o sentido deste documento”, explicou a presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE).
“Estamos reunidos aqui em defesa do Brasil e do Estado democrático de Direito. Trata-se de um mandato legítimo e legal e não há nenhum fundamento, nenhuma base para qualquer processo de impeachment”, ressaltou o deputado Leonardo Monteiro (PT-MG).


Também participaram da reunião, que ganhou ares de ato político, os presidentes do PMDB, Valdir Raupp, e do PSD, Gilberto Kassab, além do líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), dos líderes do PMDB e PSD na Câmara, deputados Leonardo Picciani (PMDB-RJ) e Rogério Rosso (PSD-DF). O deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), ex-ministro das Cidades, e o vice-presidente nacional do PROS, Moacir Bicalho, estiveram no encontro, que teve ainda a deputada Moema Gramacho (PT-BA) os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP), Bohn Gass (PT-RS), José Mentor (PT-SP) e Wadih Damous (PT-RJ). Os partidos da base realizarão um grande ato público na Câmara, ainda sem data definida, para contrapor o golpismo da direita.

Confira o PDF com a íntegra do manifesto:
PT na Câmara
Foto: Gustavo Bezerra/PT na Câmara
Mais fotos do evento: https://www.flickr.com/photos/ptnacamara 


Fonte: PT na Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips