terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Protestos na Esplanada contra PEC 55 são recebidos por forte repressão policial

Divididos em vários grupos, manifestantes farão passeata do museu da República até o Congresso Nacional. Acesso ao local é marcado por forte esquema de inspeção de bolsas e apreensão de pertences

planalto_repressao_pec55.jpg 
 
Brasília – Num esquema de segurança rigoroso, a Polícia Militar do Distrito Federal iniciou o dia de hoje (13) bloqueando toda a área da Esplanada dos Ministérios para veículos. Os policiais também exigiram dos manifestantes vistoria em todos os seus instrumentos e bolsas e proibiram desde paus de bandeiras a produtos como vinagre, bolas de gude e máscaras, entre outros, com a justificativa de que o objetivo da ação é fazer com que os atos públicos programados aconteçam de forma pacífica. Mesmo assim, não conseguiram impedir a ida das pessoas ao local, que prometem ficar até a noite, portando faixas e cartazes contra o governo Temer.

“Acham que vão nos intimidar, depois do que aconteceu no último dia 29, mas estamos aqui para dizer o que pensamos, protestar contra esse governo formado por envolvidos na Lava Jato e reivindicar nosso direito de livre expressão”, disse o estudante de arquitetura Tiago Ornellas, integrante da União Nacional dos Estudantes (UNE). Ele se referiu às manifestações realizadas durante a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55 em primeiro turno no Senado, duas semanas atrás – que foram marcadas por repressão policial, com bombas de efeito moral e spray de pimenta usados contra a população.

No total, segundo dados da PM, ficaram concentrados desde o início da manhã desta terça-feira, na área em frente ao Museu da República, perto de 2 mil pessoas. Outras quase 3 mil pessoas começam a se concentrar neste final de tarde a partir do Museu, para sair em passeata por toda a Esplanada.
Os manifestantes, em sua maior parte estudantes, professores, sindicalistas e funcionários públicos, que estão realizando atos em todo o país, protestam contra o governo Michel Temer, contra a PEC 55, que congela os gastos públicos – aprovada no início da tarde pelo Senado Federal –, a reforma da Previdência e a reforma do ensino médio.

Muitos deles também portam faixas onde está inscrito “Diretas Já”, como forma de pressionar os parlamentares pela votação de proposta que trata do tema, no Congresso.

  Policia_DF_Foto_Marcello_Casal.jpg
PM faz revista nas pessoas que chegam à Esplanada dos Ministérios: cerco aos protestos contra a PEC 55

 

 

Detenções

Informações da secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal são de que em meio às abordagens e revistas realizadas em todos que entraram na Esplanada, foram feitas três detenções, por conta do porte de alguns instrumentos tidos como mais violentos, mas essas pessoas foram conduzidas à delegacia e liberadas logo em seguida. Uma das três portava droga em pequena quantidade, que foi apreendida.

Muitos manifestantes, como é o caso da professora Edilza Rocha, da rede oficial de ensino do DF, prometem não esmorecer com o esquema montado pela PM.

“Sabemos dos danos dessa PEC e que os estragos vêm por aí, mas não podemos perder a esperança, porque temos consciência do nosso poder de luta. Os movimentos estão articulados e temos de fazer isso mesmo, vir para a rua mostrar nossa indignação. Queremos a saída de Temer e a convocação de eleições diretas no país”, afirmou Edilza. 




Fonte: Rede Brasil Atual
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips