segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Folha descobre que reforma da Previdência de Temer é a pior do mundo

 


A matéria constata que a reforma dificulta o acesso ao direito de se aposentar dos trabalhadores, criando critérios mais duros do que o de muitos países bem mais ricos que o Brasil, sendo que em outros países é possível se aposentar com tempo menor de contribuição.

 
No projeto, se o trabalhador tiver cumprido os 25 anos de contribuição, só receberá 76% do benefício. O valor integral só será pago a quem trabalhar e contribuir por 49 anos.

 
A matéria destaca que nos Estados Unidos, o tempo de contribuição é de 35 anos. Mas, se aos 67 anos o trabalhador não tiver alcançado esse tempo mínimo, ele poderá se aposentar com o benefício reduzido. “Na Espanha, por exemplo, 15 anos de contribuição dão direito a 50% do benefício. Cada mês adicional de trabalho aumenta esse percentual”, diz outro trecho da matéria.



Segundo Hervé Boulhol, responsável pela área de aposentadoria da OCDE (grupo dos países mais desenvolvidos do mundo) e citado pela matéria, exigir um mínimo de 25 anos de contribuição é muito rígido. “Se você contribuir por 20 anos e não ganhar nada, isso quer dizer que todas as suas contribuições foram puramente impostos”, diz Hervé.

Entre os países que integram a OCDE, um trabalhador consegue o benefício integral após contribuir em média por 44 anos.




Fonte: Vermelho/Folha de S. Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips