segunda-feira, 13 de março de 2017

Denuncia de Corrupção nas Comunidades Terapêuticas

 

Existe uma grande diferença entre trabalho social e negocio social! Não se pode fazer negocio com as mazelas de gente humilde! Não se pode fazer política com a dor das pessoas! Não se pode fazer negócio com o sofrimento alheio! As comunidades terapêuticas tem uma importância social inestimável para nosso país. 

Existem muitas comunidades terapêuticas que fazem um importante trabalho de recuperação e ressocialização de pessoas em situação de risco, devido à dependência química e o uso abusivo de álcool e outras drogas. 

Os trabalhos sociais e de interesse social, assim como outros serviços prestados pelo terceiro setor, movimentam altas somas de recursos privados e também públicos, especialmente através de convênios com órgãos públicos. Os repasses através de convênios com ONGs idealizadas e dirigidas por pessoas mal intencionadas, que na verdade são donos de um “negocio social”, tem atrapalhado o trabalho social de ONGs e entidades que verdadeiramente tem o compromisso na resolução de problemas que afetam nossa sociedade, como inclusão digital, formação profissional de jovens em situação de risco, acolhimento social e outros serviços. 

Essa foto acima não é uma imagem estranha, não é novidade, na verdade é o retrato de pessoas que tem enriquecido através de “negócios” sociais. Negócios que tem cara de trabalho social, mas que não sofrem fiscalização sobre o verdadeiro cumprimento do objetivo social para os quais foram criadas. É publico e notório o comprometimento político de algumas ONGs com maus políticos. 

É também de conhecimento  histórico na utilização das ONGs para alcançar objetivos políticos, em detrimento dos objetivos sociais. Atrelado a isso, existem indícios muito fortes de que algumas ONGs têm sido utilizadas como instrumento para enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e palanque político. A comunidade Piauiense conhece quem é quem nos trabalhos sociais e sabe distinguir quem é “empresário” social e quem é voluntário nas causas sociais, mas o governo “socialista” do PT-Piauí parece não saber ou não querer enxergar isso.  

Temos ONGs que verdadeiramente fazem um trabalho social importante de prevenção para que a juventude não precise chegar as Comunidades Terapêuticas. O trabalho de prevenção é muito mais importante que o tratamento em si, mas o governo do estado ainda prefere investir em convênios que visam o tratamento. 

Tratamentos estes que são perfeitamente questionáveis, visto que os resultados não tem sido permanente e nem duradouro! As comunidades terapêuticas tem se tornado um “negócio” muito rentável. Será que alguém que ficou rico “oferecendo tratamento contra drogas” realmente tem interesse na cura dos dependentes químicos? Será que o político que tem lavado dinheiro através de Comunidades terapêuticas no Piauí tem realmente interesse em acabar com o problema da dependência química no estado? Porque a CPI que pede investigação nas contas e resultados do trabalho social de Comunidades Terapêuticas aqui no Piauí não vai pra frente? Quais os interesses estão protegendo? Essa imagem merece nossa reflexão e, sobretudo merece nossa dúvida.




Texto: Carlos Sousa e Carla Mata
Edição: G. Hammer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog

Amazon MP3 Clips