terça-feira, 30 de maio de 2017

CNJ adia julgamento contra Moro por vazar grampos de Lula

 


Estou no CNJ. As reclamações disciplinares sobre os grampos e publicização de conversas foram retiradas de pauta", afirmou o advogado Cristiano Zanin, que compõe a defesa do ex-presidente Lula.

 

Ainda segundo o colunista Frederico Vasconcelos, "o relator, ministro corregedor João Otavio de Noronha, retirou os recursos da pauta".

 

O juiz seria julgado por vazar à imprensa grampos envolvendo o ex-presidente Lula e seus familiares e também entre o petista e a presidente deposta Dilma Rousseff. No primeiro caso, as conversas não tinham relação com a investigação e no segundo, a autorização para a gravação havia se encerrado duas horas antes do grampo.

 

A conversa entre Lula e Dilma tratava de um termo de posse do ex-presidente no ministério da Casa Civil. O episódio aconteceu às vésperas da votação do impeachment na Câmara.







Com informações de agências/Vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog