quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Governo ilegítimo de Temer se curvou a Trump, afirma Dilma

"O discurso colérico de Trump na ONU, instituição criada para buscar a paz e promover o convívio entre as nações, é uma ameaça à humanidade. Ao afirmar que pode destruir um país, Trump evidencia sua posição belicista, baseada na ameaça de um holocausto nuclear", enfatizou a presidenta.

No discurso feito na abertura da 72ª Assembleia da ONU, nesta terça-feira (19), Trump ataca Cuba, promete romper o acordo nuclear com o Irã e exige apoio a uma intervenção na Venezuela.

"As atitudes de Trump regridem à guerra fria, ameaçam nações livres e colocam a existência da humanidade em risco. É lamentável que o governo ilegítimo do Brasil tenha se curvado a Trump e se calado diante das suas ameaças de intervenção na Venezuela", completou.

No discurso, Temer afirmou que "na América do Sul, já não há mais espaço para alternativas à democracia". A declaração foi para fazer críticas ao governo da Venezuela, endossando o discurso de Trump, afinado no jantar da noite anterior.

 
Homofobia

 
A presidenta também se manifestou sobre a decisão do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara do Distrito Federal, que concedeu uma liminar que, na prática, torna legalmente possível que psicólogos ofereçam pseudoterapias de reversão sexual, popularmente chamadas de cura gay.

Com o título "O golpe é homofóbico", Dilma afirma que a decisão é uma demonstração de que o "golpe regride a cada dia". "Um juiz se acha no direito de sentenciar que homossexualidade é doença", enfatiza a presidenta.

"A decisão agride e segrega a comunidade LGBT. É a barbárie sob a forma de sentença judicial. Tratar a homossexualidade como doença é uma decisão reacionária, que agravará o preconceito e fará crescer a violência contra os gays", enfatiza.





Fonte:  Portal Vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog