sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Mães protestam contra ração humana de Doria em ato em São Paulo

"O gestor chama essa ração humana de Farinata. Nós, mães, pais e familiares chamamos de aberração", afirmam as mães

Mães com filhos matriculados no ensino público da rede municipal paulistana estão mobilizadas contra a distribuição da “ração humana” do prefeito João Doria (PSDB) na merenda escolar. Elas organizaram nesta quinta-feira (19) o “Primeiro Ato Contra Ração Humana na Merenda de Nossos Filhos”. A manifestação, que conta com mais de 7 mil interessados inscritos no Facebook, começou às 18h no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, região central da capital.

“Nos últimos dias recebemos, com muito espanto, a notícia da aprovação de uma proposta de João Doria de disponibilizar uma espécie de ração humana para a população carente de São Paulo. Não satisfeito, ele disse que essa ração faria parte da merenda nas escolas municipais. O ‘gestor’ chama essa ração humana de Farinata. Nós, mães, pais e familiares chamamos de aberração”, afirma a descrição do evento encabeçado por sete mulheres.

As mães reivindicam “comida de verdade” para as crianças. “Queremos merenda saudável e não restos de comidas que estão para vencer. Nossos filhos não são lixo! Não iremos admitir que esse prefeito os trate assim.” A ração de Doria é alvo de críticas de nutricionistas. O Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea) se declarou contrário à ração e solicitou à prefeitura esclarecimentos sobre o alimento processado. O Ministério Público abriu investigação sobre o caso.

As empresas que doarão os restos de comida para a prefeitura contarão com incentivos econômicos como isenção de impostos. “Doria quer desovar restos da indústria alimentícia de ultraprocessados na merenda das crianças. Não falou com ninguém, apenas combinou com seus amigos ricos, atropelou a Secretaria Municipal de Educação, a Coordenadoria de Alimentação e o Guia Alimentar para a População Brasileira, e decidiu enfiar lixo nas nossas crianças”, afirmam as mães.

“É um crime contra a infância, contra a saúde e contra nossa dignidade. A merenda não era ótima? Não estava tudo maravilhoso? Até ontem, itens industrializados eram proibidos de repetição, e agora o prefeito resolveu combater a fome dentro da escola pública? Por que querem enfiar lixo reciclado na goela dos nossos filhos? Essa é uma medida escandalosa, estamos organizadas e não vamos deixar esse absurdo acontecer”, sentenciam.

O vereador Toninho Vespoli (Psol) se manifestou nesta quarta-feira (18) no plenário da Câmara. “Gostaria de saber e entender se o prefeito e os secretários vão adotar ração nos seus cafés matinais. Eu acho que se eles acham que a ração é tão boa assim e consumirem, ai o povo também poderá utilizar. Até porque vi um vídeo de um secretário comendo a ração e a cara dele não era muito boa, inclusive expressava nojo”, disse.

Por fim, as mães contra a ração pedem para que pessoas sensibilizadas defendam a boa alimentação das crianças. “Liguem ou mandem e-mail para a Coordenadoria de Alimentação Escolar e registrem seu repúdio, solicitando um parecer oficial. Acionem o Grupo de Educação do Ministério Público. Entrem na página do prefeito João Doria, do secretário da Educação, Alexandre Schneider, e manifestem seu desgosto.”


Edição: RBA
Via: Brasil de Fato
VEJA TAMBÉM: 

PF descobre que Aécio e Gilmar fizeram 33 ligações via WhatsApp para não serem grampeados

 gilmaraecio

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog