quinta-feira, 17 de maio de 2018

Mutreta no leilão do “atribuído” do Guarujá?

leilao 

Chega a dar vergonha do nosso “jornalismo investigativo”.

Sites e emissoras de rádio e TV, quase que sem exceção, anunciam que foi arrematado o apartamento “atribuído” a Lula.

Covardes, não têm coragem de afirmar aquilo que fizeram convencer o povo, que o apartamento é de Lula.

Bem, mas o tal “atribuído” teve a visita de 60 mil pessoas na internet, enquanto estava sendo leiloado.

Nenhum lance, considerando-se que o primeiro, feito na terça (15), horas antes do final do prazo, foi dado por engano, por um cidadão de Piracicaba, que errou ao apertar alguma tecla e “ofereceu”, sem querer, os R$ 2,2 milhões pedidos como lance mínimo.

Pedido muito acima do valor de mercado e mais ainda para imóvel que vai a leilão judicial, que costuma atrair muita gente exatamente porque se oferecem preços baixos, não altos.

Minutos antes do prazo fatal, uma tal Guarujapar, empresa de Brasília que, em buscas na internet não se pode encontrar, nem ao seu CNPJ, ofereceu o lance mínimo, para que o leilão não se frustrasse.

Ora, se o apartamento estava no preço de mercado e ainda tinha o “aditivo” de ser “atribuído” a Lula, porque não houve interessados, senão este, enviado à última hora por algum “espírito santo de orelha”?

Quem vai se aventurar a saber quem é a tal “Guarujapar”?

Não se sabe como nem de onde. Mas,  surgem nas redes vários hipóteses  relacionadas. Inclusive com um possível comprador muito ligado ao PSDB. Seria um tal advogado ligado a um certo  presidenciável. Mais a pergunta persiste de uma forma de linguagem. Porque o termo "atribuído" mesmo?

E no caso do Sitio será "atribuído" também e sem provas? São muitas perguntas e poucas respostas acompanhadas de muitos golpes.



Com informações do Tijolaço
Por: Fernando Brito
Adaptação: G. Hammer

LEIA TAMBÉM:

Sociedade civil intensifica luta contra privatização da Eletrobras



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog