quarta-feira, 18 de julho de 2018

MDB se reunirá hoje para discutir proposta de Wellington Dias


Em reunião com lideranças na noite de ontem (18), o governador retirou a oferta da disputa pela vaga de vice a Themístocles Filho. O nome do emedebista já estava praticamente consolidado na chapa.

 

O MDB vai se reunir ainda na manhã desta quarta-feira (18) para discutir proposta de Wellington Dias, feita em reunião no Palácio de Karnak na noite de ontem (17). A proposta do governador foi de contemplar o MDB com a segunda vaga ao Senado para o deputado Marcelo Castro, tirando Themístocles Filho da disputa da vice-governadoria. Assumir a vaga de vice era o desejo do partido desde que entrou para a base governista no começo do ano passado.


Além de Wellington, Themístocles e Marcelo Castro, também estiveram presentes na reunião os parlamentares Severo Eulário, Liziê Coelho, Pablo Santos, Mauto Tapety, João Mádison e Ismar Marques. Os únicos a falarem com a imprensa ao final do encontro foram o governador Wellington Dias e Marcelo Castro, que é o presidente regional do MDB. 


Castro limitou-se a comentar que o partido decidirá tudo na base do diálogo e que é cedo para dar qualquer certeza sobre os próximos passos para a composição da chapa. Já Wellington disse apenas que as siglas buscarão o melhor entendimento possível e minimizou os riscos de rompimento do MDB com a base.


Em meio aos impasses e reviravoltas, o deputado Themístocles Filho vem sendo cercado por lideranças da oposição  que veem a possibilidade de dissidência do MDB da base do governador. A oposição aposta em uma separação antes mesmo das convenções partidárias, que começam na próxima sexta-feira (20).


Nos últimos dias, Themístocles recebeu ligações do pré-candidato ao governo pelo PSDB, Luciano Nunes, e uma visita de Dr. Pessoa, pré-candidato ao senado no grupo de Elmano Ferrer (Podemos). Os dois buscavam atrair o presidente da Assembleia para a composição de suas chapas.


Luciano Nunes comentou a proposta do PT feita na reunião de ontem e a decisão de retirar o nome de Themístocles da disputa pela vice-governadoria pela chapa de Wellington. Para o pré-candidato do PSDB, a postura do governador foi “arrogante e prepotente”. Luciano afirma: “não se pode decidir isso entre quatro paredes, fazer um arranjo de uma chapa de qualquer jeito, tirando inclusive aliados que estavam prestando serviços ao governo, como é o caso do presidente da Assembleia. A postura da chapa governista tem sido extremamente arrogante e prepotente, já dando uma eleição como consolidada e sacando aliados ao seu bel prazer”, disparou Luciano Nunes em entrevista a uma emissora local.


Até o momento, nem o MDB nem o deputado Themístocles Filho se manifestaram oficialmente a respeito da proposta do governador. A reunião do partido está marcada para as 10 horas desta quarta.


G. Hammer: Quanto aos comentários do pré candidato golpista Luciano Nunes, nada mais é que mero desespero pois até agora seu nome não passou dos 5% em nenhuma das pesquisas com credibilidade já apresentada. Então é lógico que é de interesse da base dele a junção com o MDB. Não custa nada lembrar que o MDB e PMDB é na verdade o mesmo partido e que junto com o PSDB de Luciano Nunes foram os responsáveis direto pelo golpe de estado que derrubou Dilma Rousseff  do PT e ajudaram a por no poder Temer e o pior governo do Brasil desde o fim da monarquia.
 
 
 
 
Por: Maria Clara Estrêla, com informações de Ithyara Borges e Breno Cavalcante
Via: Portal O Dia

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog